Perdão, dom e graça

Padre Geovane Saraiva*
O mundo em que vivemos é profundamente marcado por vingança, ódio e preconceitos. Considerando o bem maior da comunidade dos filhos de Deus, o maravilhoso é que contamos com a proposta de Jesus: a do perdão sem limites para os seus seguidores. Urge a necessidade de generosidade e misericórdia sempre maior, capaz de destruir o ódio e a agressividade reinantes no mundo, fugindo também da lógica dos números da matemática, a respeito do perdão. O Papa Francisco assegura aos que querem observar o chamado do Filho de Deus, afirmando que restam "a alegria, a paz e a liberdade interior que vêm do ser perdoado, podendo, por sua vez, abrir-se à possibilidade de perdoar; que o perdão não nega o erro sofrido, mas reconhece que o ser humano, criado à imagem de Deus, é sempre maior do que o mal que comete".

Imagem relacionadaNo perdão, na misericórdia e na reconciliação, experimenta-se a compaixão de Deus, quando a justiça se transforma em misericórdia: “Perdoa a injustiça cometida por teu próximo: assim, quando orares, teus pecados serão perdoados” (cf. Eclo 28, 2). Portanto, é proposta a sábia lição de que só com muito amor no coração é possível dar continuidade ao projeto do Salvador da humanidade, de que Deus quer constantemente entrar na nossa história, perdoando nossas graves misérias e ao mesmo tempo oferecendo o dom e a graça de praticá-lo no dia a dia.

O Filho de Deus, que desceu do céu e veio morar entre nós, revela o amor e o perdão misericordioso do Pai, estabelecendo-se no meio de seu povo, anunciando a justiça de Deus. Jesus não quer só conversar com cada pessoa, mas demonstrar toda a força de seu amor infinito, sobretudo no perdão e na misericórdia, doando, visível e nitidamente, sua própria vida, como proposta do perdão sem limites (cf. Mt 18, 21-35). A criatura humana é grande aos olhos de Deus, bem maior e acima do mal que reina no mundo.

Abracemos o Evangelho de Jesus, mas com a consciência de que o perdão não tem limites nem tréguas. Que a salvação que nos é oferecida seja essencialmente de perdão e misericórdia, grande verdade e eixo da vida dos cristãos. Jesus nos ensina a viver constantemente perdoando, convencendo-nos de que o perdão é dom e graça divina, renovando-nos a esperança e apontando-nos o verdadeiro sentido da vida. Assim seja!

*Pároco de Santo Afonso e vice-presidente da Previdência Sacerdotal, integra a  Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza - geovanesaraiva@gmail.com

Comentários

Mais Visitadas

A linguagem do amor

Garimpeiro do conhecimento

Museu da Fotografia Fortaleza realiza nesta quinta (17) palestra sobre a imagem contemporânea

Aposentadoria por idade será aprovada por internet e telefone

História do transporte de passageiros é contada em Centro Cultural da Fetrans