Vaticano: A voz dos migrantes no Twitter

A iniciativa é do novo departamento criado pelo papa. (Divulgação)
O Papa Francisco e a seção ‘Migrantes e Refugiados’, do Dicastério para o Desenvolvimento Humano Integral (Santa Sé) vão lançar uma campanha nas redes sociais que alerta para as condições das crianças e adolescentes refugiadas e vítimas de tráfico humano.
A presidência desta seção é ocupada interinamente pelo Papa, dada a situação de emergência humana e para ressaltar a “importância deste tema” e o seu compromisso pessoal, assinala a Rádio Vaticano.
‘Migrantes de menor idade, vulneráveis e sem voz’ é o tema da mensagem assinada por Francisco para o 103.º Dia Mundial do Migrante e do Refugiado, que a Igreja Católica assinala este domingo.
A emissora pontifícia adianta que a partir de hoje e até 15 de janeiro, os tweets do Papa são dedicados ao tema dos migrantes menores de idade, com ligações para a página da secção ‘Migrantes e Refugiados’ na rede social Facebook, onde vão ser apresentados breves relatos e reflexões.
Na mensagem para este domingo, Francisco recorda as crianças vítimas de “exploração” ou “encaminhadas para a prostituição ou pornografia”, entregues como “escravas do trabalho infantil” e “alistadas como soldados”, e também as que são “envolvidas em tráfico de drogas e outras formas de delinquência”.
“Tantas meninas e meninos” que atualmente são também “forçados por conflitos e perseguições a fugir, com o risco de se encontrarem sozinhos e abandonados”, frisa o Papa.
O pontífice destaca “o dever de chamar a atenção” para a realidade dos mais pequenos “especialmente os deixados sozinhos, pedindo a todos para cuidarem” de modo particular desta faixa da população migrante.
“De facto, em muitas partes do mundo, ler, escrever e fazer os cálculos mais elementares ainda é um privilégio de poucos. Além disso todos os menores têm direito de brincar e fazer atividades recreativas; em suma, têm direito a ser criança”, conclui o Papa Francisco.
A secção ‘Migrantes e Refugiados’ explica, na sua conta da rede social Twitter, que tem como “principal missão” acompanhar as pessoas em todos as fases da migração, “especialmente, aqueles que de alguma forma são forçados a mover ou a fugir”.
O serviço da Santa Sé está presente na rede de microblogging está presente em quatro línguas – inglêsitalianoespanhol e francês - na rede social Facebook e na rede social de trabalho LinkedIn.
O ‘Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral’, criado pelo atual Papa, é presidido pelo cardeal Peter Turkson, natural do Gana, atual presidente do Conselho Pontifício Justiça e Paz e entrou em funcionamento no primeiro dia de 2017.

Ecclesia

Comentários

Mais Visitadas

Trinta Anos de Ordenação Sacerdotal do Pe. Geovane Saraiva

Parabéns, Padre Geovane!

Exposição traz obras do cearense José Ximenes

Para especialistas, pais devem acompanhar uso da internet por crianças

Michelle Bachelet será a nova chefe de direitos humanos da ONU