Destaque

Choram porque amam

Padre Geovane Saraiva* Como é bom rezar e colocar em primeiro lugar o mistério da redenção! Nem sempre, porém, sabemos rezar e nem d...

3 de dezembro de 2015

Caminhar para o Natal

Padre Geovane Saraiva*

Advento é um tempo precioso, que precede o Natal do Senhor. Vamos, nestes dias de graças, aguardar o nascimento do Menino Jesus, tão pequeno na gruta de Belém. Ele, que entrou no mundo como uma criança frágil, vivendo na sociedade de seu tempo, filho de Maria de Nazaré e do carpinteiro José, querendo, evidentemente, desmanchar a montanha do orgulho e do egoísmo, amparado pela simbologia do manto da paz, da justiça, da ternura e da solidariedade, falando-nos ao interior do coração humano, como assevera  tão bem o Papa Francisco: “A verdadeira riqueza não está nas coisas, mas no coração”.

O Filho de Deus veio ao mundo para que as pessoas conseguissem perceber que Ele carregava consigo uma profunda marca: a natureza divina. É o Verbo de Deus que se encarnou e veio se estabelecer entre nós (cf. Jo 1, 14), convidando-nos a “participar da divindade daquele que uniu a Deus nossa humanidade”, manifestando-se como luz a iluminar todos os povos no caminho da salvação. Caminhamos neste tempo do Advento ao encontro da misteriosamente “troca de dons entre o céu e a terra”, em um ambiente nem sempre favorável, nas palavras do Sumo Pontífice, que faz-nos pensar: “O grande risco do mundo atual é a tristeza individualista que brota do coração mesquinho”.

Para a humanidade, que parece ter perdido o sentido da vida, eis uma ocasião, a qual não se pode dispensar, para fazer uma profunda revisão de vida no Menino que logo vamos ver na manjedoura, pobre e frágil, simples e humilde, mas que recorda um número infinito de meninos empobrecidos, cansados de ilusórios presentes. Eles não querem esses ilusórios presentes, porque estão ávidos é de um futuro marcado de pequenos e generosos gestos, gestos concretos traduzidos em despojamento, em amor de verdade.

Na tão sonhada esperança indissolúvel de a terra transformar-se em céu e de o céu transformar-se em terra, caminhemos para o Natal convencidos do inefável presente: “Porque um menino nasceu para nós, foi-nos dado um filho; ele traz aos ombros a marca da realeza; o nome que lhe foi dado é: conselheiro admirável, Deus forte, pai dos tempos futuros, príncipe da paz” (cf. Is 9, 6), que, segundo a profecia do Santo Padre, o Papa Francisco, somos chamados a refletir: “Não há esforço de pacificação duradouro com uma sociedade que abandona parte de si mesma”.

O que mundo propõe não deve ser causa de alegria. Alegria de verdade encontramos no Evangelho como uma palavra de ordem: “Eis que eu anuncio uma grande alegria, que será para todo o povo”, mas qual é mesmo a alegria no sentido mais profundo? “Nasceu-vos hoje na cidade de Davi um Salvador, que é o Cristo Senhor” (cf. Lc 2, 10-11).

*Escritor, blogueiro, colunista, vice-presidente da Previdência Sacerdotal e Pároco de Santo Afonso, Parquelândia, Fortaleza-CE –geovanesaraiva@gmail.com

Papa denuncia «vergonha» da coexistência de riqueza e miséria na sociedade

Agência Ecclesia 02 de Dezembro de 2015, às 09:54        (Lusa)

(Lusa)
Francisco recorda primeira viagem a África e elogia trabalho dos missionários

Cidade do Vaticano, 02 dez 2015 (Ecclesia) – O Papa disse hoje no Vaticano que é uma “vergonha” para a sociedade que existam lado a lado “riqueza e miséria”, evocando a sua primeira viagem a África, completada esta segunda-feira.

“Em todo o lado, não só em África, mas aqui também, a convivência entre riqueza e miséria é um escândalo, é uma vergonha para a humanidade”, sublinhou, na audiência pública semanal que decorreu na Praça de São Pedro, perante milhares de pessoas.

Francisco falava da visita que realizou entre os dias 25 e 30 de novembro ao Quénia, Uganda e República Centro-Africana.

“Que bela é a África”, exclamou.

O Papa começou por realçar a realidade que encontrou no Quénia, símbolo do “desafio global” do mundo atual, que tem de “defender a criação, reformando o modelo de desenvolvimento, para que seja equitativo, inclusivo e sustentável”.

