Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto 7, 2019

Toni Morrison: os livros disponíveis no Brasil

Escritora americana deixou uma obra concisa mas poderosa: foram 11 romances entre 1970 e 2015, nove deles publicados no Brasil pela editora Companhia das Letras. (2012) Toni Morrison é homenageada com a Medalha Presidencial da Liberdade pelo então presidente americano, Barack Obama. (AFP) A escritora norte-americana Toni Morrison, que morreu nesta segunda-feira, 5, em Nova York, aos 88 anos, deixou uma obra concisa mas poderosa. Foram 11 romances entre 1970 e 2015, nove deles publicados no Brasil pela editora Companhia das Letras. Ao longo dos anos, a escritora desenvolveu uma prosa seca, direta, desprovida de dramalhões, e com uma ponta, ainda que pequena, de otimismo. Habituou-se ainda a tratar de temas fortes em sua ficção, como pedofilia, prostituição, preconceito racial. Por isso, ganhou o Prêmio Nobel de Literatura em 1993, tornando-se a primeira mulher negra a ser honrada com a premiação. Veja a seguir uma lista com os livros de Toni Morrison disponíveis no Brasil

Fazenda Não Me Deixes, em Quixadá, é opção turística que resguarda vida de Rachel de Queiroz

Por Diego Barbosa,  diego.barbosa@verdesmares.com.br Em pleno Sertão Central cearense, o espaço é afetuoso relicário de histórias e conserva, imaculada, a herança da autora em nossas letras Antes de dobrar à direita, despedindo-se do asfalto irregular, o sol ainda mora no céu. Passado o limite, confunde-se com os tons do chão. Parece lá residir, junto à poeira amarelada, alicerce das árvores de galho retorcido. A paisagem ali, ao passo que engole, também abraça.  Guarda a expectativa para o lar mais à frente , avolumado por ter pertencido durante tanto tempo sob posse de pessoa ilustre, dama maior das letras cearenses e inveterada personalidade nos escritos brasileiros, de hoje e sempre. "Não nasce mais uma pessoa como Rachel de Queiroz", diz amiga da autora, que a conheceu aos 9 anos A Fazenda Não Me Deixes, enquanto recanto preferido da escritora - falecida em 2003 e, embora natural de Fortaleza, com forte apego a Quixadá, município em que construiu a morada

Caixa Cultural do Rio recebe mostra fotográfica sobre o Japão

Tânia Rêgo/Agência Brasil Para divulgar o Japão e a cultura japonesa no Brasil, como parte dos preparativos para as Olimpíadas Tóquio 2020, a Caixa Cultural do Rio de Janeiro abriu  ontem  (6) a exposição fotográfica Tóquio Antes/Depois. São cerca de 80 imagens da capital japonesa, tiradas nos anos 1930 e 1940 e na atual década de 2010. A curadoria do crítico de fotografia Kotaro Lizawa revela a evolução histórica da megalópole, de uma cidade que começava a se modernizar, em meio a fortes tradições, no período do entreguerras, até a cidade tecnológica, iconográfica, multicultural e tomada por arranhas céus da atualidade. A mostra é uma parceria da Caixa com o Consulado-Geral do Japão no Rio  de Janeiro e a Fundação Japão, dentro das atividades do mês do Japão, promovido pelo consulado. De acordo com a vice-cônsul do Japão no Rio  de Janeiro , Keiko Kikuchi, a marca da exposição é o contraste, com o objetivo de despertar nos brasileiros o interesse pelo país do sol nascente.