Destaque

Choram porque amam

Padre Geovane Saraiva* Como é bom rezar e colocar em primeiro lugar o mistério da redenção! Nem sempre, porém, sabemos rezar e nem d...

5 de agosto de 2016

Livraria Escritores do Ceará

Quem escreve sabe que, para além do desafio de escrever, de criar enredos, de desenvolver personagens, de concatenar as histórias, de tecer poemas, está a dificuldade em publicar um livro.  
Ultrapassado o desafio de publicar um livro, cujo custo financeiro nunca é barato, eis que vem as dificuldades para fazer um lançamento de sucesso, com público e divulgação. Então passa-se à etapa da distribuição. Editoras são muitas e com excelente qualidade gráfica. A falha está na distribuição.  
Aí começa o martírio do escritor. Diga-se de passagem, o martírio do escritor independente.  
As grandes redes de livrarias não demonstram qualquer interesse em expor as obras de um autor independente, de lê-las ou mesmo indica-las. Raramente. E quando aceitam receber o livro desse escritor, não lhe conferem um lugar de destaque em suas prateleiras. Isso acontece em todo o Brasil, no Oiapoque ao Chuí. 
Aqui no Ceará, a coisa não é muito diferente. Você encontra livros de autores do mudo inteiro, de Bangladesh a Jacarta, de Moscou a Nova Iorque, do Sudão ao Alasca. Procure o livro de um autor cearense independente e dificilmente encontrará, a não ser os clássicos de José de Alencar e Rachel de Queiroz.  
Mostrando aguçada sensibilidade, o ex-governador e exímio poeta Gonzaga Mota, resolveu criar e montar a Livraria Escritores do Ceará, um espaço agradável e aconchegante destinado às obras escritas por autores cearenses. 
Na Livraria Escritores do Ceará encontramos livros de poemas, contos, literatura infantil, romance, haicais, cordéis .... Uma infinidade de universos literários enriquecida pela variedade de temas e de estilos que revelam a riqueza de nossa cultura, a fertilidade da produção literária contemporânea. É um mundo inteiro de literatura a desvendar.  
A literatura cearense contemporânea vem apresentando muitos autores novos, especialmente na seara do romance, uma nova geração desponta com temas e enredos instigantes, narrativas eloquentes e envolventes, que vão da ficção propriamente dita ao fantástico. Essa descoberta pode surpreender a muitos, tal qual a mim. 
Parabéns ao poeta Gonzaga Mota pela empreitada vanguardista e que, a partir dessa louvável iniciativa, surjam outras ideias e maneiras de valorizar e prestigiar a produção literária feita por escritores cearenses, que agora têm o seu espaço. 
A Livraria Escritores do Ceará aguarda os escritores e os leitores de braços abertos. Vale a pena conferir. 

Grecianny Carvalho Cordeiro 
Promotora de Justiça 

ABANDONAR-SE EM DEUS

Padre Geovane Saraiva*
No encontro da Fraternidade Jesus+Caritas deste ano de 2016 do Nordeste, nos dias 26 e 27 de julho, foi enfocado o centenário do martírio do bem-aventurado Charles de Foucauld. Lindolfo Euqueres, irmãozinho do Evangelho de João Pessoa, ajudou-nos a viajar pelo Deserto do Saara, fixando-nos em Tamanrasset, lugar abençoado e amado pelo Irmão Carlos de Foucauld. Lá ele passou os últimos onze anos de sua vida, derramando seu sangue na areia daquele abençoado deserto (1/12/1916). Também não nos esquecemos de visitar, pelo estudo do irmão Lindolfo, a cidade de El Golea, na Argélia. Lá se encontram os restos mortais do nosso amigo e pai espiritual.

Como seria maravilhoso se cada pessoa soubesse compreender o valor das virtudes cristãs, a partir da simplicidade, da entrega e do despojamento, abraçando, de todo o coração, numa profunda compreensão aos olhos da fé, o projeto do Deus-amor na sua beleza, preciosidade sublime e elevada, único e maior tesouro, a ponto de se distanciar da lógica do poder, da vaidade e da ganância! Tudo por causa do  encontro com o absoluto de Deus, tendo como condição sine qua non a busca do último lugar, a conversão permanente, a Eucaristia como o eixo, a oração do abandono e o Evangelho da Cruz.