Nesse contexto, recordou que em Nairobi, maior cidade da África oriental, “convivem riqueza e miséria”.

Francisco referiu por diversas vezes a juventude africana, em contraponto ao envelhecimento da Europa, onde “a natalidade é um luxo”.

Em particular, a intervenção saudou o testemunho “trágico e heroico” dos jovens da Universidade de Garissa, no Quénia, que no dia 2 de abril deste ano foram mortos “por serem cristãos”.

“O seu sangue é semente de paz e de fraternidade para o Quénia, para África e para todo o mundo”, afirmou.

No mesmo sentido, o Papa lembrou o testemunho dos mártires do Uganda, perseguidos e mortos em finais do século XIX, e elogiou o trabalho da Igreja Católica neste país, em particular na “eficaz” luta contra a SIDA e no acolhimento dos refugiados.

Francisco explicou depois que concluiu a sua viagem na República Centro-Africana (RCA), o primeiro país que teve a “intenção” de visitar, por estar a sair de “um período muito difícil, de conflitos violentos e muito sofrimento para a população”.

Em Bangui foi aberta pelo pontífice argentino a primeira porta santa do Jubileu da Misericórdia (8 de dezembro 2015-20 de novembro de 2016), uma semana antes do resto do mundo, como “sinal de fé e esperança” para um país que “sofre tanto”.

O Papa pediu que a RCA supere a guerra e as divisões, contando para isso com a ajuda das comunidades religiosas.

“Por isso, encontrei-me com a comunidade evangélica e a muçulmana, partilhando a oração e o compromisso pela paz”, explicou.

Após ter estado no continente africano pela primeira vez na sua vida, Francisco deixou um agradecimento aos missionários e missionárias por uma “vida de tanto e tanto trabalho, às vezes dormindo no chão, toda a vida”.

De improviso, recordou o encontro em Bangui com uma religiosa italiana de 81 anos que vive em África há quase seis décadas e saiu do Congo, em canoa, para ir ver o Papa.

“Como esta irmã há tantas, tantas irmãs, tantos padres, tantos religiosos que consomem a sua vida para anunciar Jesus Cristo. Que belo é ver isto”, disse.

A religiosa é uma parteira, que ajuda também as mulheres muçulmanas: “Toda uma vida pela vida, pela vida dos outros”.

“Testemunho: esta é a grande missionariedade, heroica, da Igreja, anunciar Jesus Cristo com a própria vida”, precisou.

O Papa deixou por isso um desafio aos jovens: “Pensem no que querem fazer da vida”.

No final da audiência, em português, Francisco saudou os peregrinos de língua portuguesa presentes na Praça de São Pedro.

“Neste início de Advento, perguntemo-nos como viver mais profundamente o nosso compromisso de seguir o Rosto da Misericórdia divina que é Jesus, nossa esperança e nossa paz. Que Deus vos abençoe”, declarou.

OC

Papa Francisco diz que ano do Jubileu será de 'ternura e perdão'

Ele visitou Uganda, Quênia e República Centro Ao à-Africana. 

Pontífice Disse AINDA that uma 'África é linda'.

Do G1, em São Paulo
 O Papa Francisco Prometeu Nesta quarta-feira (2) Que o Jubileu Extraordinário da Misericórdia, that comeca na terça-feira em Roma, Sera hum ano dedicado à "ternura" e AO "Perdão". "É o ano do Perdão, o ano da Reconciliação", declarou o Papa em Uma entrevista Ao Credere, o Semanário Oficial do Jubileu.
"Senti that havia hum Desejo fazer Senhor de Mostrar AOS HOMENS um Misericórdia SUA", acrescentou.
Diante de Numerosas más notícias, "O Mundo Precisa Descobrir Que Deus é pai, that há Misericórdia, that uma crueldade NÃO lev a nada, that uma condenação NÃO lev um lugar Nenhum, Porque a Própria Igreja (...) como vezes cai na Tentação de Seguir Uma Linha dura, na Tentação de enfatizar APENAS como Normas morais ", estimou o Papa argentino.
"Por Um Lado, vemos o tráfico de armas, a Produção de armas Que Matam, o Assassinato de inocentes das Mais cruéis Formas Possíveis, uma DAS PESSOAS, Exploração de Menores, children (...) hum Sacrilégio contra a Humanidade (.. ) E o Pai Diz:. "Parem e Vinde a Mim '", Disse o Papa.
"Há Muita gente ferida e destruída. E precisamos atender feridos OS, devemos Ajuda-los a Curar e submetê-los NÃO uma testículos de colesterol", insistiu, referindo-SE Regras morais rígidas da Igreja.
"Acredito Que ágora E uma hora de Misericórdia. Somos todos pecadores, Todos Nós carregamos pesos", afirmou, explicando Que Precisa se confessar um each Duas OU Três Semanas "para Sentir Que a Misericórdia de Deus AINDA ESTÁ Em Mim".
A revolução Que O Mundo Precisa "E a ternura, Porque DAI VEM a Justiça e Todo o resto", Disse Ele.
África
Nessa quarta-feira, o pontífice comentou TAMBÉM SUA Recente Visita ao Quênia, Uganda e República Centro-Africana AOS Fieis that estava na Praça São Pedro em SUA Audiência semanal. "A África é linda. Eu agradeço a Deus POR ESSE dom e que me permitiu Visitar cessos Três Países. Eu gostaria de Mais uma Vez Para dar Os Meus sinceros AGRADECIMENTOS Às autoridades civis e AOS Sacerdotes provenientes destes Países e todos aqueles Que colaboraram na Viagem . Obrigado de todo o Coração ", declarou.

