Alceu, Elba e Geraldo trazem turnê para o Ceará

O trio será atração principal do Arraiá do Aquaville, que terá ainda Kátia Cilene e Banda Kbra da Peste DIVULGAÇÃO
O trio será atração principal do Arraiá do Aquaville, que terá ainda Kátia Cilene e Banda Kbra da Peste DIVULGAÇÃO
Em 1972, os jovens Alceu Valença e Geraldo Azevedo estrearam no mercado fonográfico com um disco que levava o nome dos dois. O álbum, contudo, ficou conhecido por Quadrafônico, palavra grafada em selo que ia no disco, indicando que aquele som era estéreo 4.0. Tornou-se um clássico da psicodelia brasileira. E marcou um encontro que iria se tornar bem mais grandioso anos à frente. Na mesma década, os primos Elba e Zé Ramalho também iniciaram carreira na música brasileira.
Parceiros de vida e de música, aqueles quatro nomes se encontram em 1996 para lançar o álbum de estúdio O Grande Encontro, sucesso que deu origem a outros dois discos, sendo um de estúdio e outro ao vivo, ambos sem a participação de Alceu Valença.
Comemorando duas décadas de lançamento do projeto, uma nova turnê começou a viajar o Brasil no ano passado, resgatando sucessos e dando novas leituras aos arranjos originais. O show virá novamente a Fortaleza neste sábado, como parte do Arraiá do Aquaville. A cantora Kátia Cilene e a Banda Kbra da Peste também estão na agenda.
Assim como Alceu esteve ausente de outras gravações, desta vez, foi Zé Ramalho quem se afastou do grupo na turnê. Geraldo, Alceu e Elba, portanto são o Grande Encontro de 2017. “Era sempre uma catarse, um sucesso inacreditável”, tenta definir Alceu. “Gravamos um disco ao vivo em 1996, mas precisei deixar o projeto, pois estava lançando um disco novo e a gravadora, por imposição contratual, me impediu de prosseguir. Agora, vinte anos depois, volto a encontrar Geraldo e Elba no palco e o sentimento continua o mesmo”, descreve.
Já Geraldo conta que o repertório faz um apanhado de canções que foram sucesso nas edições anteriores, somadas a novidades. Em 1996, ele explica, o grupo tinha uma formação acústica, que difere da atual, quando o trio sobe ao palco com uma banda bem robusta. “Para esta edição, trazemos algumas canções daquele disco, como Sabiá, Dia Branco, Chão de Giz, Tesoura do Desejo, Chorando e Cantando. Os tempos são outros, se passaram 20 anos e temos excelentes recordações”.
O Grande Encontro, hoje, é mais moderno, complementa Elba. “Tem uma super banda que nos dá mais liberdade”, diz. Prima de Zé Ramalho, ela acredita que mesmo ausente do projeto, o paraibano está bastante presente. “A energia é muito grande e totalmente positiva. Zé Ramalho se faz presente por meio de suas composições. Talvez o momento mais emocionante da minha parte solo seja Chão de Giz”, revela. O espetáculo será encerrado com outra composição de autoria de Zé, Frevo Mulher.
SERVIÇO
Arraiá do Aquaville.
Quando: amanhã, às 20 horas
Onde: Aquaville Resort (av. Litorânea, 1000 - Sabiaguaba) Quanto: de R$ 60 (preço de meia) a R$ 600 (preço de inteira no setor de mesas)
CAMILA HOLANDA

O Povo

Comentários

Mais Visitadas

Pessoas com deficiência ainda não têm assegurados o acesso a bens culturais

Autor revisa história do gênero literário em novo livro

Resgate em caverna da Tailândia pode virar filme em Hollywood

Professores pedem tombamento do prédio da antiga Escola Normal Rural

Novo livro de Scholastique Mukasonga, traz o retrato cruel do genocídio ocorrido em Ruanda, na África, em 1994