Destaque

Choram porque amam

Padre Geovane Saraiva* Como é bom rezar e colocar em primeiro lugar o mistério da redenção! Nem sempre, porém, sabemos rezar e nem d...

21 de dezembro de 2018

Plano de incentivo à leitura atinge mais de 50% das metas no Paraná

Em execução desde 2013 no Paraná, o Plano Estadual do Livro, Leitura e Leitura e Literatura (PELLL) recebeu o primeiro diagnóstico de resultados de suas ações para o incentivo à leitura e de acesso ao livro.
Os números, apresentados pela Comissão do Plano Estadual do Livro, Leitura e Literatura (Compelll) nesta semana, superaram as expectativas do conselho: 51% de todas as metas previstas no plano já foram atingidas nos primeiros cinco anos.
O Plano prevê que 100% dessas metas sejam executadas em dez anos. O levantamento foi feito pela Katru Assessoria em Informações, contratada pela Secretaria de Estado da Cultura.
O objetivo da pesquisa é mostrar um panorama das ações e metas que vêm sendo desenvolvidas pelo plano desde 2013 e seus principais impactos e resultados até o momento. Segundo o secretário de Estado da Cultura, João Luiz Fiani, os números já alcançados mostram o resultado de uma gestão que colocou a literatura e o livro como protagonistas. “São vários projetos do plano percorrendo os municípios, desde pequenas a grandes ações que tem levado o livro nas mãos das pessoas e também formado mediadores da leitura dispostos a incentivar essa área no Paraná”, disse.
Para a coordenadora do Plano, Tatjane Garcia, os números são motivo de vitória e vão nortear as ações desenvolvidas no Paraná nos próximos cinco anos. “Com a pesquisa podemos contemplar ações ainda mais eficazes, pois agora sabemos que atingimos mais da metade das metas em cinco anos. Agora vamos ver como e quais ações devem ser priorizadas até 2023 para o cumprimento do plano e aumento desse percentual em menos tempo”, afirmou.
A representante da Academia Paranaense de Letras no Compelll, Marta Moraes da Costa, também observa que a avaliação é uma oportunidade de tornar o plano ainda mais efetivo no Estado. “Antes estávamos realizando ações sem um mapa do resultado do nosso trabalho e agora temos um ponto de partida mais consistente para discutirmos no próximo ano o que devemos mudar rumo aos 100% das metas atingidas”, diz.
Segundo a diretora técnica da empresa Katru, Fátima Mottin, o ponto mais forte observado na pesquisa foi o impacto das ações na sociedade. “São muitos projetos nessa área sendo desenvolvidos e várias ações com impacto na sociedade civil que mostrou um papel muito importante nesse processo”, disse.
PELLL - O Plano trabalha com sete diretrizes, além de quatro eixos, que orientam a política do livro: a democratização do acesso ao livro e à leitura, formação de mediadores, valorização simbólica do livro e da leitura e desenvolvimento da economia do livro. Dentro desse planejamento, 44 ações são desenvolvidas para que as 53 metas estabelecidas no plano sejam cumpridas.
Pelo plano várias ações de estímulo à leitura e do acesso ao livro são realizadas. Só o Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura do Paraná (Profice) já contemplou 57 projetos nessa área: 29 já executados por escritores, mediadores de leitura e produtores culturais e 27 que ainda serão realizados no Estado até 2020, levando ações inovadoras para o Estado.
Um deles é o “De Caso com a Palavra”, idealizado pela escritora Cléo Busatto, que formou mediadores de leitura  e promove palestras literárias e fórum sobre leitura e literatura, à comunidade. O projeto se enquadra nos eixos 2 e 3 do Plano Estadual do Livro, Leitura e Literatura do Paraná e já capacitou 440 profissionais em 80 municípios com 25 ações desenvolvidas e mais de 5.300 pessoas beneficiadas.
Já o “Histórias dos Quatro Ventos – Encontros de Incentivo à Leitura”, de Luis Carlos Teixeira da Silva, fomentou a contação de história em diversos municípios realizando 150 encontros literários para incentivo à leitura, dirigidos gratuitamente a crianças de oito a 12 anos de escolas públicas em municípios da região metropolitana de Curitiba.
O projeto “Narrativas Itinerantes”, de Fabiane de Cezaro, percorre em 14 municípios de 7 diferentes regiões do Paraná  e promove o diálogo e a trocas nas oficinas para que que cada um encontre sua própria maneira de contar histórias, além de contribuir para a formação de novos contadores de histórias.
Outra destaque é o Projeto Agentes de Leitura Paraná que só em 2018 impactou mais de 35 mil pessoas com atividades como também a contação de histórias, rodas de leitura, oficinas de criação literária e bate-papo com escritores-pessoas.
Fonte: http://www.aen.pr.gov.br/
Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:
Em execução desde 2013 no Paraná, o Plano Estadual do Livro, Leitura e Leitura e Literatura (PELLL) recebeu o primeiro diagnóstico de resultados de suas ações para o incentivo à leitura e de acesso ao livro livro.  -  Foto: Divulgação SEEC