Numa sociedade contrária ao projeto de Deus, proclamado por Jesus de Nazaré, que tem como princípio subir na vida, somos chamados a escutar o clamor de Deus no mais íntimo da consciência. No mundo com o estigma da insensatez e da ausência de corações generosos e solidários, somos desafiados, à luz do Evangelho, de modo concreto, a mudar nosso estilo de vida. Na parábola do agricultor rico e insensato, fechado em si mesmo e voltado para a lógica do acúmulo, que o esvazia e desumaniza, de armazenar e crescer a segurança de seu bem-estar, Jesus deixa claro que tudo dele é loucura e tem por fim a frustração e fracasso total.

O belo texto Em busca do último lugar, do Padre Günter Lembradl, muito nos ajudou, no sentido de compreender o referido tema, a partir do seguinte paradoxo: “Descer só pode quem já tem uma vida cheia; cheia de amor e de misericórdia, como Jesus Cristo que, estando na forma de Deus, renunciou ao direito de ser tratado como Deus. Pelo contrário, esvaziou-se a si mesmo e tomou a forma de servo, tornando-se semelhante aos homens. E sendo encontrado na figura de homem, rebaixou-se ainda mais, fazendo-se obediente até à morte, e morte de cruz (cf. Fil. 2, 5ss). O último lugar não é um lugar já definido e pronto que alguém pode escolher, mas é a opção de vida de alguém de abandonar-se nas mãos de Deus, deixar-se guiar por Ele. Ao último lugar se chega após uma longa caminhada de descer. Buscar o último lugar é para gente corajosa que não tem medo de enfrentar aventuras”.

Aprendamos com Charles de Foucauld, que, ao levar a Eucaristia para os irmãos no Deserto do Saara, ofereceu-lhes a mesma ternura e compaixão do Filho de Deus, com uma enorme vontade de ser amigo de todos, bons e maus, de amar a todos, indistintamente. Quis ser, de verdade, o irmão universal, assemelhando-se a Jesus de Nazaré em tudo, sobretudo na sua paixão e calvário. Amém!

*Pároco de Santo Afonso e vice-presidente da Previdência  Sacerdotal, integra a  Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza -geovanesaraiva@gmail.com

ACERVO: Há 39 anos, Rachel de Queiroz é eleita para a Academia Brasileira de Letras

A eleição aconteceu no Rio de Janeiro


No dia 03 de agosto de 1977, a escritora cearense Rachel de Queiroz, foi a primeira mulher a ingressar na Academia Brasileira de Letras. Leia mais sobre a conquista na página ao lado.
O Povo

Aos 50 anos, morre cantor e compositor Vander Lee

O artista que compôs canções interpretadas por nomes como Elza Soares, Gal Costa e Maria Bethânia, faleceu hoje em Belo Horizonte

O cantor Vander Lee morreu nesta sexta-feira, 5. Ele estava internado no Hospital Madre Teresa, em Belo Horizonte, devido a um infarto sofrido enquanto fazia hidromassagem. Ele havia passado por cirurgia na noite de ontem, 4, após a internação.
O mineiro possuía uma jornada de 30 anos no mundo da música, oito CD’s lançados e composições que ganharam o Brasil nas vozes de Gal Costa, Alcione, Maria Bethânia, Fábio Jr., Fagner, Elza Soares, Luiza Possi, Margareth Menezes, Daniela Mercury, Elba Ramalho, e outros. Seu trabalho mais recente, entitulado com seu nome, trouxe grandes sucessos compostos por ele e que antes haviam sido cantados apenas por outros artistas.
Esperando aviões, Onde Deus possa me ouvir, Pensei que Fosse o Céu e Alma Nua são algumas das grandes canções assinadas por Vander Lee. Ele esteve em Fortaleza recentemente para divulgar seu novo trabalho, em show no Cineteatro São Luiz. Anteriormente, ele já havia estado na capital para o Estacionamento da Música, em 2015, e no projeto MPB Petrobras, em 2012. 
FÁBIO LIMA
Muitas de suas composições fizeram sucesso em nomes da música nacional como Luiza Possi e Alcione, entre outros
O músico Isaac Cândido , que produziu os primeiros shows de Vander Lee em Fortaleza, foi surpreendido com a notícia durante a manhã e lamentou a morte do amigo. “Eu o conheci em meados de 97 na casa de uma amiga. A gente passou a madrugada tocando violão. Dois anos depois, fui morar no Rio e o encontrei quando a Gal já estava gravando uma música dele. Era muito tranquilo trabalhar com ele, todo dia ele queria ir à praia quando estava em Fortaleza. Era um amigão”, diz.  
Rogério Flausino, vocalista do JotaQuest e o Padre Fábio de Melo são alguns dos famosos que já usaram as redes sociais para lamentar a morte de Vander Lee. 

