Morre David Cassidy, ídolo da juventude pela ‘A família Dó-Ré-Mi’

David Cassidy
David Cassidy, em 1975, em Amsterdã, Holanda. Gijsbert Hanekroot 
O ator e estrela da televisão David Cassidy, mais conhecido por seu trabalho na série A família Dó-Ré-Mi, morreu hoje aos 67 anos em um hospital da Flórida (EUA), onde tinha sido internado na semana passada.
“Em nome da família Cassidy, informamos com grande pesar a morte de nosso pai, nosso tio e nosso querido irmão David Cassidy”, afirmou o comunicado divulgado por seu representante. Segundo a mesma nota, o ator, cantor e produtor morreu “cercado por aqueles que amou” e livre “da dor que o sufocou durante tanto tempo”.
David Cassidy necessitava de um transplante de fígado e quando deu entrada no hospital seus órgãos vitais começaram a falhar de tal forma que os médicos mantiveram seu corpo com vida em estado de coma induzido até sua morte.
Em fevereiro, o ídolo da juventude da década de 1970 tornou pública sua luta contra a demência e anunciou que se aposentava dos palcos para se concentrar em sua saúde. Segundo declarou à revista People, tanto sua mãe como seu avô tiveram a mesma doença degenerativa do cérebro. Cassidy — que deixou os meio-irmãos Shaun, Patrick e Ryan, e os filhos Katie e Beau Cassidy — também sofria de artrite e tinha tido problemas com o álcool.
Criado em New Jersey e filho dos atores Jack Cassidy e Evelyn Ward, logo fixou residência em Los Angeles, onde conseguiria o papel de sua vida, o do irmão mais velho Keith Partridge na série A família Dó-Ré-Mi.
A popular sitcom girava em torno da história de uma viúva e seus cinco filhos que encontram na música seu modo de vida. Graças a seus cabelos compridos e escuros e seu rosto de bom moço, além de sua voz, David Cassidy se tornou o Zac Efron da década de 70, o ídolo dos jovens daquela geração. A cassidymania, como ficou conhecido o fervor que fomentou entre seus fãs, fez muitas vítimas. Em 1974, cerca de 800 pessoas ficaram feridas em Londres em um de seus shows levadas à histeria coletiva, e foi tal o descontrole que sua presença causou na Austrália que houve pedidos para que o cantor fosse deportado.
As ironias do destino fizeram com que Cassidy compartilhasse algo mais do que sua música ou sua presença na série que protagonizou até 1974. Quando seus pais se divorciaram, Jack Cassidy casou-se com a também atriz Shirley Jones. Ela então se tornou madrasta de David Cassidy na vida real e sua mãe na série de televisão que ambos protagonizaram.
Além dos dez álbuns que lançou como parte de A família Dó-Ré-Mi, Cassidy continuou sua carreira solo não só na música como no teatro, onde na década de 80 protagonizou as versões da Broadway de Joseph and the Amazing Technicolor Dreamcoat e Blood Brothers.
Cassidy também se tornou um nome em Las Vegas pelos espetáculos que protagonizou e produziu, entre eles The Rat Pack is Back e At the Copa. Também foi o primeiro a ouvir a famosa frase “você está demitido!” da boca do atual presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, como participante do reality show Celebrity Apprentice. Em 2007, Cassidy escreveu suas memórias no livro intitulado Could It Be Forever? My Story.
El País

Comentários

Mais Visitadas

Garimpeiro do conhecimento

O saber na periferia do conhecimento

Mistério da Santíssima Trindade

Cannes: Filmes de qualidade, mas sem ousadia

Bill Gates quer que você leia estes 5 livros nas férias de julho