Carta ao leitor IV

Gonzaga Mota*
Existem três eixos fundamentais (político, social e econômico) que servem de apoio ao progresso de um Estado democrático. De nada adianta um País ser for­te do ponto de vista econômico e sua população viver em condições precárias e sem liberdade política. Dentro desta linha de raciocínio, seria fundamental alcançar a cooperação entre governo, sociedade e setores empresariais e trabalhistas, para que ocorra um desenvolvimento responsável, integrado e sustentável. Particularmente, no caso brasileiro, é urgente a necessidade de programas e ações estruturantes que promovam e consolidem os direitos e obrigações da população. Por sua vez, sem crescimento econômico, não há de que se falar em geração de renda ou de empregos, e nem de melhorias que repercutam significativamente na vida do cidadão, seja quanto à educação, à saúde ou a quaisquer outros temas que o afeta diretamente. A busca da estabilidade macroeconômica e da eliminação da corrupção são vitais para a retomada do desenvolvimento. Ao Brasil será impossível destacar-se em meio às economias avançadas, se mantidas a miséria e a exclusão social de que somos testemunhas. O desenvolvimento precisa ser integral, abrangendo todas as áreas, ou seja, visando ao bem-estar da coletividade e ao equilíbrio ambiental. Nada do que foi dito pode ter resultados concretos, sem o envolvimento de toda a sociedade brasileira. Deseja-se que o engajamento se dê de forma crítica e atuante, garantindo a transformação de nossa realidade. Assim, estaremos participando de transformações esperadas, respeitando-se o regime democrático e a liberdade que lhe é intrínseca.
*Professor aposentado da UFC

Comentários

Mais Visitadas

Assunção: Deus recorre aos humildes

Filme luso-brasileiro com índios Krahô vence Festival de Cinema de Lima

Evento em São Paulo discute as questões do homem contemporâneo

Parabéns, Padre Geovane!

1º Festival de Literatura do Sertão do São Francisco vai homenagear escritor de Petrolina, PE