Redação O POVO Online

Selena Gomez, Anitta e Tiago Iorc no Z Festival

O Z Festival ocorre desde 2011 no Brasil e traz atrações conhecidas entre os adolescentes.


O festival ocorre no dia 10 de dezembro, no Allianz Parque em São Paulo.
O festival ocorre no dia 10 de dezembro, no Allianz Parque em São Paulo.
Depois de muitas especulações sobre o lineup do Z Festival 2016, eis a confirmação: Selena Gomez será a atração principal do evento, a única artista internacional confirmada. O festival ocorre no dia 10 de dezembro, no Allianz Parque em São Paulo.

Além dela, Anitta, Projota, Tiago Iorc, Manu Gavassi e Larissa Manoela também vão se apresentar. Os ingressos começam a ser vendidos no dia 16 de setembro, mas os valores ainda não foram divulgados.

O Z Festival ocorre desde 2011 no Brasil e traz atrações conhecidas entre os adolescentes. Demi Lovato, McFly, Justin Bieber e Fifth Harmony são alguns dos artistas que já fizeram parte do lineup do festival.

Há rumores de que Selena Gomez faria mais três shows da Revival Tour, mas até agora nenhuma informação foi confirmada.

Agência Estado

Ameaça cibernética nas eleições nos EUA

WikiLeaks divulgou cerca de 20.000 pirateados das contas de sete dirigentes do partido.


Será querackers alterar as eleições americanas? Ataques podem atrapalhar Hillary ou Trump.
Será querackers alterar as eleições americanas? Ataques podem atrapalhar Hillary ou Trump.
Podem os alterar as eleições americanas? Depois do vazamento em massa de comprometedores do Partido Democrata, especialistas em segurança temem que os ciberataques dirigidos do exterior estejam tentando alterar a corrida para a Casa Branca.
"As motivações podem ser muito diversas", opina Bob Hansmann, da empresa especializada em segurança informática Forcepoint. "Pode se tratar de perturbar, desacreditar, ou comprometer um candidato. Ou de transtornar todo o sistema político", advertiu.
Em 22 de julho, três dias antes da inauguração da na Convenção Nacional Democrata, na qual Hillary Clinton foi indicada candidata, o WikiLeaks divulgou cerca de 20.000 pirateados das contas de sete dirigentes do partido.
Revelando o menosprezo de algumas lideranças democratas pelo então pré-candidato Bernie Sanders, rival de Hillary nas prévias, a exposição dessas mensagens ofuscou o início da grande festa democrata e colocou os envolvidos em uma saia-justa.
Esse ataque virtual "foi o último aviso de que informações que têm um grande valor interno podem ser usadas como armas, se forem publicadas", disse Steve Grobman, da IntelSecurity.
Segundo ele, esse ataque é "um exemplo de uma iniciativa de ciberativistas, cujo objetivo é roubar informações sensíveis de uma organização e publicá-las, de modo a maximizar o dano à sua reputação, a suas operações, ou a seu funcionamento".
As equipes de campanha são alvos fáceis, segundo Bob Hansmann, já que têm um grande número de empregados e voluntários que se deslocam constantemente, equipados, em geral, com seus computadores e smartphones pessoais, não necessariamente dotados dos melhores sistemas de segurança. 'O alvo é o processo democrático'
A hipótese de que russos estejam atrás do ataque, como afirmam vários funcionários e especialistas, acentuou os temores de uma intervenção estrangeira na campanha eleitoral americana, que termina em 8 de novembro.
Apesar de a Rússia negar qualquer envolvimento, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, deu a entender, na semana passada, que essas acusações contra Moscou estão no âmbito do possível.
Os Estados Unidos "dispõem de medidas que permitem impor sanções, se obtivermos as provas de um ataque mal-intencionado proveniente de um ator vinculado a um Estado", declarou Obama.
O FBI (a Polícia Federal americana) investiga o caso, mas ainda não chegou a qualquer conclusão. "Esse tipo de ciberataque tem como alvo nosso próprio processo democrático", denunciou Bruce Schneier, do grupo especializado em Segurança Resilient, ligado à gigante IBM.
"E isso coloca a hipótese de um problema ainda mais grave em relação a novembro, pelo fato de nosso sistema eleitoral e nossas máquinas de votação poderem ser vulneráveis a um ataque parecido", alerta Schneier no em um. O voto eletrônico está proposto em vários centros de votação dos Estados Unidos.
Se o roubo de mensagens eletrônicas dos democratas tiver sido feito por russos, "terá sido uma ação temerária", avalia o especialista em Tecnologias Estratégicas James Lewis, do Center for Strategic and Internacional Studies (CSIS), de Washington.
O roubo dessas mensagens do partido de Hillary Clinton tem, segundo ele, todas as características de uma invasão virtual russa. "Eles habitualmente conseguem disfarçar melhor seus rastros", alegou. "Os russos se sentem envolvidos em um novo conflito, no qual o controle da informação é uma ferramenta e até uma arma", garantiu.
"Consideram que as instituições ocidentais controlam a forma como o mundo percebe as coisas e sentem a necessidade de enfrentá-las", completou. "Há indícios tangíveis que indicam que indivíduos que agem sob a direção, ou sem nome da Rússia - o grau de coordenação não está claro - estão tentando usar" os dados confidenciais roubados de grandes organizações "para influir na eleição presidencial americana", garante o especialista em Segurança Nacional Susan Kennessey, no Brookings Institution, em Washington, no especializado Lawfare.
"Estamos frente à questão de como elaborar uma resposta que nos permita proteger nossas instituições democráticas", completou.

