Pular para o conteúdo principal

Terra Santa: Papa Francisco e patriarca Bartolomeu juntos em momento histórico

Oração conjunta na Basílica do Santo Sepulcro simboliza caminho de diálogo entre católicos e ortodoxos nas últimas décadas

News.va | Santo Sepulcro
Lisboa, 25 mai 2014 (Ecclesia) – O Papa vai chegar hoje a Jerusalém para celebrar com o patriarca ortodoxo Bartolomeu o 50.º aniversário do encontro dos seus predecessores Paulo VI e Atenágoras, num momento histórico para o ecumenismo.
Após dois dias de viagem na Terra Santa, com passagens pela Jordânia e Palestina, Francisco vai rezar com o patriarca ecuménico de Constantinopla na Basílica do Santo Sepulcro, onde se evocam os locais da morte, sepultura e ressurreição de Jesus.
“Uma oração em comum num lugar santo de Jerusalém, no Santo Sepulcro em particular, é algo que nunca aconteceu antes. As comunidades cristãs que podem celebrar e rezar nos Lugares Santos fazem-no sempre – e sempre o fizeram até agora – separadamente, nos tempos propícios e destinados às diversas comunidades”, explica o porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi.
As primeiras horas do programa do Papa em Israel, após a receção oficial em Telavive e a viagem de helicóptero até Jerusalém, incluem a assinatura de uma declaração conjunta com o patriarca Bartolomeu, na delegação apostólica.
A peregrinação evoca oficialmente o encontro entre o Papa Paulo VI e o patriarca ecuménico Atenágoras, de Constantinopla (Igreja Ortodoxa), que teve lugar a 5 e 6 de janeiro de 1964 no Monte das Oliveiras em Jerusalém.
Este foi o primeiro encontro em mais de 500 anos entre os máximos representantes da Igreja Católica e da Igreja Ortodoxa, divididas há mais de nove séculos.
Esta tarde, Francisco e Bartolomeu vão chegar à praça diante do Santo Sepulcro por caminhos diferentes, e serão acolhidos pelos três superiores das comunidades do ‘status quo’, documento que regula a propriedade dos Lugares Santos, a distribuição dos espaços dentro do Santuário, os horários e os tempos das funções litúrgicas: a comunidade greco-ortodoxa, a comunidade arménia-ortodoxa e a Custódia da Terra Santa (Igreja Católica).
O programa prevê que ambos venerem a pedra onde Jesus foi ungido após a morte, que se encontra próxima da entrada, seguindo para o Santo Sepulcro, para um momento de oração, antes de abençoar os presentes e dirigir-se ao local da crucifixão, o Calvário, acompanhados pelos três chefes das comunidades do ‘status quo’.
Após esta celebração, Francisco e Bartolomeu vão seguir juntos para o jantar no Patriarcado Latino de Jerusalém.
Os cristãos representam de 2 a 3% do total da população da Terra Santa de hoje, distribuídos por vários ritos e 13 Igrejas tradicionais reconhecidas pelas autoridades civis.
Três Igrejas têm patriarcas residentes em Jerusalém: o Patriarcado Ortodoxo Grego, o Patriarcado Latino (Igreja Católica) e o Patriarcado Arménio.
Em Israel, os católicos estão distribuídos da seguinte forma: 48 mil do rito grego, somados a aproximadamente 2000 migrantes do leste da Europa; 24 mil do rito latino, a que se somam cerca de 60 mil migrantes da Ásia e África e centenas de católicos do rito latino (rito romano) de língua hebraica; 8400 de rito maronita; comunidades do rito sírio e arménio, da Eritreia e da Índia.
OC

Agência Ecclesia

Comentários