Morre Armando Hart, líder histórico da Revolução cubana

Após a vitória da revolução de 1959, o intelectual Armando Hart foi ministro da Educação (1959-65) e da Cultura (1976-97).
Armado Hart, ex-membro do governo cubano e amigo de Fidel Castro, assiste à inauguração de exposição de fotos em 12 de agosto de 2014, em Havana
Armado Hart, ex-membro do governo cubano e amigo de Fidel Castro, assiste à inauguração de exposição de fotos em 12 de agosto de 2014, em Havana (AFP/Arquivos)

Armando Hart, ideólogo próximo a Fidel Castro e um dos dirigentes históricos da Revolução cubana, morreu neste domingo (26), em Havana, aos 87 anos, de insuficiência respiratória, anunciou a imprensa local .
"O destacando combatente revolucionário Armando Hart Dávalos faleceu na tarde deste domingo por causa de uma insuficiência respiratória", noticiou a versão digital do jornal Juventud Rebelde.
Hart, que tinha problemas de saúde e se movimentava em cadeira de rodas, era advogado de profissão e foi dirigente do Movimento 26 de julho, liderado por Fidel Castro, que faleceu no ano passado.
Após a vitória da revolução de 1959, foi ministro da Educação (1959-65) e da Cultura (1976-97).
Também foi membro do Comitê Central do governista Partido Comunista (único).

AFP

Comentários

Mais Visitadas

Dois pesos e duas medidas

Professora vai mediar estudo de literatura feminina em Dourados

Socorro Acioli coordena especialização em Escrita Literária

Livro fala sobre empatia, alteridade, sentimentos reais e seres humanos

“Monstro É Aquele Que Não Sabe Amar"!