AFP

Governo cria grupo de trabalho para elaborar projeto de plano de saúde popular

Andreia Verdélio - Repórter da Agência Brasil
O Ministério da Saúde criou hoje (5) grupo de trabalho para discutir e elaborar o projeto de plano de saúde acessível. A portaria foi publicada no Diário Oficial da União e entra em vigor hoje, data em que se comemora o Dia Nacional da Saúde.
A criação de uma espécie de plano de saúde mais popular, com custos menores, é defendida pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros, em uma tentativa de aliviar os gastos do governo com o financiamento do Sistema Único de Saúde (SUS).
A proposta de Barros consiste em oferecer planos de saúde com menos serviços do que o que foi definido pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) como cobertura mínima obrigatória. A adesão a esse tipo de plano seria voluntária. Atualmente, a ANS, órgão responsável por regular o setor de planos de saúde, tem um rol de procedimentos obrigatórios que todas as empresas devem oferecer aos clientes.
Conselho Nacional de Saúde (CNS) já se manifestou contra a proposta do ministro. Para os conselheiros, a criação de um plano de saúde "popular" não resolveria os problemas do sistema de saúde do país e enfraqueceria a rede pública. O conselho defende mais recursos públicos para o SUS e saúde pública de qualidade para todos com os impostos já pagos pelos cidadãos.
A proposta também gera polêmica no setor. Enquanto as operadoras de planos de saúde apoiam uma revisão das regras setoriais, os profissionais ligados à saúde coletiva dizem que as medidas trariam perdas para o SUS.
Grupo de Trabalho
O grupo de trabalho criado hoje terá 60 dias para apresentar seu relatório final. O prazo pode ser prorrogado uma única vez pelo mesmo período.
Ele será composto por representantes do Ministério da Saúde, da ANS e da Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização. A coordenação do grupo, a cargo do ministério, poderá, entretanto, convidar representantes de outros órgãos e entidades, públicas e privadas, além de pesquisadores e especialistas.
Para a apresentação da proposta do novo plano, o grupo deverá elaborar documentos técnicos para qualificação do projeto e realizar estudos de impacto financeiro.

