Ele faz falta!

Gonzaga Mota*

Nos dias 6 e 12 do corrente mês, lembramos, respectivamente, do centenário de nascimento e do trágico falecimento(24 anos) do Dr. Ulysses Guimarães. A História mostra que o perfil de Ulysses é o perfil do Brasil democrático, das liberdades e da justiça. A integridade pessoal, a coerência política, a coragem cívica, a decisão firme e a obstinada tenacidade na construção de uma Nação maior foram os elementos utilizados para compor, aos olhos dos brasileiros, a figura do gigante que se alteia sobre os outeiros da Pátria. O “Senhor Diretas”, como era chamado, não conseguiu, num primeiro momento, iniciar o processo de redemocratização em razão da rejeição da Emenda Constitucional Dante de Oliveira. Em seguida, numa aliança feita com pessoas dissidentes do regime vigente e coordenadas pelo então vice-presidente da República, Aureliano Chaves, Ulysses foi a liderança principal na eleição de Tancredo Neves. Logo depois presidiu a Assembleia Nacional Constituinte, criando uma nova ordem para o Brasil. Não podemos, pois, deixar de homenagear e lembrar, em virtude de suas ideias e do seu grande sentimento de “brasilidade”, o maior líder do Brasil do início dos anos 50(século XX) até hoje. Nossos jovens precisam conhecer a verdadeira História contemporânea deste querido País. Por tudo isso, quando observamos e analisamos o momento atual da nossa Pátria, ficamos perplexos com a corrupção financeira e de ideias, com a falta de espírito público, de desprendimento, enfim com a ausência de amor ao Brasil. Sem dúvida, como seria importante se tivéssemos um Ulysses Guimarães. Está fazendo falta!

*Professor aposentado da UFC

Comentários

Mais Visitadas

Trinta Anos de Ordenação Sacerdotal do Pe. Geovane Saraiva

Exposição traz obras do cearense José Ximenes

Parabéns, Padre Geovane!

Para especialistas, pais devem acompanhar uso da internet por crianças

Michelle Bachelet será a nova chefe de direitos humanos da ONU