Com "Clássicos do Cinema", Turma da Mônica homenageia e recria as aventuras de "Guerra nas Estrelas"


monica
Turma da Mônica se mistura ao universo imaginado por George Lucas e os personagens se aventuram em naves velozes
Image-0-Artigo-2351654-1
Em 1997, "Coelhada nas Estrelas" chegava à bancas brasileiras. Nessa HQ, a Turma da Mônica revivia as aventuras baseadas no clássico de George Lucas, "Guerras Nas Estrelas". A publicação, feita pela editora Globo, foi uma homenagem aos 20 anos da franquia e ganhou outra edição em 2007.
A história em quadrinhos é formada por uma trilogia. A primeira, "Coelhada Nas Estrelas" foi originalmente publicada na edição número oito de 97. A segunda, "Coelhada Nas Estrelas: O Feio Contra-Ataca" foi lanada em 2008. Fechando a trilogia, surge a história "Coelhada Nas Estrelas: O Retorno de Jedito", em 2010, na edição 22 da revista.
A editora Panini relançou em 2017 todas as histórias, unindo toda a trilogia em uma única publicação, em uma edição rica, popularmente chamada de "feita para colecionador". Em capa dura, ilustrada por José Aparecido Cavalcante e Tatiana Monteiro, a arte reúne um pouco das cenas das três paródias. Toda a roteirização passou pelo crivo de Maurício de Sousa e Marina Takeda. Os Estúdios Maurício de Sousa também assinam a editoria.
Os desenhos ficam a cargo de Roberto Martins Pereira. O artista consegue em seus traços e cores dividir o tempo e o espaço onde cada história acontece, sem usar recursos de divisão de páginas com marcações para orientar o leitor mudanças de cenário. Em nenhum momento o leitor se perde na cronologia e ordem dos acontecimentos.
História
Dessa vez, a "Turma da Mônica - Clássicos do Cinema", traz a turminha vivendo as aventuras de "Cascão Caiuóqui" (Luke Skywalker). Junto de seu mentor, Franjinha Kenobi (Obi Wan Kenobi), eles encontram ao longo da jornada Cebolinha Solo e Flobaca, vivido por Floquinho. Na companhia de Magali 3PA (interpretando C3-PO) e Nimbus 2D2 (R2-D2), a turma parte para resgatar a Princesa Moniqueia, que está nas garras de Dart Feio, que quer jogar sujeira por toda a galáxia.
Usando de algumas licenças poéticas, as paródias ainda se mantêm fiéis a trilogia original, mas dão uma pitada de Turma da Mônica. Somos apresentados a um Cascão ainda com medo de água, a Mônica que luta para não perder o coelho Sansão e Cebolinha, com seu problema fonético em trocar o R pelo L.
Nas historinhas, os Jeditos são uma ordem de cavaleiros espaciais que entre uma luta e outra, adoram proferir ditados e provérbios. No total, ao longo de toda a trilogia foram ditos 66 ditados. Destes, 17 foram em "Coelhada Nas Estrelas", e 24 em "O Feio Contra-Ataca". Em "O Retorno de Jedito" foram 25 ditados proferidos.
Esses dados são alguns dos extras que a publicação oferece, além de uma galeria de personagens, curiosidades das edições passadas e um pouco de como funciona o processo criativo de uma página de quadrinhos, além de uma lista de easter eggs (referências escondidas) e esboços dos desenhos originais.
arteNostalgia
Além da HQ já ser, por si só, uma grande referência ao clássico cinematográfico, ela vai além e usa do recurso já citado, os easter eggs. Em uma única página, o roteirista Flávio Teixeira de Jesus consegue encontrar tempo e espaço para colocar, em um mesmo local, vários personagens de filmes conhecidos pelo público e até figuras do próprio Star Wars, uma forma de fazer o leitor a interagir com a obra.
Ao longo da publicação, os leitores são agraciados com artes originais das primeiras páginas de 1997, 2008 e 2010. Esse serviço deixa um traço nostálgico para os fãs que cresceram lendo a Turma da Mônica e acompanharam os lançamentos dessas histórias.
A capa da HQ publicada em 2007 também aparece para separar uma história da outra, além de pôsteres, seguindo a estética dos cartazes originais de Star Wars, que servem para separar as seções das três paródias.
Referências
As alusões a Star Wars são certas. A Estrela da Morte, por exemplo, vira o Emporcalhador de Marte e a Carbonita, onde Han Solo fica aprisionado, vira uma "camada de chocolate", um perigo para Cebolinha Solo, se Magali estiver por perto.
Histórias da Turma da Mônica também são trazidas à tona para compor as narrativas imagéticas. Em algumas páginas o leitor se depara com momentos em que se lembra muito a HQ "Mônica e Cebolinha no Mundo de Romeu e Julieta", já que no filme original, Leia e Solo ficam juntos. Então, fica natural nesta nova história a romantização de Cebolinha e Mônica.
"Batmenino Eternamente" também é um desses exemplos, já que o caráter da publicação traz Cascão e Cebolinha em papéis heroicos. Também não passa batido a história de "A Princesa Desdentada e os Porcos Piratas", em que se pode ver os porcos da tradicional história estampada na figura do Emporcalhador de Marte.

Diário do Nordeste

Comentários

Mais Visitadas

Documentário sobre papa Francisco chega a cinemas dos EUA em maio

Por que há tão poucas chefs mulheres?

Dois pesos e duas medidas

Professora vai mediar estudo de literatura feminina em Dourados

Convém pensar