Através do esporte, projeto Remar promove inclusão de pessoas com necessidades especiais

Trabalho Social Voluntário é algo presente na vida da pedagoga e estudante de Educação Física Michelly Alcântara. Ela é  voluntária no Projeto Remar. "É assim que procuro me tornar um ser humano melhor, através do trabalho realizado para pessoas com necessidades especiais”, afirma Michelly.

Fotos: Arquivo Pessoal
Michelly, outros voluntários e alunos em momento de atividades de reabilitação e socialização do projeto
Segundo o dicionário da língua portuguesa, "remar" significa manobrar os remos para fazer avançar a embarcação. É exatamente isso que Michelly Alcântara e seus amigos voluntários buscam com o Projeto Remar.  As manobras são cheias de amor, doação e muita força de vontade.Todos em busca da inclusão social de pessoas que possuem algum tipo de deficiência.

O Projeto Remar é um projeto social sem fins lucrativos que visa promover a inserção de pessoas com deficiência à pratica de esportes de aventura aquática, com atividades de reabilitação, socialização e lazer de forma lúdica. As atividades acontecem na Lagoa do Colosso, em Fortaleza. A pedagoga e estudante de Educação Física Michelly Alcântara é  voluntária no Projeto Remar.”É assim que procuro me tornar um ser humano melhor, através do trabalho realizado para pessoas com necessidades especiais”, afirma Michelly, que conta à Agência da Boa Notícia (ABN) sobre o projeto e sua experiência na realização desse trabalho.

(Agência da Boa Notícia) - Como o projeto chegou até você?
Michelly Alcântara - Sou pedagoga e estou no último semestre de Educação Física na  Estácio. Conheci o Projeto Remar através do professor Vicente, na disciplina de esportes adaptados. Ele sempre pede para os alunos vivenciarem o esporte adaptado lá no projeto. É uma experiência totalmente diferente. Hoje, vejo as pessoas com necessidades especiais  com outro olhar. É com a convivência que aprendemos a ajudar a essas pessoas. Assim, essa passou a ser a minha causa.

(ABN) - Como o projeto se mantém? Quantas pessoas são beneficiadas?  
O espaço e os materiais são  cedidos pelo proprietário da Lagoa do Colosso. O projeto é para qualquer pessoa com deficiência sejam  crianças, jovens e  idosos. Atualmente, temos 60 alunos.

(ABN) - Quais atividades são desenvolvidas? 
As atividades esportivas são direcionadas por profissionais de Educação Física e acadêmicos dessa área, como também a participação de outros profissionais como fisioterapeutas, turismólogos, psicólogo, pedagogos e instrutores esportistas. Todos são voluntários. As atividades são adaptadas de acordo com a especificidade de cada deficiência. Cada aluno tem um fichário com dados pessoais e médicos, para que seja feito um trabalho individualizado de acordo com as necessidades de cada pessoa. São atendidas pessoas com deficiência intelectual, motora, sensorial e múltipla. O projeto objetiva oportunizar a inclusão das pessoas no esportes de aventura, oportunizando novas  vivências num ambiente aquático com contato direto com a natureza, através da prática do remo no caiaque e stand-up, o qual estimula o trabalho de força, coordenação, equilíbrio, abdômen, braços e pernas; onde a pessoa rema de pé sobre uma prancha.

(ABN) - Quais os principais desafios para seguir com o trabalho voluntário?
Nossa carência, hoje,  são materiais para a prática dos esportes como: caiaques e salva vidas; e mais voluntários que tenham  compromisso com o voluntariado. O projeto é mantido por doações.

(ABN) E os avanços alcançados?
Os benefícios de um esporte praticado por pessoas com deficiências não se resumem só aos praticantes, mas também  aos seus familiares, pois a evolução em cada movimento, nas capacidades físicas, saber que elas também podem ir muito mais além, isso as motivam e aumenta sua autoestima. A interação entre os familiares é de grande importância, pois é através da troca de experiências que dividem suas dificuldades, conquistas, assim se tornam mais fortes pra lutarem pela mesma causa: inclusão.

