Vaticano: A voz dos migrantes no Twitter

A iniciativa é do novo departamento criado pelo papa. (Divulgação)
O Papa Francisco e a seção ‘Migrantes e Refugiados’, do Dicastério para o Desenvolvimento Humano Integral (Santa Sé) vão lançar uma campanha nas redes sociais que alerta para as condições das crianças e adolescentes refugiadas e vítimas de tráfico humano.
A presidência desta seção é ocupada interinamente pelo Papa, dada a situação de emergência humana e para ressaltar a “importância deste tema” e o seu compromisso pessoal, assinala a Rádio Vaticano.
‘Migrantes de menor idade, vulneráveis e sem voz’ é o tema da mensagem assinada por Francisco para o 103.º Dia Mundial do Migrante e do Refugiado, que a Igreja Católica assinala este domingo.
A emissora pontifícia adianta que a partir de hoje e até 15 de janeiro, os tweets do Papa são dedicados ao tema dos migrantes menores de idade, com ligações para a página da secção ‘Migrantes e Refugiados’ na rede social Facebook, onde vão ser apresentados breves relatos e reflexões.
Na mensagem para este domingo, Francisco recorda as crianças vítimas de “exploração” ou “encaminhadas para a prostituição ou pornografia”, entregues como “escravas do trabalho infantil” e “alistadas como soldados”, e também as que são “envolvidas em tráfico de drogas e outras formas de delinquência”.
“Tantas meninas e meninos” que atualmente são também “forçados por conflitos e perseguições a fugir, com o risco de se encontrarem sozinhos e abandonados”, frisa o Papa.
O pontífice destaca “o dever de chamar a atenção” para a realidade dos mais pequenos “especialmente os deixados sozinhos, pedindo a todos para cuidarem” de modo particular desta faixa da população migrante.
“De facto, em muitas partes do mundo, ler, escrever e fazer os cálculos mais elementares ainda é um privilégio de poucos. Além disso todos os menores têm direito de brincar e fazer atividades recreativas; em suma, têm direito a ser criança”, conclui o Papa Francisco.
A secção ‘Migrantes e Refugiados’ explica, na sua conta da rede social Twitter, que tem como “principal missão” acompanhar as pessoas em todos as fases da migração, “especialmente, aqueles que de alguma forma são forçados a mover ou a fugir”.
O serviço da Santa Sé está presente na rede de microblogging está presente em quatro línguas – inglêsitalianoespanhol e francês - na rede social Facebook e na rede social de trabalho LinkedIn.
O ‘Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral’, criado pelo atual Papa, é presidido pelo cardeal Peter Turkson, natural do Gana, atual presidente do Conselho Pontifício Justiça e Paz e entrou em funcionamento no primeiro dia de 2017.

Ecclesia

Comentários

Mais Visitadas

A linguagem do amor

Garimpeiro do conhecimento

História do transporte de passageiros é contada em Centro Cultural da Fetrans

Museu da Fotografia Fortaleza realiza nesta quinta (17) palestra sobre a imagem contemporânea

Aposentadoria por idade será aprovada por internet e telefone