Quadro de Diego Velázquez é leiloado por R$ 27,5 milhões em Madri

Quadro do pintor espanhol Diego Velázquez 'Retrato de una nina' leiloado pela galeria Abalarte por 8 milhões de euros nesta terça-feira (25) (Foto: Gerard Julien/AFP)
Um retrato em óleo do mestre espanhol Diego Velázquez foi vendido em um leilão em Madri, nesta terça-feira, por 8 milhões de euros (R$ 27,5 milhões), anunciou a galeria Abalarte.
O óleo, que mostra uma menina de olhos grandes e com as mãos em postura de oração, com saia marrom e blusa de colarinho branco, nunca havia sido estudado até que o dono decidiu vendê-lo, informou a casa.
A Abalarte acredita que a tela de 57,5 por 44 centímetros tenha sido pintada na juventude pelo artista sevilhano (1599-1660), conhecido pela obra-prima "Las meninas", exposta no Museu do Prado de Madri.
O proprietário da tela, intitulada "Retrato de niña o joven inmaculada", era uma pessoa de Madru, cuja identidade não foi informada. Sua família manteve a pintura por gerações.
Richard de Willermin, especialista em arte espanhola do século XVII, que colabora com a casa de leilões, examinou o óleo e concluiu que era um Velázquez.
Especialistas do Museu do Prado também estudaram a pintura, mas o museu não fez nenhum comentário público a respeito, pois nunca dá sua opinião sobre peças que não integram a sua coleção.
A disputa pelo retrato começou em 8 milhões de euros, explicou Abalarte, mas não houve oferta superior.
A identidade do comprador não foi revelada, mas a pintura não pode deixar o país por determinação do governo, que proíbe levar para o exterior qualquer trabalho que possa fazer parte do patrimônio espanhol.
Pintor barroco considerado um dos maiores expoentes da arte espanhola, Velázquez pintou durane a vida uns 200 quadros, dos quais restam 120, a metade no Museu do Prado.

Do G1

Comentários

Mais Visitadas

MISTÉRIOS DE NESTOR

Livro de Juliano Garcia Pessanha traz reflexões filosóficas e relatos

Editoras de pequeno porte e autores independentes solidificam um nicho de mercado

Conceição Evaristo: 'A literatura está nas mãos de homens brancos'

Acordo entre UFRJ e BNDES dará novo papel cultural ao Canecão