Serviço
Projeto Remar
Todas às quartas feiras de 8h às 10h, na Lagoa do Colosso
 Avenida Hermenegildo Sá Cavalcante, bairro Edson Queiroz , Fortaleza

Boa Notícia

Palavras parecidas, significados diferentes. Clube do Português indica três casos e como resolvê-los

Na nova coluna, Pedro Valadares, coordenador do projeto, esclarece três situações cotidianas em que termos parecidos, mas com significados diferentes, confundem a escrita e até mesmo a comunicação oral.

Foto: Reprodução / Internet
Pode até não parecer, mas o português é uma das línguas mais faladas do mundo. Isso mesmo, ela está presente em pelo menos quatro continentes. É a única língua oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal e São Tomé e Príncipe. É também uma das línguas oficiais da Guiné Equatorial (com o espanhol e o francês), de Timor-Leste (com o tétum) e Macau (com o chinês). No entanto, apesar do tamanho da comunidade de seus falantes e da qualidade da literatura, o português é ainda uma língua pouco difundida. A complexidade gramatical é um dos fatores que dificultam o aprendizado.

Um dos objetivos do Clube do Português é oferecer conteúdo prático, descontraindo o aprendizado da língua. Na nova coluna, Pedro Valadares, coordenador do projeto, esclarece três situações cotidianas em que termos parecidos, mas com significados diferentes, confundem a escrita e até mesmo a comunicação oral. Não deixe de conferir, ainda, o bônus que o jornalista criou para os leitores da coluna.


Há expressões que nos confundem por terem sonoridade similar. É o caso da dupla “círculo vicioso” e “ciclo vicioso”. A expressão correta é “círculo vicioso”, pois se quer transmitir a ideia de um processo que se repete, voltando sempre ao início em um movimento circular, que se retroalimenta.

ex: Se ninguém mudar de atitude, esses comportamentos vão gerar um círculo vicioso.

Já a palavra ciclo representa um processo que se repete de tempos em tempos.

ex: Fazer exercícios ajuda a regular o ciclo menstrual.

Ciclo também pode indicar um conjunto de fenômenos que ocorrem em uma ordem determinada.

ex: Este é o ciclo da vida: nós nascemos, crescemos, reproduzimos e morremos.



Os termos nem um e nenhum, apesar de apresentarem algumas similaridades entre si, são empregados em contextos diferentes.

Nenhum é um pronome indefinido e é utilizado em oposição a algum. Dessa forma, para saber quando o usar, basta substituir nenhum por algum.

ex: Nenhum de nós seria capaz de realizar aquela tarefa.

SUBSTITUIÇÃO: Algum de nós seria capaz de realizar aquela tarefa.

Já em nem um, “um” tem o papel de numeral. A expressão é equivalente a nem mesmo um.

ex: Não tinha nem um centavo no bolso.

SUBSTITUIÇÃO: Não tinha nem mesmo um centavo no bolso.


Um dos pontos de atenção que se deve ter no momento de escrever um texto é não confundir os parônimos, que são palavras parecidas, mas com significados diferentes. (OBS: Você viu que nessa frase tem um sujeito oracional?)

Um caso que causa bastante confusão é o do par “compreensível” e “compreensivo”. Vejamos:

Compreensível – que se pode compreender.

ex: Em um momento de crise, é compreensível (pode-se compreender) que pessoas sejam mais conservadoras em suas decisões.

Compreensivo – que compreende os outros.

ex: Apesar de ter não ter gostado da brincadeira, ele foi compreensivo (compreendeu) com seus colegas e os desculpou.

Saiba mais

Outra diferença entre os dois vocábulos é que “compreensível” é um adjetivo comum de dois gêneros. Ou seja, ele não apresenta flexão de gênero.

ex¹: A situação era compreensível.

ex²: O momento era compreensível.

Já “compreensivo” apresenta variação de gênero.

ex¹: A moça era compreensiva.

ex²: O moço era compreensivo.


 BÔNUS
Vultuoso x Vultoso – quando utilizar cada um?

No vídeo, eu explico a diferença entre vultuoso e vultoso. Essas duas palavras são parônimos, ou seja, termos com grafia e som muito parecidos, mas com significados diferentes.

E vocês verão que, neste caso, os sentidos dos dois vocábulos são BEM distintos. Um indica um quadro clínico e outro expressa uma noção de quantidade e volume. Assista e confira qual é qual!




Boa Notícia