Alceu, Elba e Geraldo trazem turnê para o Ceará

O trio será atração principal do Arraiá do Aquaville, que terá ainda Kátia Cilene e Banda Kbra da Peste DIVULGAÇÃO
O trio será atração principal do Arraiá do Aquaville, que terá ainda Kátia Cilene e Banda Kbra da Peste DIVULGAÇÃO
Em 1972, os jovens Alceu Valença e Geraldo Azevedo estrearam no mercado fonográfico com um disco que levava o nome dos dois. O álbum, contudo, ficou conhecido por Quadrafônico, palavra grafada em selo que ia no disco, indicando que aquele som era estéreo 4.0. Tornou-se um clássico da psicodelia brasileira. E marcou um encontro que iria se tornar bem mais grandioso anos à frente. Na mesma década, os primos Elba e Zé Ramalho também iniciaram carreira na música brasileira.
Parceiros de vida e de música, aqueles quatro nomes se encontram em 1996 para lançar o álbum de estúdio O Grande Encontro, sucesso que deu origem a outros dois discos, sendo um de estúdio e outro ao vivo, ambos sem a participação de Alceu Valença.
Comemorando duas décadas de lançamento do projeto, uma nova turnê começou a viajar o Brasil no ano passado, resgatando sucessos e dando novas leituras aos arranjos originais. O show virá novamente a Fortaleza neste sábado, como parte do Arraiá do Aquaville. A cantora Kátia Cilene e a Banda Kbra da Peste também estão na agenda.
Assim como Alceu esteve ausente de outras gravações, desta vez, foi Zé Ramalho quem se afastou do grupo na turnê. Geraldo, Alceu e Elba, portanto são o Grande Encontro de 2017. “Era sempre uma catarse, um sucesso inacreditável”, tenta definir Alceu. “Gravamos um disco ao vivo em 1996, mas precisei deixar o projeto, pois estava lançando um disco novo e a gravadora, por imposição contratual, me impediu de prosseguir. Agora, vinte anos depois, volto a encontrar Geraldo e Elba no palco e o sentimento continua o mesmo”, descreve.
Já Geraldo conta que o repertório faz um apanhado de canções que foram sucesso nas edições anteriores, somadas a novidades. Em 1996, ele explica, o grupo tinha uma formação acústica, que difere da atual, quando o trio sobe ao palco com uma banda bem robusta. “Para esta edição, trazemos algumas canções daquele disco, como Sabiá, Dia Branco, Chão de Giz, Tesoura do Desejo, Chorando e Cantando. Os tempos são outros, se passaram 20 anos e temos excelentes recordações”.
O Grande Encontro, hoje, é mais moderno, complementa Elba. “Tem uma super banda que nos dá mais liberdade”, diz. Prima de Zé Ramalho, ela acredita que mesmo ausente do projeto, o paraibano está bastante presente. “A energia é muito grande e totalmente positiva. Zé Ramalho se faz presente por meio de suas composições. Talvez o momento mais emocionante da minha parte solo seja Chão de Giz”, revela. O espetáculo será encerrado com outra composição de autoria de Zé, Frevo Mulher.
SERVIÇO
Arraiá do Aquaville.
Quando: amanhã, às 20 horas
Onde: Aquaville Resort (av. Litorânea, 1000 - Sabiaguaba) Quanto: de R$ 60 (preço de meia) a R$ 600 (preço de inteira no setor de mesas)
CAMILA HOLANDA

O Povo

Comentários

Mais Visitadas

Fundação Edson Queiroz realiza mostra de arte

Nomofobia: O medo de desconectar

Livro fala sobre empatia, alteridade, sentimentos reais e seres humanos

Dois pesos e duas medidas

Documentário sobre 'impeachment' de Dilma no Festival de Cinema de Berlim