Literatura: Rio de Janeiro esconde pérola lusa

Literatura: Rio de Janeiro esconde pérola lusa
A rua Luís de Camões, no centro do Rio de Janeiro, esconde um legado da história comum de Portugal e do Brasil.
Real Gabinete Português de Leitura parece saído de um "decor" de cinema, como referem muitos dos turistas que por ali passam:
Didier Margouet: "Vemos bibliotecas assim no Harry Potter!"
Didier Margouet: "No cinema! Mas não na realidade... E nós já viajámos bastante! É maravilhoso..."
Eleita como a quarta biblioteca mais bonita do planeta pela revista Time, alberga a maior coleção de literatura portuguesa fora de Portugal.
Orlando Inácio, diretor do Real Gabinete Português de Leitura: "E um orgulho saber que essa biblioteca criada pelos portugueses é uma das mais bonitas do mundo."
Carlos Francisco Moura, escritor e historiador: "E a alma mater dos portugueses do Brasil, o Gabinete é tudo isso e mais alguma coisa!"
Apesar de hoje ser, sobretudo, uma atração turística da metrópole brasileira, o local reúne 350.000 livros, alguns dos quais bastante raros.

Fonte: https://pt.euronews.com

Pensamentos

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.

Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)

Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de sol, lua e estrelas. A estrutura tem cerca de 1,5 milhão de lâmpadas de Led. Ao redor da árvore, acontecem atividades culturais e feira gastronômica. Em outros pontos da cidade, estão montados palcos para shows culturais. Um deles foi montado em frente à Catedral Metropolitana.
Para vivenciar o nascimento de Jesus, em âmbito eclesial, as pessoas se reúnem, nas comunidades, para celebrar a novena do Natal em família. Na noite do dia 24, além das missas, nas 107 paróquias e áreas pastorais da Arquidiocese, na Catedral Metropolitana, no centro da capital, a celebração será às 20 horas, presidida pelo arcebispo, Dom Jaime Vieira Rocha.
Mensagem do arcebispo

Em mensagem dirigida aos fiéis, o arcebispo de Natal (RN), dom Jaime Vieira Rocha lembra que no Natal, “nós podemos perceber que a nossa fé nos coloca diante de eventos que manifestam a ternura divina, a ação salvífica de nosso Deus, “o Senhor, Deus misericordioso e clemente, paciente, rico em bondade e fiel, que conserva a misericórdia por mil gerações” (Ex 34,6).
O arcebispo também pede confiança aos fiéis, nesta época natalina: “celebremos o Natal com confiança. A fragilidade do Menino de Belém, que chega ao cume na Cruz, nas mãos e pés cravados por pregos e o lado aberto pela lança, é o Senhor exaltado à direita de Deus, o mesmo que espera por todos nós, para que onde Ele estiver estejamos nós também (cf. Jo 14,3).”
Colaboração: Cacilda Menezes

CNBB

Campanha Natal sem Fome distribui 200 toneladas em cestas básicas

Rio de Janeiro - Ação da Cidadania lança campanha Natal sem Fome no Aterro do Flamengo(Tomaz Silva/Agência Brasil)
Cerca de um milhão de pessoas serão beneficiadas pela campanha Natal sem Fome deste ano, que já arrecadou 200 toneladas de alimentos.
O projeto, que esteve suspenso por 10 anos, precisou ser retomado no último ano em razão do aumento no número de pessoas que vivem na extrema pobreza, totalizando 24,8 milhões, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
O coordenador da campanha, Kiko Afonso, alerta para o problema da fome no Brasil. “Só quatro anos depois de sair do mapa da fome da ONU (Organização das Nações Unidas), o Brasil corre o risco de retornar. A sensação é um misto de tristeza com vontade e alegria de ver que as pessoas ainda são solidárias nesse país”, afirmou.
No Rio de Janeiro, cerca de 200 comitês, formados por associações de moradores, ONGs e outras entidades receberam as cestas básicas.  Eles serão os responsáveis por repassar os alimentos às famílias carentes de toda Região Metropolitana do Rio de Janeiro.
A responsável pelo comitê da Praia de Mauá, que atende a comunidade pesqueira, Maria do Nascimento, conta que a comida fará muita diferença para as 100 famílias de pescadores da sua região.
“É só alegria, porque lá em Mauá, nós que vivemos da pesca, somos famílias muito sofridas porque é desemprego. Teve o derramamento de óleo que aconteceu em 2000, agora teve outro vazamento, e é uma alegria porque esse alimento vai ser muito significante para as famílias que não têm trabalho porque sobrevivia da pesca. Vai ser um natal diferente, com comida na mesa”, destacou.

Doações

Embora já tenham começado a distribuir as cestas, ainda é possível contribuir por meio do site do Natal sem Fome. O coordenador Kiko Afonsa explicou que o alimento será distribuído conforme for chegando.
“No ano passado conseguimos arrecadar pouco mais de 800 toneladas e ajudamos 400 mil pessoas pelo Brasil inteiro. Neste ano, a gente está tentando ampliar para um milhão de pessoas. Nossa meta é esta e ainda estamos recebendo doações do Brasil todo”, disse.
Criada em 1994, a campanha Natal sem Fome é uma iniciativa do movimento social Ação da Cidadania e já ajudou dezenas de milhões de pessoas por todo o país.
*Estagiária sob supervisão de Vitor Abdala

Agência Brasil