XII Bienal do Livro homenageia os Mestres da Cultura

Como um dos parceiros da Bienal, o Jornal Diário do Nordeste mantém um estande com programação especial voltada para os pequenos, promovendo a interatividade e atividades como contação de histórias ( THIAGO GADELHA )
Com cortejo de artistas e homenagem a renomados mestres da cultura cearense, a XII Bienal Internacional do Livro do Ceará, um dos mais importantes eventos culturais do gênero no País, abriu suas portas oficialmente ao público, nessa sexta-feira (14), no Centro de Eventos do Ceará (CEC). A solenidade de abertura aconteceu no Auditório Mestres e Mestras da Cultura do Ceará, com as presenças do governador Camilo Santana, demais autoridades e convidados.
O evento tem entrada franca em todas as atividades e acontece diariamente até o próximo dia 23 de abril.
Durante os dez dias de programação, estão previstos 125 horas de atividades, com mais de 160 escritores, 300 convidados, 350 editoras e 110 estandes. O evento inclui, ainda, encontro entre autores, palestras, mesas-redondas, conferências, oficinas, contação de histórias e lançamento de livros.
Na chegada ao CEC, o governador Camilo Santana andou pelos corredores da Bienal, visitou estandes e cumprimentou o público presente. Conforme destacou, trata-se de um momento rico para o livro e para a literatura. "Desperta a importância da leitura e, este ano, o evento tem tudo para ser um dos melhores já realizados no Estado pela sua dimensão, articulação, planejamento. É uma Bienal já abençoada, por estar começando na Sexta-feira da Paixão", disse.
Biblioteca
Durante a solenidade de abertura, o chefe do Executivo estadual ainda anunciou o repasse de 1,5% do orçamento do Estado para a cultura cearense e a reinauguração, com estimativa para este semestre, da Biblioteca Pública Menezes Pimentel, atualmente em reforma. "Vamos entregar um dos maiores patrimônios culturais da cidade de Fortaleza, totalmente reformado, para democratizar cada vez mais o acesso à cultura", diz.
O tema da XII Bienal Internacional do Livro do Ceará, "Cada pessoa, um livro; o mundo, a biblioteca", remete à valorização dos acervos vivos, segundo explica o escritor Lira Neto, que assina a coordenação da curadoria. "Ou seja, que valoriza o saber coletivo e também o saber popular, uma Bienal em que não há essa separação, divisão, entre uma suposta alta cultura e uma cultura popular. A cultura popular e o saber letrado, os saberes do povo estão em livre trânsito, fazendo com que a gente pare com essas hierarquias e que a gente consiga fazer uma Bienal onde a pluralidade seja marca registrada e a diversidade sempre prezando pela alta qualidade literária", comenta Lira Neto.
In memoriam
Três grandes mestres da cultura foram homenageados na solenidade de abertura. O poeta popular Leandro Gomes de Barros recebe homenagem in memoriam ao longo da programação da semana na Praça do Cordel. Já o cordelista e repentista baiano, mestre Bule Bule, assim como o poeta, escritor e repentista cearense Geraldo Amâncio receberam a homenagem das mãos do governador Camilo Santana.
Em seguida, os mestres apresentaram versos de repente para o público presente, em alusão à abertura da Bienal. A solenidade também contou com o espetáculo "Religare", promovido pelo grupo Edisca.
Diário
Como um dos parceiros do evento, o Jornal Diário do Nordeste mantém um estande com programação especial voltada para os pequenos, promovendo a interatividade. No primeiro dia, as crianças tiveram atividades com o "Meu Primeiro Jornalzinho", do Diário do Nordeste, e com a "Cartilha de Segurança" da Nacional Gás Butano". À noite, houve apresentação teatral com a turma do Algodão Doce, para alegria da criançada e dos pais presentes ao evento.
"Teremos apresentações teatrais, contação de histórias, criamos um jornalzinho específico para o evento; então as crianças têm caça-palavras, pinturas, jogo do liga pontinhos e nisso os pais aproveitam para visitar a Bienal. Temos aqui as nossas monitoras e ainda uma banca com produtos do Diário do Nordeste, que são entregues gratuitamente todos os dias, assim como o próprio jornal", explica Ruth Nóbrega, coordenadora de eventos do Sistema Verdes Mares.
Diário do Nordeste

Comentários

Mais Visitadas

Pessoas com deficiência ainda não têm assegurados o acesso a bens culturais

Autor revisa história do gênero literário em novo livro

Resgate em caverna da Tailândia pode virar filme em Hollywood

Novo livro de Scholastique Mukasonga, traz o retrato cruel do genocídio ocorrido em Ruanda, na África, em 1994

Professores pedem tombamento do prédio da antiga Escola Normal Rural