Bienal tem performance do ator Gero Camilo e bate-papo com Fernando Catatau

Catatau e Gero Camilo na Bienal do Livro (Foto: Felipe Abud)
O Café Literário, um dos espaços de programação da XIV Bienal Internacional do Livro do Ceará, recebeu performance de Gero Camilo e bate-papo do ator cearense com o músico Fernando Catatau no final da tarde deste domingo,16.
De início, o ator cearense Gero Camilo apresentou monólogos e cantorias. Extrapolando o palco montado para a apresentação, Gero subiu em poltronas e bancadas do espaço para dar vida a diferentes personagens que contavam histórias de sertão e resistência. O público, que também não coube no espaço do Café, entrava na história contada a partir de aproximações propostas pelos personagens do ator. Depois da performance, Gero ainda declamou algumas poesias de sua autoria. "É tão bonito ver uma Bienal com uma participação maciça da população, isso me deixa emocionado", afirmou o ator.
Às 18 horas, o músico cearense Fernando Catatau se juntou ao ator e, juntos, participaram do diálogo "Ceará-mei-de-mundo", mediado pelo escritor Alan Mendonça. Gero e Catatau dividem a cidade de nascença e também uma trajetória semelhante, já que ambos saíram de Fortaleza e foram morar em São Paulo, onde obtiveram reconhecimento. Na conversa, os artistas lembraram experiências em cada cidade.
"Eu fiquei sozinho lá em São Paulo e comecei a escrever sobre minha vida. Foi assim que, de alguma forma, nasceu o Cidadão Instigado", dividiu Catatau, em referência à banda da qual é vocalista e que comemorou 20 anos de existência em 2016. Gero revelou também que o grupo liderado por Catatau aplacou a falta que ele sentia de casa. "Eu lembro de estar em São Paulo sentindo saudades daqui, e aí ouvia o Catatau e o Cidadão. Foi muito importante".
A programação do Café Literário teve ainda, a partir das 19 horas, o lançamento de livros de autoria de Gero Camilo e do poeta e músico Carlinhos Perdigão. Os destaques do espaço na tarde de amanhã, 17, são o pocket-show do cantor cearense Edinho Vilas-Boas e lançamento de livros de Luiza Rios e Luciana Gifoni. Outros destaques da programação são o diálogo entre os jornalistas e escritores Eliana Brum e Lira Neto, também curador da Bienal, com o tema "Toda pessoa constrói uma versão da história a ser contada" (às 20 horas, na sala 1 do mezanino 2) e a visita do autor português Valter Hugo Mãe à tribo dos Índios Anacé, às 16 horas, como parte da programação Bienal fora da Bienal.
JOÃO GABRIEL TRÉZ

Comentários

Mais Visitadas

MISTÉRIOS DE NESTOR

Livro de Juliano Garcia Pessanha traz reflexões filosóficas e relatos

Editoras de pequeno porte e autores independentes solidificam um nicho de mercado

Conceição Evaristo: 'A literatura está nas mãos de homens brancos'

Acordo entre UFRJ e BNDES dará novo papel cultural ao Canecão