Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro 18, 2018

Uece pronta para seu maior evento cientifico e cultural: XXIII Semana Universitária

Com o tema Universidade e Valores Humanos: construindo uma cultura de paz , a Universidade Estadual do Ceará (Uece), por meio de sua Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa (PRPGPq), realiza no período de 22 a 26 de outubro de 2018, no campus Itaperi, a XXIII Semana Universitária, que expõe ao público cerca de 2.500 mil trabalhos, vinculados ao ensino, à pesquisa e à extensão.
A solenidade de abertura da Semana acontece na próxima segunda-feira (22/10), às 18h, no Auditório Central, campus Itaperi e será presidida pelo reitor da Uece, professor Jackson Sampaio. O evento tem como objetivo provocar reflexões sobre a diversidade do conhecimento desenvolvido e compartilhado pela universidade, em diálogo com setores da sociedade.
O encontro acontecerá no mesmo período nas unidades da Uece no interior do Estado: Faculdade de Educação, Ciências e Letras do Sertão Central (Feclesc-Quixadá) e Faculdade de Educação, Ciências e Letras de Iguatu (Fecli).
A professora Maria do Carmo Bonfim, do D…

Primavera Literária do Rio de Janeiro chega à maioridade entre 18 e 21 de outubro, no Museu da República

Evento no Rio de Janeiro e em Belo Horizonte completa 18 anos
A escritora Conceição Evaristo estará em uma das mesas de debate
A Primavera Literária do Rio de Janeiro chega à maioridade entre 18 e 21 de outubro, no Museu da República, buscando dar evidência máxima a temas ainda chamados de tabu, sobretudo às questões femininas, acima de tudo os desafios das mulheres negras na literatura e na vida.
“No nosso Domingo das Mulheres, na tenda Faça Amor Não Faça Guerra, título em homenagem aos 50 anos de maio de 1968, teremos somente mesas de mulheres”, explica Raquel Menezes, presidente da Liga Brasileira de Editoras (Libre), entidade organizadora do evento.
Nesse dia, a mesa “Mulheres Negras na Literatura” reunirá a cubana Teresa Cárdenas, a mineira Conceição Evaristo, a carioca Eliana Alves Cruz e a paraense Paloma Franca Amorim. Outras mesas tratarão de “Mulheres no Poder”, “Mulheres no Funk”, “Ativismo Jovem”, “Tabu na Literatura”, “Publique Sexo”, “Ocupa Museu” e “A Representação Negra na…

Celebração do movimento na sexta edição da Bienal Internacional de Dança do Ceará

Em espaços da Capital e do Interior, Bienal Internacional de Dança do Ceará De Par em Par completa uma década investindo na transversalidade de linguagens Ora imobilizados, ora em fluxo frenético. Sempre nus. No palco, 12 intérpretes se valem de movimentos para refletir sobre a história da humanidade. Assim fazendo, transformam-se em corpos-mapas: ao se doarem como instrumento artístico, permitem travessias por diferentes leituras e abstrações. "A nudez foi o melhor figurino que eu poderia colocar, tendo em vista que trabalhamos com movimentos interiores, de músculos. Não é uma ideia estética, mas dramatúrgica. A roupa é um aspecto social, então é preciso desencapar o corpo para revelar nossas origens. Se pudesse, tirava a pele", confessa o coreógrafo Guilherme Botelho, paulista radicado há mais de duas décadas na Suíça, país de origem do espetáculo "Antes", do qual é diretor. Após passar pelo Festival de Dança de Londrina, onde fez sua estreia em solo nacional, a…

A importância de dar sem esperar receber algo em troca

As carências e feridas nos cegam a ponto de esquecer do essencial Talvez você discorde, talvez você ache que esse tipo de amor é apenas quando um tira aproveito do outro, o que eu vou falar não é muito diferente. É a grande necessidade de só querer receber porque você acha que só você precisa. Só eu quero ser amada, Só eu quero ser cuidada, Só eu preciso ser ajudada, Só eu preciso disso. As carências e feridas nos cegam a ponto de esquecer do essencial: dê o seu melhor, mesmo que não receba nada em troca, dê tudo que você almeja receber, dê independente da dor que você carrega, do trauma que você viveu, das decepções que você passou. Acho que qualquer relacionamento, seja lá qual for o tipo, mas em especial o amoroso, não é só troca, é compartilhamento, ou seja, eu quero compartilhar tudo que tenho com você e isso inclui o meu melhor e o meu pior. Isso decorre de uma outra questão: todas as pessoas que passam pelas nossas vidas deixam algo: lição, experiência, sofrimento, alegria; seja l…