O Sermão do Monte

Gonzaga Mota*
Nosso objetivo em apresentar esse resumido texto é o de estimular a leitura e a interpretação do "Sermão da Montanha", evidenciado no Evangelho de Mateus, capítulos 5 a 7 da Bíblia Sagrada. Nesse Evangelho, Jesus é o Messias, Salvador do mundo, enviado por Deus.
Ao perceber uma multidão que o acompanhava, ao lado dos seus 12 discípulos, subiu a um Monte e passou a ensinar os princípios básicos do Cristianismo, em busca do caminho, da verdade e da vida. "Quid ergo dicit"? (E que diz?).
É evidente que destacamos alguns itens, deixando a exegese bíblica a critério e pesquisa do leitor. As bem-aventuranças são sentenças refletindo a procura da verdadeira felicidade.
Nelas podemos identificar o orgulho e a vaidade de espírito, a esperança, a alegria, a justiça, a misericórdia, a simplicidade de coração, a paz, etc, enfim citações para análise profunda, visando a seleção de sentimentos que nos conduzam ao amor, ao "Reino do Céu".
Outros ensinamentos significativos: "O sal da terra e a luz do mundo"; e a oração do Pai-Nosso. Ademais, disse Jesus que não veio para acabar com a "Lei de Moisés", bem como com as revelações dos verdadeiros Profetas, mas para que ocorra uma interpretação completa. Ainda pediu para que se tenha cuidado com os falsos profetas: chegam disfarçados de ovelhas, no entanto são lobos perigosos.
Quando Ele acabou de falar, as multidões ficaram admiradas e felizes. No século XX, por exemplo, disse Gandhi: "Se se perdessem todos os livros sacros da humanidade, e só se salvasse o "Sermão da Montanha", nada estaria perdido".


*Professor aposentado da UFC

Comentários

Mais Visitadas

MISTÉRIOS DE NESTOR

Autor revisa história do gênero literário em novo livro

Resgate em caverna da Tailândia pode virar filme em Hollywood

MALALA

Pessoas com deficiência ainda não têm assegurados o acesso a bens culturais