Bossa Nova ganha espaço em Copacabana no ano em que completa seis décadas

Local da Casa da Bossa é o mesmo da Sala Municipal Baden Powell, que desde janeiro do ano passado tem como residente artístico o músico João Donato, precursor do gênero
Apresentação na Sala Baden Powell.
Apresentação na Sala Baden Powell. (Divulgação)

Nascida no Rio de Janeiro, a Bossa Nova está completando 60 anos neste 2018. Segundo os historiadores da música brasileira, o movimento surgido em reuniões musicais em apartamentos da zona sul carioca teve como marco inicial para a indústria fonográfica a gravação, em agosto de 1958, por João Gilberto, da música Chega de Saudade, de Tom Jobim (1927-1994) e Vinicius de Moraes (1913-1980).
Nesta quarta-feira (24), véspera do aniversário de Tom, a Bossa Nova ganhou um espaço em Copacabana, o mesmo bairro que a viu surgir. O local da Casa da Bossa é o mesmo da Sala Municipal Baden Powell, que desde janeiro do ano passado tem como residente artístico o músico João Donato, precursor do gênero e um dos grandes nomes do instrumental brasileiro.
A iniciativa de ceder o local foi da Secretaria Municipal de Cultura. “O Rio de Janeiro precisava de um espaço onde esse ritmo tão carioca estivesse presente durante todo o ano. Afinal, a nossa música é uma das melhores atrações desta cidade”, disse a secretária Nilcemar Nogueira.
Edital de residência
Para contribuir com a formação de novos artistas, a Casa da Bossa está lançando um edital de residência artística nacional e internacional. O projeto consiste na recepção de músicos do mundo todo para classes com os músicos do Rio.
Donato será o coordenador da Casa da Bossa, que não ficará limitada às apresentações musicais. Será voltada também para a memória desse movimento musical, com exposições, além de abrir espaço para o intercâmbio cultural entre músicos antigos e novos do gênero.
“A Casa da Bossa chega à Cidade Maravilhosa para ser o espaço de referência, onde já se pode apreciar música da melhor qualidade desde que iniciamos a residência artística”, comemora Donato. Para a exposição inaugural, ele mesmo cedeu itens que marcam a sua carreira do compositor, como partituras raras, discos de 73 RPM, vinil, fitas k7, fotografias, gravações raras e filmes.
show de abertura, na noite desta quarta-feira, reuniu João Donato e mais três grandes compositores da Bossa Nova vivos e em atuação: Carlos Lyra, Roberto Menescal e Marcos Valle. Até domingo, sempre às 20h, passarão pelo palco o Jobim Jazz de Mário Adnet (25), o Circuito de Piano com Marcos Ariel (26), homenagem a Leny Andrade com a presença da cantora na voz de Cris Dellano (27) e Azymuth, com participação de João Donato (28).

Agência Brasil

Comentários

Mais Visitadas

Trinta Anos de Ordenação Sacerdotal do Pe. Geovane Saraiva

Exposição traz obras do cearense José Ximenes

Parabéns, Padre Geovane!

Para especialistas, pais devem acompanhar uso da internet por crianças

Michelle Bachelet será a nova chefe de direitos humanos da ONU