Obras em exibição na mostra "Modernismo Brasileiro na Coleção da Fundação Edson Queiroz" no Museu Coleção Berardo, em Lisboa, Portugal partirá para Roma

por Caroline Ribeiro - Especial para o Caderno 3
Obras em exibição na mostra "Modernismo Brasileiro na Coleção da Fundação Edson Queiroz" no Museu Coleção Berardo, em Lisboa, Portugal. A partir do dia 23 de fevereiro a exposição estará em Roma (Foto: Lucas de Menezes /div.)
Zara Castro, aluna do curso de cinema e audiovisual da Universidade de Fortaleza (Unifor), visitou na última sexta-feira (26) a exposição "Modernismo Brasileiro na Coleção da Fundação Edson Queiroz", em cartaz no Museu Coleção Berardo, em Lisboa, Portugal.
A viagem foi graças à vitória no concurso "Unifor e Você em Lisboa", que premiou a aluna e um professor que apresentaram os melhores textos sobre a exposição. O concurso recebeu mais de 100 participações. "Foi de última hora", diz Zara, "não achei que ia dar em nada, então foi uma surpresa muito boa, fiquei muito feliz", conta a aluna.
Zara conferiu de perto as 76 obras da exposição, que traça um percurso cronológico sobre a produção modernista no Brasil dos anos de 1920 a 1960. O historiador Renato Santos, guia durante a visita para a aluna, ressalta que, através destes trabalhos, é possível mostrar "como o modernismo brasileiro estava na vanguarda dos acontecimentos de então. Este abrir de horizontes, no fundo, também mostra que a representação artística modernista não era só no contexto europeu ou norte-americano", explica o historiador.
Itália
Sucesso de público e crítica em Portugal, a exposição "Modernismo Brasileiro na Coleção da Fundação Edson Queiroz" deixa em 12 de fevereiro o Museu Coleção Berardo, mas prossegue em solo europeu. De 23 de fevereiro a 5 maio, a mostra estará em cartaz na Embaixada do Brasil em Roma
Essa é a primeira mostra internacional da Fundação Edson Queiroz, lançada em outubro de 2017 em Lisboa, numa área de 760 m², sob curadoria de Regina Teixeira de Barros e projeto dos arquitetos Daniela Alcântara e Rui Campos Matos. A presidente da Fundação Edson Queiroz, Lenise Queiroz, destaca a importância da exposição para a arte e a cultura brasileiras.
"Sinto que esta exposição, inicialmente em Portugal e depois em Roma, é de muita importância não só para a Unifor e para a Fundação Edson Queiroz, mas para o Estado do Ceará e de certa forma para o Brasil, porque trouxemos 76 importantes obras do modernismo brasileiro para um continente que transpira arte", destacou ela.
Emocionado, o chanceler da Universidade de Fortaleza (Unifor), Edson Queiroz Neto frisou a realização de um projeto sonhado pelo seu pai, Airton Queiroz. "Sinto-me muito emocionado porque esta exposição no exterior foi a última grande alegria do meu pai. Ele sonhava com esse projeto internacional", ressalta.
No Brasil, além do Ceará, a mostra passou por São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba e Rio de Janeiro.

Diário do Nordeste

Comentários

Mais Visitadas

Trinta Anos de Ordenação Sacerdotal do Pe. Geovane Saraiva

Exposição traz obras do cearense José Ximenes

Parabéns, Padre Geovane!

Para especialistas, pais devem acompanhar uso da internet por crianças

Michelle Bachelet será a nova chefe de direitos humanos da ONU