Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro 30, 2019

2020: Por um Brasil mais justo e menos desigual

Mais um ano findando. Um novo ano se aproxima e, com ele, renovam-se as esperanças, de um mundo melhor, de um Brasil mais justo e menos desigual, com redução dos índices de violência, com mais prosperidade, harmonia e paz; e se esticar um pouquinho mais, quem sabe acertar os números da megasena da virada do ano. Observando os jornais televisivos e as retrospectivas feitas, uma constatação fica bem clara: só notícia ruim. O desastre de Brumadinho. Os protestos ocorridos no C hile, em Hong Kong, a greve na França, o aumento dos índices de feminicídio, o poderio do crime organizado e suas chacinas, a mancha de óleo despejada por um navio misterioso que poluiu o litoral nordestino, a interminável ‘lenga lenga’ entre os ardorosos defensores de Lula e de Bolsonaro nas redes sociais, os desatinos de Donald Trump e de Bolsonaro e suas eternas rixas com a imprensa, as decisões vergonhosas do STF, a reforma da Previdência – a menina dos olhos da imprensa e dos banqueiros e investidores in

O futuro que nos rodeia

Há coisas que estão aí, no dia a dia, mas que, mais cedo ou mais tarde, serão engolidas pelo futuro Estariam os táxis em extinção? (Unsplash/ Lexi Ruskell) Afonso Barroso* Falo em tomar um táxi para ir a um endereço em bairro distante, mas o neto Felipe, do alto dos seus 16 anos, me faz um alerta: — Que isso, vô? Táxi é coisa do passado. Como coisa do passado, penso eu, se os táxis estão aí aos milhares pelas ruas com suas placas vermelhas à disposição de passageiros apressados? Enquanto penso, ele já vai completando: — Hoje tem Uber, vô. Táxi já era. Vá de Uber – e aponta as vantagens da nova modalidade de transporte nos chamados carros de praça. A principal delas é ser mais barata. De fato, pegar um Uber custa bem menos. E de repente me vejo pensando nas constantes mudanças deste mundo louco. Dou-me conta de coisas que ainda estão aí, no dia a dia, mas têm presença transitória. Mais cedo ou mais tarde serão engolidas pelo futuro. Exemplo muito próximo está bem aqui do

Com novo visual, Museu das Invenções terá visitas guiadas em janeiro

Museu também terá brincadeiras e programação infantil Depois de uma reforma em setembro, o Museu das Invenções, em São Paulo, vai promover uma programação especial nas férias de janeiro, com atividades lúdicas, brincadeiras e visitas guiadas. Também conhecido como Inventolândia, o Museu das Invenções foi criado em 1996 e é o único do gênero na América Latina, segundo a diretora, Daniela Mazzei. Com um acervo composto de mais de 300 invenções, o museu abriga objetos que derivaram de ideias inusitadas e inovadoras de brasileiros, tais como a boia espaguete (ou macarrão, utilizado em praias e piscinas) e a calculadora científica, que são conhecidos e utilizados no mundo todo. Boia espaguete é uma das invenções brasileiras expostas no Museu das Invenções -  Elaine Cruz/Agência Brasil “Temos aqui cases de sucesso como a boia espaguete, que está no dia a dia de todo mundo; a maca para animais que pensa na acessibilidade e na deficiência de cachorros que estão com a pata mac