Pular para o conteúdo principal

Caixa Cultural do Rio recebe mostra fotográfica sobre o Japão

 O Consulado-Geral do Japão e a Fundação Japão, apresentam uma exposição fotográfica que retrata o passado e presente de Tóquio, a megalópole que atrai tantos olhares.
Tânia Rêgo/Agência Brasil
Para divulgar o Japão e a cultura japonesa no Brasil, como parte dos preparativos para as Olimpíadas Tóquio 2020, a Caixa Cultural do Rio de Janeiro abriu ontem (6) a exposição fotográfica Tóquio Antes/Depois. São cerca de 80 imagens da capital japonesa, tiradas nos anos 1930 e 1940 e na atual década de 2010.
A curadoria do crítico de fotografia Kotaro Lizawa revela a evolução histórica da megalópole, de uma cidade que começava a se modernizar, em meio a fortes tradições, no período do entreguerras, até a cidade tecnológica, iconográfica, multicultural e tomada por arranhas céus da atualidade.
A mostra é uma parceria da Caixa com o Consulado-Geral do Japão no Rio de Janeiroe a Fundação Japão, dentro das atividades do mês do Japão, promovido pelo consulado. De acordo com a vice-cônsul do Japão no Rio de Janeiro, Keiko Kikuchi, a marca da exposição é o contraste, com o objetivo de despertar nos brasileiros o interesse pelo país do sol nascente.
“Esses fotógrafos mostram vários atrativos de Tóquio. Espero que esta exposição possa abrir caminhos e despertar interesses para que os brasileiros visitem o Japão durante os jogos. Em 2020 Tóquio sediará os jogos, então estamos comemorando este momento histórico”.
Compõem a mostra obras publicadas na revista Koga, no livro Nippon (Japão, em japonês) e do fotógrafo Kineo Kuwabara, na parte do Antes. As obras do Depois são de Nobuyoshi Araki, Shintaro Sato, Motoyuki Daifu, Daido Moriyama, Shinya Arimoto, Kenta Cobayashi, Mika Ninagawa e Natsumi Hayashi.
No Rio de Janeiro, a exposição pode ser vista até o dia 15 de setembro. O trabalho já passou por Brasília, entre maio e junho, e Curitiba, de junho a julho. Depois do Rio, a exposição Tóquio Antes/Depois poderá ser vista em Manaus, Recife e São Paulo.

Mostra de cinema

A exposição na Caixa será acompanhada de uma mostra de cinema com abordagem histórica, que vai apresentar obras que retratam também estes dois momentos na história da sétima arte japonesa. A entrada é franca, com distribuição de ingressos uma hora antes de cada sessão, que ocorrerão aos sábados e domingos, nos dias 10, 11, 17, 18 e 31 de agosto e 1º de setembro. A programação pode ser conferida no site da Caixa Cultural.
Dentro da mostra, a vice-cônsul destaca uma animação da década de 1990. “Eu posso recomendar o Crayon Shinchan - Bravo! Grande batalha de Samurais, um filme de animê de 1992. Quando eu era criança eu gostava muito de assistir esse animê, ele trata do cotidiano de um garoto muito bagunceiro, que sempre leva bronca da mãe”.
Outras atividades do Mês do Japão no Rio de Janeiro incluem a Expo Origami, de dobraduras de papel, que pode ser vista até o dia 23 de agosto no Centro Cultural e Informativo do Consulado, na Praia do Flamengo número 200, com entrada franca; e a homenagem que o país receberá na Bienal Internacional do Livro, que começa no dia 30 de agosto e terá um espaço dedicado no Pavilhão 4. Foram convidados três autores japoneses para dar palestras no evento.
Agência Brasil

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…