Aparecida-SP: Pe. Geovane Saraiva com paroquianos - abertura do centenário de Charles de Foucauld

Paróquia Santo Afonso, Parquelândia - Fortaleza-CE
03/12/2015

Charles de Foucauld - França (1858-1916). No dia 30 de outubro de 1886, submeteu-se à vontade de Deus. Em Paris, encontrando  Padre Huvelin, vigário da Igreja de Santo Agostinho, em uma conversa com ele, confidenciou-lhe: “Padre, não tenho fé, peço-te que me instrua”. O padre foi ríspido: “Te ajoelha e confesse teus pecados! Então, crerá!”. Obediente, experimentou uma alegria indizível, a alegria do filho pródigo.
No dia 1º de dezembro de 2015 deu-se a abertura do centenário do martírio do Bem-aventurado Charles de Foucauld, assassinado no Deserto do Saara em 1º de dezembro de 1916.
Charles de Foucauld




Papa E Entrevistado Pela revista Crer

 Rádio Vaticana


Cidade do Vaticano (RV) - O Papa concedeu Francisco, Nesta quarta-feira (02/12), Uma entrevista à revista Crer, Publicação oficial do Ano Santo Extraordinário da Misericórdia.
Jubileu, RESPOSTA do Espírito Santo
"Não foi Uma Estratégia, mas algo that senti Dentro de mim. O Espírito Santo quería Alguma Coisa ", respondeu o Papa à revista that LHE perguntou Por Que decidiu proclamar o Jubileu Extraordinário da Misericórdia Que se realizará fazer Próximo dia 8 a 20 de novembro de 2016." Um tema destacado TAMBÉM POR Paulo VI e João Paulo II ", Disse o pontífice. 
"O Mundo Hoje Precisa de Misericórdia e compaixão Diante do habituar-se a notícias más e cruéis, atrocidades Enormes Que ofendem o Nome ea vida de Deus. Por ISSO, O Mundo Precisa Descobrir Que a crueldade ea condenação Não São O Caminho ", frisou Francisco.
Igreja, hospital de Campanha
"A Própria Igreja as vezes segue uma dura Linha, cai na Tentação de sublinhar SOMENTE Normas morais deixando de fora Muita gente", Disse o Papa reiterando that uma Igreja DEVE Ser Como "um Hospital de Campanha Depois da Batalha", em que "OS feridos São curados e ajudados a Curar, e NÃO submetidos a analyses PARA O colesterol ". "Diante do tráfico ea Produção de armas, fazer Assassinato de inocentes NAS Formas Mais cruéis Possíveis, Diante da Exploração de Pessoas e Menores, Diante do Sacrilégio Que ESTÁ Sendo Feito contra a Humanidade, Deus Pai Diz: Parem e venham a mim", sublinhou o Santo Padre.
Sou pecador
Francisco falou de SUA vida Pessoal. "Sou pecador e sou um homem perdoado Que Deus curou com Misericórdia. ATE HOJE cometo Erros e Pecados e me confesso a each 15 OU 20 dias Pará Sentir a Misericórdia de Deus ", Disse. O Papa recordou also o dia 21 de setembro de 1953 when AOS 17 ano sentiu o Chamado vocacional Graças Sacramento da Reconciliação Ao EO Encontro com o Seu confessor, um sacerdote de Corrientes, Pe. Carlos Duarte Benito Ibarra. Faça dia 21 de setembro, Memória Liturgica de São Mateus, deriva also o Seu moto episcopal, "Miserando atque eligendo", Porque Jesus "olhou Mateus, TEVE Misericórdia EO escolheu". "Mas uma Tradução literal seria" misericordiando e escolhendo, Quase Como hum Trabalho artesanal. Anos Depois me dei Conta de that o Senhor tinha me modelado artesanalmente com um Sua Misericórdia ", Disse o Papa.
Ternura
Respondendo a Uma pergunta Sobre a maternidade de Deus Onde, Segundo a Bíblia, mora uma Misericórdia, Francisco recordou a importancia "da ternura do Senhor Que nasce das vísceras, Porque Deus é pai e mãe", e convidou à "Revolução da ternura" um Fim de ter um "Comportamento Mais tolerante e Mais Paciente parágrafo com OS Outros". 
"Continuarei dizendo that today A Revolução E um da ternura Porque dela VEM a Justiça. A revolução da ternura DEVE Ser cultivada Como fruto Deste Ano da Misericórdia ", frisou.
Gesto de Misericórdia
O Papa Disse Que Durante o Jubileu "uma sexta-feira de Cada show" Fara hum gesto diferente parágrafo testemunhar a Misericórdia de Deus, um Gesto Que Sera Como "Uma Carícia", Aquela that OS Pais Dão um SEUS Filhos Pará Dizer-lhes: "Te amo". (MJ)

