O espanhol Alejandro Morellón ganha o Prêmio Hispano-Americano de História Curta Gabriel García Márquez

Bogotá 
Alejandro Morellón com o Prêmio Hispano-Americano de História Curta Gabriel García Márquez.
Alejandro Morellón com o Prêmio Hispano-Americano de História Curta Gabriel García Márquez. 
O escritor Alejandro Morellón (Madrid, 1985) ganhou o 4º Prêmio Hispânico Americano de História Curta Gabriel García Márquez com o El estado natural de las coisas , uma coleção de sete histórias. "Seu tom é convincente, espirituoso e efetivamente irônico, a metáfora que reside em seus argumentos fantásticos reflete com grande precisão nossas preocupações diárias", disse o júri liderado por Alberto Manguel, diretor da Biblioteca Nacional da Argentina, durante a decisão da manhã Quarta-feira em Bogotá. "Uso fantasia intencionalmente, é um recurso nascido da minha leitura como criança", explica o autor para EL PAÍS. "A ficção não discute com a realidade para explicar a realidade".
O escritor, o primeiro espanhol a ganhar este prêmio, competiu contra Liliana Colanzi da Bolívia com Our Dead World ; Federico Falco, argentino e um cemitério perfeito ; o escritor também espanhol Soledad Puértolas com meninos e meninase Daniel Salinas Basave, do México, que chegou à final com Bad Whiskey Days . Morellón receberá US $ 100.000 e seu livro circulará nas 1.445 bibliotecas públicas da Colômbia como parte do prêmio organizado pelo Ministério da Cultura e pela Biblioteca Nacional da Colômbia. "Faz-me especialmente feliz que os colombianos tenham acesso ao meu livro".
Para a fantasia, Morellón acrescenta humor e ironia como uma extensão de si mesmo. É a maneira dele de se infiltrar em suas histórias. "Eu sou engraçado por nascimento", diz o finalista do prêmio Nadal em 2015 com seu primeiro romance. E aqui está um cavalo branco , "eu nunca consegui fazer sem essa parte do meu jeito de ser".
Este recurso literário foi destacado pelos membros do júri também composto pelo escritor colombiano Roberto Burgos Cantor; o narrador, jornalista, crítico literário e tradutor da Argentina, Vlady Kociancich; o tradutor canadense da literatura espanhola, Anne McLean; e o cineasta e escritor espanhol Vicente Molina Foix. "Os conflitos de casal se concretizaram na divisão física da arquitetura de uma casa, a tragédia da pobreza diária em nossas sociedades é contada na tragicomia de um homem que decide vender sua mão esquerda, as catástrofes naturais tão presentes em nosso tempo Eles não enfrentam como tragédias ou dão origem à resignação, mas criam rituais que deifiquem, por exemplo, um furacão, com ofertas humanas ", continua a avaliação.
Durante a ação de graças, Morellón lembrou a figura de Gabriel García Márquez como mentor, "um reflexo em que encontrei uma referência literária". Ao lado do autor colombiano estão os livros de Kafka, outra das referências que aparecem na breve história desse escritor que não deseja desistir da história. "Ele me fez saber, ele me acompanhará para a vida porque ele me representa", diz ele. "Já existem muitos bons exemplos que contribuíram para superar o dilema entre o romance e a história, como Editorial Páginas de Espuma na Espanha". O autor não acredita que esse gênero serve como uma justificativa ou passo antes de livros mais extensos.
É por isso que ele antecipa que seu próximo projeto terá mais de 10 páginas. Prepare um romance. Sempre com uma bala na câmara, como ele lembrou durante suas palavras de agradecimento. "Se eu não fosse um escritor, gostaria de ser um livreiro, considero que a condição de um livreiro é a de um farmacêutico que recomenda e que viva em livros".
El País

Comentários

Mais Visitadas

Conheça o cearensês e saiba como surgiram vocábulos muito usados pelos cearenses

COPA DO MUNDO

Arquivos de cartórios do Ceará integrarão árvore genealógica mundial

Carta ao eleitor V

São Luiz exibe "Vidas Secas" e homenageia Nelson Pereira dos Santos