Livro trata da dualidade humana através da experiência de seu próprio autor, Edmilson Alves

Edmilson Alves: "foi difícil escrever", diz, sobre o primeiro livro lançado ( Foto: Saulo Roberto )
O primeiro livro de Edmilson Alves, que estreia no mercado editorial aos 78 anos, aborda a dualidade da vida humana por meio de 100 crônicas. A obra foi fundamentada na experiência do próprio autor - nascido em Crato, interior do Ceará. "Eu e Meus Extremos Opostos" traz textos que perpassam a psicologia, ao mesmo tempo em que resgatam memórias de Alves - o que confere à publicação um caráter também biográfico.
Sintetizar princípios filosóficos e espirituais direcionados ao otimismo e bem-estar é o ponto central do trabalho. Outra mensagem sugerida é a importância de controlar as emoções e ser cuidadoso com as palavras, já que tanto elas quanto os pensamentos têm poder transformador.
"Nesta obra faço crônicas de reflexões que se reportam à autoajuda. Busco encaminhar, ajudar as pessoas para quando elas tiverem sede de conhecimento", ressalta Alves.
Com tiragem inicial de 200 exemplares, bancadas pelo próprio autor, o livro pode ser encomendado pelo e-mail edmilsonescritor@gmail.Com, pelo valor de R$ 39,90. Também pode ser encontrado em formado de e-book, no site da Amazon.
Construção
A ideia de escrever sobre a dualidade da vida surgiu a partir de uma experiência difícil que Edmilson Alves passou há alguns anos
"Precise fazer uma cirurgia de coração. Naquele momento descobri a finitude, quando você se vê cara a cara com esse fim começa a refletir sobre as coisas", lembra.
"Após esse fato resolvi conversar com meus arquétipos, com meus anseios, minha coragem e coloquei isso no papel. Foi difícil escrever. Como o livro foi baseado nas minhas emocionalidades, à medida que elas iam mudando eu mudava algo no texto".
Eu e Meus Extremos Opostos

Formado em Ciências Econômicas no Crato e com expertise em Administração de Empresas, Edmilson Alves também é autodidata em Medicina Nutricional, Nutracêutica, Envelhecer sem ficar doente e Diabetes.
O interesse pela medicina nutricional veio devido aos seus cuidados com a diabetes. "Acredito que se as pessoas têm esse conhecimento poderão se cuidar melhor", afirma.
Estudioso dedicado, resolveu por prazer estudar filosofia, literatura e língua portuguesa, isso tudo para contribuir na produção do livro.
Extremos opostos
Amor, fé, sintonia, entusiasmo, amizade, lealdade, vontade, incertezas e humildade são alguns dos temas trabalhados no livro. A humildade é um dos tópicos destacados pelo autor: "A humildade é a virtude mais verdadeira porque o humilde nunca vai dizer que é humilde. O humilde sempre vai ter consciência de que ainda não é humilde, de que precisa melhorar".
A juventude e a velhice são outros temas abordados. As crônicas "Quando Eu Era Uma Criança", "Ser Jovem Nos Dias de Hoje", "Não Sou Mais Uma Criança" e "Envelhecer" tratam dessa temática de forma nostálgica.
A velhice é algo bem trabalhado, por ser um processo caro ao autor - tanto que será tema do segundo livro de Edmilson Alves, cujo texto já está finalizado.
"Quando a Velhice Chegar" é o nome dessa próxima obra, que irá tratar a velhice não como a vida próxima de acabar, mas como uma "juventude" dentro da terceira idade.
A paixão pela escrita nasceu dentro da Ferragista, empresa comercial de ferramentas e derivados na qual trabalhou.
Edmilson se inspirou no nome da empresa que dirigia e criou o jornal A Ferragista, que chegou a ter tiragem de 15 mil exemplares por mês.
As dificuldades que passou ao fechar o jornal foi outro fato que o inspirou a escrever o livro.
"Quero mostrar os desafios pelo qual passamos e que nesses momentos precisamos levantar a cabeça e seguir em frente. Pretendo abrir uma mensagem de disseminação, de fé e esperança no ser humano", conclui Edmilson.
Diário do Nordeste

Comentários

Mais Visitadas

Trinta Anos de Ordenação Sacerdotal do Pe. Geovane Saraiva

Parabéns, Padre Geovane!

Deus, alimento e remédio

Michelle Bachelet será a nova chefe de direitos humanos da ONU

Exposição traz obras do cearense José Ximenes