Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro 2, 2019

Secult Ceará lança Comenda Patativa do Assaré 2020 e recebe indicações de nomes para homenagem

Podem participar  poetas, artistas e pesquisadores(as) com notório mérito no âmbito da cultura popular tradicional Quem você indicaria para receber a Comenda Patativa do Assaré e celebrar a cultura popular tradicional? A Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult) lança a  Comenda Patativa do Assaré 2020 e, entre os dias 29 de novembro a 13 de dezembro de 2019, recebe indicações de nomes para receber esta importante homenagem. A condecoração é dada a personalidades, artistas, poetas, cantadores, pesquisadores(as) que se destacaram por suas relevantes contribuições à Cultura Popular Tradicional. Nesta edição, 5 (cinco) agraciados(as) receberão a comenda. As indicações podem ser feitas através de um formulário online,  clique aqui para acessar. Na mais recente edição da Comenda Patativa do Assaré, o Conselho Estadual de Política Cultural do Ceará (CEPC) aprovou, em maio de 2019, os nomes dos agraciados, também após indicação aberta ao público. A folclorista Elzenir Colares,

Milton Hatoum: a volta do narrador desgarrado

O escritor retoma trilogia sobre a ditadura no volume 'Pontos de Fuga', com debate no projeto 'Sempre um Papo', nesta se gunda-feira (2) Repressão: Romance de Milton Hatoum tem a ditadura militar como pano de fundo Aos 67 anos, Milton Hatoum anda evitando falar sobre política. O assunto, ele diz, o deixa desgostoso e amargurado. O escritor confessa que prefere mesmo é debater sobre literatura: “É sempre muito mais viva”. O problema é que o tema sensível é inescapável, já que o livro “Pontos de Fuga” (Cia. das Letras, 312 páginas, R$ 49,90) tem como pano de fundo a ditadura militar brasileira em seu momento mais agudo e truculento, nos anos 70. Para ele, o lançamento do livro em um momento de extrema tensão política foi uma espécie de triste coincidência. “Me assusta ver, hoje, pessoas evocando o AI-5, que foi a coisa mais antidemocrática que existiu”, avalia Hatoum, que participa nesta segunda do projeto Sempre Um Papo, a partir das 19h30, na sala Juvenal Dias

"Alucinação", novo livro de Daniel Perroni Ratto, reverencia Belchior com poemas para incomodar

Daniel Perroni Ratto teve uma infância culturalmente privilegiada ao ser criado em meio ao Pessoal do Ceará. À época, entre outras vivências, era costume a voz de Belchior passear por entre os ouvidos e, já ali, em tenra idade, motivar uns versos e postura crítica perante o mundo e a vida. A alta voltagem do que escutou logo traduziu-se em poemas, os quais encontram-se reunidos no novo livro do autor paulista,  "Alucinação" . Lançada em Fortaleza, a obra chega às mãos do público com importante reconhecimento: é a vencedora do  Prêmio Guarulhos de Literatura 2019 , na categoria Escritor do Ano. Dividido em cinco capítulos e publicado pela Editora Algabora - de propriedade do autor - o exemplar configura-se, conforme Ratto, como um "livro de guerrilha, alerta, de botar o dedo na ferida, incomodar o status quo, a cultura hegemônica". Tal característica esparrama-se, de maneira inteligente, por entre cada parte do material -  prefaceado por Vanderley Mendonça , do