Valter Hugo Mãe inicia atividades na Bienal do Livro do Ceará

Ao lado de uma das curadoras da Bienal, Cleudene Aragão, Valter Hugo Mãe ministrou palestra sobre o tema “Somos todos filhos de mil pessoas e de mil livros” para um público de mais de 500 pessoas ( Foto: Roberta Souza )
Ainda não havia caído à noite quando um dos principais convidados da XII Bienal Internacional do Livro, o escritor português Valter Hugo Mãe, começou a caminhar tranquilamente pelos estandes do evento. De chinelos, com uma pequena bolsa a tiracolo, ele cedia a pedidos de fotos, autógrafos e breves conversas com admiradores de sua obra.
Em Fortaleza para três atividades referentes à Bienal, o escritor iniciou os trabalhos ali mesmo, como parte do público geral que visitava o espaço do Centro de Eventos do Ceará. E, depois, às 20h, ao lado de uma das curadoras da Bienal, Cleudene Aragão, ministrou palestra sobre o tema “Somos todos filhos de mil pessoas e de mil livros” para um público de mais de 500 pessoas que fez um fila imensa na porta das salas 2 e 3 do mezanino 1.
Num primeiro momento, o português demonstrou-se encantado com a quantidade de pessoas presentes no espaço, e também ressaltou a felicidade em compartilhar o mesmo ambiente com os escritores Affonso Romano, Marina Colasanti - convidados do evento - e Lira Neto, curador da Bienal.
Na mesa, o escritor falou sobre sua relação com os livros, com as palavras e com as pessoas. “Identidade é também, necessariamente, ausência dos outros. Preciso das palavras, dos livros para que, dentro da minha solidão, os outros possam existir”, disse.
Sobre o atual processo de escrita, ele diz estar “paquerando” diferentes temas, mas ainda encontra-se à procura de algo em que, comparando a um relacionamento, “role um sentimento”.
Valter Hugo Mãe participa neste domingo (16) da mesa “Romances do pai, escritas da mãe”, em diálogo com Marcelino Freire e mediação de Socorro Acioli. Já na segunda (17), ele participa da programação da Bienal fora da Bienal, em Caucaia, com a Tribo dos Índios Anacé. “Na corrente dos encantados” será o tema guia do encontro.
Mais informações:
XII Bienal Internacional do Livro do Ceará. Até o dia 23 de abril, no Centro de Eventos do Ceará. Programação completa no site

Diário do Nordeste

Comentários

Mais Visitadas

Pessoas com deficiência ainda não têm assegurados o acesso a bens culturais

Autor revisa história do gênero literário em novo livro

Resgate em caverna da Tailândia pode virar filme em Hollywood

Novo livro de Scholastique Mukasonga, traz o retrato cruel do genocídio ocorrido em Ruanda, na África, em 1994

Professores pedem tombamento do prédio da antiga Escola Normal Rural