Jornalista com microcefalia participa de ato em defesa da vida em Fortaleza

Ana Carolina Cáceres, do Mato Grosso do Sul, é um símbolo da luta em favor da vida, pois, aos 24 anos, superou todas as expectativas médicas e hoje leva uma vida normal.

Foto: Divulgação / Movida
Ana teve a infância marcada por cirurgias e cuidados redobrados com a saúde
No próximo mês de fevereiro, no retorno do recesso, o Supremo Tribunal Federal (STF) julgará a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 5581. No pedido, a possibilidade de ampliação judicial de casos permitidos para a prática do aborto. Para impedir que a ADI seja a aprovada, o Movimento em Favor da Vida (Movida), a Associação Casa Luz, a Obra Lumen de Evangelização, o Lar de Clara e diversas outras entidades locais promovem um ato público contra o aborto e contra a Ação Direta de Inconstitucionalidade, em Fortaleza.

O Ato Nacional em Defesa da Vida está marcado para o próximo domingo (22), às 16 horas, na Praça Portugal, em Fortaleza.  A jornalista Ana Carolina Cáceres, do Mato Grosso do Sul, é uma das presenças confirmadas. Ela, que tem microcefalia, é um símbolo da luta em favor da vida, pois, aos 24 anos, superou todas as expectativas médicas e hoje leva uma vida normal. “Para as mães que já são grávidas eu diria para procurarem informação, quanto melhor informado sobre a microcefalia, mais a criança vai ter chance de fazer o que está acontecendo comigo”, recomenda a jornalista.

Ana Carolina teve a infância marcada por cirurgias e cuidados redobrados com a saúde por conta da microcefalia, um dos assuntos mais discutidos no Brasil nos últimos meses por ter relação com o zika vírus. Até os 9 anos, foram cinco intervenções cirúrgicas e as piores previsões de médicos. “Minha microcefalia só foi descoberta quando eu nasci. Minha mãe ouviu vários prognósticos, que eu não ia falar, andar, e até mesmo que não sobreviveria”, diz.

“Meu crânio nasceu fechado, então passei por várias cirurgias para retirada de estruturas ósseas, permitindo que o cérebro tivesse espaço para se desenvolver. Posso dizer que, depois desta última cirurgia, meus pais passaram a respirar aliviados e ver que a filha deles tinha sobrevivido", relembra.

Sem danos cerebrais ou sequelas das operações, o único cuidado que ela precisava na escola era evitar quedas para não bater a cabeça. "Não tinha cobertura óssea suficiente na testa. Mas o cuidado físico era só esse", relata.

Quando soube da Ação no STF para permitir o aborto em caso de zika, a jornalista sentiu-se "indignada" e fortaleceu a atuação militante na divulgação de informação. “Eu estou defendendo o lado que me representa, das crianças e mães. Defendo que o Estado dê toda a estrutura e apoio a essas famílias”, argumenta.

Além de Ana Carolina, também confirmaram presença o cantor, escritor e apresentador Diego Fernandes, a banda Kyrios Dei e o vocalista Totô, da Banda Expresso HG, que juntamente com outros artistas católicos lançou o clipe da música “Direito de Nascer” no YouTube, que já conta com mais de 2 milhões de visualizações.

Convite
Diego fez um convite especial, utilizando o Facebook. “A vida grita por misericórdia! Precisamos lutar para que não matem nossas crianças. Uma criança é uma bênção. Dá trabalho? Sim. Se é uma pessoa com deficiência dá trabalho? Qualquer pessoa necessita de cuidado. Somos todos carentes. Carecemos de amor. Vamos juntos defender a vida! Toda a vida”, escreveu Diego.

A ação reunirá diversos setores da sociedade civil fortalezense. O movimento faz parte do Ato Nacional em Defesa da Vida e acontecerá, além de Fortaleza, nas seguintes cidades e capitais: Brasília (DF), Canoinhas (SC), Carmópolis de Minas (MG); Ibirité (MG); João Pessoa (PB); Mauá (SP); Petrópolis (RJ); Piedade dos Gerais (MG); Recife (PE); Rio de Janeiro (RJ); Salvador (BA); Manaus (AM); Belém (PA).  

Serviço
Ato em Defesa da Vida
Data: 22 de janeiro de 2017
Horário: 16 horas
Local: Praça Portugal
Atrações: Diego Fernandes, Kyrios Dei, jornalista Ana Carolina, Totô (Expresso HG)
Boa Notícia

Comentários

Mais Visitadas

Trinta Anos de Ordenação Sacerdotal do Pe. Geovane Saraiva

Exposição traz obras do cearense José Ximenes

Parabéns, Padre Geovane!

Para especialistas, pais devem acompanhar uso da internet por crianças

Michelle Bachelet será a nova chefe de direitos humanos da ONU