Ivo Poletto na COP21: Expectativas e Esperanças

Rádio Vaticana


Paris (RV) - Quinta-feira (03/12), no Âmbito da Conferencia Sobre o Clima COP21, em andamento em Paris, ESTÁ programada, na Catedral de Notre Dame, Uma "Celebração Ecuménica Pela Salvação da Criação", Organizada Pelo Conselho das Igrejas Cristas na França. ESTA Prevista uma Participação de peregrinos engajados e Responsáveis ​​de Igrejas de Diferentes Países. A Celebração Será, co-presidida cabelo pastor Francois Clavairoly, cabelo metropolita Emmanuel e POR Dom Georges Pontier, arcebispo de Marselha e Presidente da Conferência Episcopal Francesa.
Tambem participam o Patriarca Ecuménico Bartolomeu I, (Que fara uma Pregação central), o pastore Olav Fykse Tveit, that dirige o Conselho Mundial das Igrejas, EO arcebispo de Paris, Cardeal André Vingt-Trois.
O Conselho das Igrejas Cristas na França promoveu Uma série de Atividades em concomitância com uma conferencia da ONU. Nenhuma dia 1º, houve o 'jejum pelo Clima ", Uma Campanha de sensibilização a nivel mundial em Solidariedade com como Populações atingidas Pelos Efeitos das Mudanças Climáticas. O Organismo Pede AOS Responsáveis ​​Políticos e Econômicos ", especialmente OS Reunidos na COP, Que tomem decisões como Necessárias Para limitar o AQUECIMENTO globais a 2 graus, Para Que OS Irmãos e Irmãs Mais vulneráveis, e como Gerações Futuras, Nao Sejam vitimas".  
Pobres e vulneráveis, como MAIORES Vítimas
"Graves São OS perigos that corre O Mundo Por Causa das Mudanças do Clima, derivadas fazer USO impróprio Que Fazem OS Seres Humanos dos Recursos à disposição", afirmam OS Líderes das Igrejas Cristas, em Mensagem. "Sentimos o Dever Imediato de enfrentar como Causas Deste degrado. Somos Testemunhas fazer Sofrimento incomensurável Que provoca, de Modo especial nsa Mais frágeis dentre NOS. Conscientes do Impacto do estilo de vida Nos Países Mais desenvolvidos, TEMOS that Colocar em DISCUSSÃO A Nossa lógica de consumo, adotando Práticas de sobriedade e simplicidade ".
Expectativas e Esperanças
Ivo Poletto E assessor Nacional do Fórum de Mudanças Climáticas e Justiça Social Além de Membro da Rede Pan-Amazônica Eclesisal (REPAM). Em Paris, falou de ele à RV de como SUAS Expectativas e Esperanças. Ouvir Pará, here camarilha:
"Eu Diria Que Como possibilidade real, é Preciso Que OS Países se disponham a Aumentar SUAS PROPOSTAS como de ações voluntárias, Porque este è O Caminho that Já foi decidido Antes da COP do Peru. São contribuições voluntárias. Sabe-se Que a soma das indicadas Até ágora E Insuficiente Para garantir Que fiquemos Abaixo de 2 graus Celsius de temperatura Aumentada. Como NÓS gostaríamos de Ficar em 1,5 graus Celsius, das cosias E UMA Que Haja, POR pressões e Diálogos na COP, um Desejo dos Países de ver, com Mais generosidade, Onde PODEM Avançar nestas Medidas. This E UMA Expectativa that PODE Avançar, PODE ter Algum Sucesso. A Segunda E Que se consiga, de Fato, Que Haja Algum Mecanismo de Observação e Controle da eficacia destas Medidas prometidas, Porque se Ficar Assim, uma Partir dos Países PROPRIOS E MUITO Arriscado. Entao, é Preciso Que se conquiste, um internacional Nível, e particularmente da ONU, uma possibilidade de todo ritmo acompanhar como Ações implementadas - fala-se de um cinco Cada ano, mas O melhor seria um each Tres - Uma verificação, com uma possibilidade de aumentos (de Melhoria), Como also de cobrança daqueles Países that NÃO estiverem Realizando O Que se comprometeram. Isto É O Que Esperar PODE se em Termos de possibilidade concreta ".
"O desejável E Que houvesse, de Fato, hum a Acordo em Que todos se Cobram, uns dos Outros, e Que Haja Uma eficacia Maior parágrafo responder Ao Terrível desafio por ações Humanas e particularmente Pelas Ações promovidas pelo Sistema de Produção de tipo Capitalista, parágrafo Que possamos NÓS enfrentar o AQUECIMENTO e como Mudanças Climáticas ea Vida Toda, particularmente a vida humana, Melhores tenha condições EM Nosso planeta ". 
(CM)
(da Rádio Vaticano) 

