Dia Nacional do Livro Infantil: Leitura ainda exerce fascínio para crianças

Crianças sentadas nas almofadas da Biblioteca Comunitária Sorriso da Criança, no bairro Presidente Kennedy, em Fortaleza, viajam no mundo da leitura e desfrutam de momentos de prazer com livros nas mãos ( Foto: Natinho Rodrigues )
"Eu gosto de histórias de romance, com princesas. Nesse aqui, várias tentam conquistar o coração do príncipe", explica Vanessa Rodrigues, de 11 anos, apontando para a capa do livro "A Herdeira", de Kiera Cass. Sentada nas almofadas da Biblioteca Comunitária Sorriso da Criança, no bairro Presidente Kennedy, as estantes repletas de livros poderiam ser, de fato, as paredes do seu castelo.
A imaginação fértil é um dos dons a serem celebrados nesta quarta-feira (18), data comemorativa do Dia Nacional do Livro Infantil. A homenagem é dedicada a Monteiro Lobato, que faria aniversário no mesmo dia.
Além dos 3 mil volumes catalogados já disponíveis no espaço da Biblioteca Comunitária, crianças e adolescentes poderão desfrutar das atividades de contação de histórias e mediação de leitura, todas organizadas de forma a atender o público infantil e jovem durante a semana de comemoração.
"A mediação de leitura utiliza o livro para que as crianças vejam de onde está vindo a história, fazendo com que tenham o interesse de ir pegar o livro depois que a mediação acabar. A contação de histórias não depende do livro. O conto pode até sair das páginas, mas está na cabeça de quem conta. Exige uma dramaticidade do contador. Os dois fazem sucesso, mas, para as crianças menores, é melhor a contação, porque entretém mais e é mais abrangente", diz Alilian Gradela, coordenadora da Biblioteca Comunitária Sorriso da Criança, que integra a Rede de Leitura Jangada Literária.
Compartilhada
No Presidente Kennedy, a equipe do coletivo realiza mediações de leitura semanalmente, às quartas-feiras, mas oferece a roda de leitura todos os dias. "A gente também faz a leitura compartilhada, porque aí eles podem ler em voz alta. Eles gostam de contar histórias. Alguns têm vergonha porque ainda não conseguem ler direito, mas tudo isso vai sendo trabalhado, no tempo deles. Isso serve como incentivo", afirma Alilian.
Na sexta-feira (20), os funcionários da biblioteca irão até a escola Dom Hélder Câmara em dois momentos, pela manhã, às 9h, e à tarde, às 15h, para promover suas atividades de rotina e brincadeiras, também em homenagem ao Dia Nacional do Livro Infantil, para promover a integração entre os alunos.
"O livro ainda fascina, ainda exerce o fascínio de tocar, de mexer e até estragar páginas. Faz parte do processo de aprendizagem. Quando a criança consegue ler um livro inteiro e gosta, ela pegará outro sem dúvidas, nem que seja pra ler a mesma história várias vezes", afirma a coordenadora. Segundo ela, isso incentiva que a criança conheça, progressivamente, outras literaturas e outros autores.
A presença constante dos jovens na Biblioteca Comunitária reforça a ideia de "segunda casa" que o ambiente propõe. Lá, a leitura cede espaço para conversas, perguntas e momentos de terminar as tarefas da escola.
Para Alilian, é importante que a leitura seja reconhecida como direito humano. "Assim, poderemos trazer para esse espaço um local que vai além do depósito de livros. Que passe a ser um local de discussão dos direitos da criança e do adolescente", diz. (Colaborou Barbara Câmara)

Mais informações:
A programação completa em alusão ao Dia Nacional do Livro Infantil em Fortaleza pode ser encontrada no site https://www.fortaleza.ce.gov.br/noticias/prefeitura-de-fortaleza-realiza-programacao-especial-na-semana-do-livro-infantil

Comentários

Mais Visitadas

Garimpeiro do conhecimento

A linguagem do amor

O saber na periferia do conhecimento

Cannes: Filmes de qualidade, mas sem ousadia

História do transporte de passageiros é contada em Centro Cultural da Fetrans