Mensagem pela preservação da Amazônia emociona o público em Parintins

Bianca Paiva - Correspondente da Agência Brasil
Parintins (AM) - Apresentação do Boi Garantido no 52 Festival Folclórico de Parintins (Bianca Paiva/Agência Brasil)
Apresentação do Boi Garantido no 52º Festival Folclórico de Parintins -Bianca Paiva/Agência Brasil
A terceira e última noite do 52º Festival Folclórico de Parintins foi marcada pela emoção e grandiosidade dos bois-bumbás Caprichoso e Garantido. O vencedor será conhecido nesta segunda-feira (3). Os dez jurados avaliaram 21 itens, entre eles, lenda amazônica, cunhã-poranga, ritual indígena, boi bumbá evolução e galera, que é a torcida. O início da apuração está marcado para 11h no Bumbódromo.
O primeiro a se apresentar nesse domingo (2) foi o Garantido, que defendeu o tema "Amazônia, esperança e fé”, com uma mensagem de luta pela preservação da floresta.

A padroeira da cidade, Nossa Senhora do Carmo, foi homenageada com uma grande alegoria, emocionando o público, embalado pela voz da cantora amazonense Márcia Siqueira. Os dançarinos também surpreenderam a plateia,  com uma coreografia bem sincronizada durante a encenação de um ritual da etnia indígena Carajá. Flechas foram disparadas durante o ato.
Para o presidente do Garantido, Adelson Albuquerque, o boi vermelho demonstrou na arena que veio forte e preparado para competir.
 
"O Garantido se preparou, cogitava-se que ele vinha fraco. Mas eu sempre dizia: vai chegar o momento de separar os adultos das crianças, porque nós estávamos extremamente preparados para fazer essa grande festa. E não há dúvida nenhuma de que foi um momento maravilhoso na nossa vida. Com toda certeza, a união foi o básico para mantermos a harmonia entre todos os setores do boi, que hoje se transformou no encerramento maravilhoso do festival que fizemos", ressaltou Albuquerque.
O manauara Luís Reis é torcedor do Garantido desde criança, mas esta foi a primeira vez em que assistiu ao festival em Parintins. Ele está confiante de que o boi vermelho vai ser vitorioso de novo este ano.
“A festa está linda. Um dos melhores anos, na minha opinião. O Garantido é muita emoção e o que faz a diferença é a torcida. A alegoria do Caprichoso está muito bonita. Os dois bois fizeram um grande espetáculo. Mas tenho fé em Deus que o Garantido vai levar o título este ano novamente”, afirmou o torcedor.
O Caprichoso abordou a história da arte parintinense e o protagonismo do caboclo, o homem da Amazônia. Na alegoria “O calafate”, o boi azul ressaltou o trabalho dos artesãos navais de Parintins. Um dos maiores símbolos da cidade, a Catedral de Nossa Senhora do Carmo foi também representada. A imagem da santa “levitou” sobre a arena, ao som da música Nossa Senhora, cantada pelo levantador de toadas David Assayag, emocionou o público. Outra surpresa da noite foi uma alegoria gigantesca do Boi Caprichoso, que surgiu do céu levado por um guindaste.
O presidente do bumbá azul, Babá Tupinambá, também destacou a união de toda a equipe e o esforço para trazer novidades ao festival deste ano.
“A gente prezou pela união do nosso boi, o resgate do amor pelo Caprichoso. Isso que eu trouxe para a arena: a união. Foi bonito e forte a cada dia e mostrou inovação e grandiosidade. Nós não queremos ser melhores que ninguém, nós queremos ser melhores do que nós mesmos. Agora o que jurado pensa ninguém sabe, mas nós fizemos a nossa parte. O nosso sentimento é de alegria, de vitória”, disse Tupinambá.
O parintinense Juliano Santana é fã do Caprichoso e falou sobre a importância de divulgação do festival. “O Caprichoso foi superior ao Garantido. Mas que vença o melhor. Quem ganha com isso são os visitantes. A gente tem muito orgulho de ter essa cultura espalhada para o mundo todo”.

Comentários

Mais Visitadas

Assunção: Deus recorre aos humildes

Filme luso-brasileiro com índios Krahô vence Festival de Cinema de Lima

Evento em São Paulo discute as questões do homem contemporâneo

Parabéns, Padre Geovane!

1º Festival de Literatura do Sertão do São Francisco vai homenagear escritor de Petrolina, PE