Quem foram as pessoas homenageadas com bustos em praças de Fortaleza

Fortaleza mantém viva parte de sua história “invisível”. Já reparou nos bustos e estátuas de personalidades que estão, por exemplo, pelas praças da cidade? Ali, foram homenageadas figuras importantes na história da cidade. São momentos do passado contados em meio a rotina da capital.
O busto do heróico João Nogueira Jucá está na Praça da Lagoinha, no Centro. O jovem estudante entrou para a história pelo ato de bravura ao ajudar os pacientes e funcionários da Casa de Saúde Dr. César Cals, de um incêndio que ocorreu no dia 4 de agosto de 1959.
O professor de História, Marcelo Holanda, conta que um cilindro explodiu e causou a tragédia. O estudante, que passava no local no momento, se voluntariou para ajudar a equipe do Corpo de Bombeiros, que buscava salvar o maior número de pessoas.
“Ele toma a iniciativa de ajudar e acaba sendo vítima do incêndio. Por várias vezes ele ia e voltava na tentativa de resgatar pessoas. É um ato dos mais heroicos e tristes da história da nossa cidade”, disse o professor.
O estudante ficou internado por sete dias, mas não resistiu aos fortes ferimentos. O ato de solidariedade ao próximo é lembrado todos os anos, quando uma missa é realizada na praça em que seu busto está erguido.
Na Praça Brandeira, outro nome importante: Luís Alves de Lima e Silva ou Duque de Caxias, também foi eternizado na cidade. Ele foi o Patrono do Exército Brasileiro na guerra do Paraguai.
“Ele é um dos heróis do Brasil. Foi o primeiro líder das tropas brasileiras na Guerra do Paraguai. O busto foi inaugurado em 25 de agosto de 1947, na Praça da Brandeira”, revelou o historiador.
Em outro local bastante conhecido, a famosa Praça dos Leões, também no Centro, o busto mais antigo da cidade: o do General Tibúrcio, também considerado um herói da Guerra do Paraguai.
“Na verdade, ela chama Praça General Tibúrcio. Ele é de 1888. Ele é cearense da cidade de Viçosa. Os restos mortais estavam no cemitério São João Batista e desde 1952 foram levados para a praça, que leva seu nome, a famosa praça dos Leões”, contou.
Patativa do Assaré, Rachel de Queiroz, Dragão do Mar e tantas outras personalidades que marcaram a cidade. Todos esses nomes também têm bustos que retratam um pouquinho da história da Fortaleza de 292 anos.
Tribuna do Ceará

Comentários

Mais Visitadas

A linguagem do amor

Garimpeiro do conhecimento

História do transporte de passageiros é contada em Centro Cultural da Fetrans

O saber na periferia do conhecimento

Cannes: Filmes de qualidade, mas sem ousadia