Projeto Bike Anjo e o trabalho de consciência ambiental e qualidade de vida

O objetivo do Projeto é fazer com que mais e mais pessoas utilizem a bicicleta como meio de transporte com segurança e responsabilidade, e por consequência, ter uma cidade menos poluida e uma interação maior de pessoas

Foto:Divulgação / Projeto Bike Anjo
O Projeto Bike Anjo surgiu em São Paulo e está sendo desenvolvido em Fortaleza há três anos. O objetivo é fazer com que mais e mais pessoas utilizem a bicicleta como meio de transporte, com segurança e responsabilidade e por consequência diminuir a poluição ambiental e aumentar a qualidade de vida.

Domingo é dia de vencer o medo e encarar o desafio de locomoção na bicicleta. Voluntários do projeto Bike Amor ensinam àqueles que por algum motivo ainda não aprenderam a dominar o meio de transporte. Qualquer pessoa pode participar, independe da idade.

Para Daniel Neves, coordenador do projeto em Fortaleza, as atividades dão mais vida e consciência às pessoas envolvidas. “Para nós, mais pessoas ocupando as ruas torna a cidade mais humana e segura para que todos possam se locomover de forma melhor, afirma Daniel.

As aulas podem ocorrer em toda a cidade. No segundo domingo de cada mês, no período da manhã, são ministradas aulas na praça Luíza Távora, no bairro Aldeota. De acordo com a demanda de alunos, as atividades podem acontecer em outros lugares da cidade.

A jornalista Kelly Hekally aprendeu a andar de bicicleta através do projeto e hoje é uma das voluntárias. “Em maio de 2015 me tornei uma ciclista urbana e hoje trabalho em dois projetos ensinando mais pessoas a utilizar a bicicleta como transporte”, afirma Kelly.

Quem tiver interesse em se tornar voluntário do projeto ou de aprender a andar de bicicleta basta entrar em contato através do e-mail: bikeanjofortaleza@gmail.com. As ações não contam com ajuda financeira, somente com o trabalho e disposição da equipe de voluntários. De acordo com Daniel, o público com maior presença é o de mulheres com mais de quarenta anos. “São mulheres que não aprenderam durante a infância ou adolescência, muitas vezes porque os pais ou marido não permitiram”, explica Daniel.

Serviço
Projeto Bike Anjo
Email: bikeanjofortaleza@gmail.com


Boa Notícia

Comentários

Mais Visitadas

Garimpeiro do conhecimento

A linguagem do amor

Cannes: Filmes de qualidade, mas sem ousadia

O saber na periferia do conhecimento

História do transporte de passageiros é contada em Centro Cultural da Fetrans