Ameaças ao Papa na internet: de terroristas presos pela Polícia italiana

Papa Francisco - Foto: ACI Prensa
ROMA, 02 Dez. 15 / 06:25 pm (ACI).- Em uma operação conduzida pela polícia da cidade italiana de Brescia nesta terça-feira, 1, quatro terroristas afiliados ao Estado Islâmico foram presos em uma operação conjunta com autoridades do Kosovo. O grupo postava fotos nas redes sociais incitando o ódio racial, exaltando o jihadismo e lançavam ameaças contra o Papa Francisco através do chat. “Depois deste Papa não haverá outro”, dizia uma das conversas entre os presos, que também afirmavam que o terror atualmente vivido na Europa “é só o começo”.

A informação, veiculada pelo jornal italiano La Repubblica, indica que o grupo era comandado por Imishti Samet, cidadão kosovar que viveu por algum tempo na Itália e foi preso ontem no Kosovo. Os outros três terroristas desta célula jihadista foram presos em território italiano. Imishiti Ismail, irmão de Samet e outro cidadão de origem Kosovar foram detidos e expulsos do país. Já o quarto membro do grupo, um macedônio que vivia na cidade de Vicenza, permanece na Itália sob vigilância intensificada. Ele é acusado de participação em atos terroristas e teve seu passaporte confiscado.

"Lembre-se que não haverá um papa depois deste, ele é o último", escreveram os islamistas kosovares nas suas redes sociais. Os quatro serão responsabilizados por crimes de apologia ao terrorismo e incitamento ao ódio racial.

O grupo, que aparecia em fotos com armas e bandeiras do Estado Islâmico, não deixou de exaltar os ataques em Paris em suas conversas afirmando: "Este é apenas o começo”.

“Os aviões franceses na Síria mataram mais de 47 pessoas: Oh, Incrédulos, vocês vão entender que contra o Islã não se luta, é inútil”, afirmaram em outra ocasião os jihadistas.

"Eles ameaçaram o Santo Padre Bergoglio, elogiaram os recentes atentados em Paris e ameaçaram a ex-embaixadora dos EUA no Kosovo", afirma o superintendente da polícia de Brescia, Carmine Esposito em declarações divulgadas por La Repubblica. "Nas casas invadidas no Kosovo foram encontradas armas”, acrescentou Esposito, que garantiu que atuação dos quatro homens tinha “especial referência para realizar propaganda, recrutamento e financiamento do auto-intitulado Estado islâmico”.

No bate-papo de um dos terroristas presos constava ainda a ameaça de iminentes "visitas dos terroristas do Estado islâmico" ao Vaticano e de que dentro de cinco anos a Europa seria desgarrada e haveria uma só lei, a Lei Sharia.

Confira também:

Etiquetas: Vaticano, terroristas, sharia, Papa Francisco, Itália, Internet, Estado Islâmic, Ameaças terroristas

Dom José Luiz agradece ao pe. Geovane Saraiva pelos livros

Trabalho de evangelizar pelos livros

Resultado de imagem para dom josé luiz ferreira salles
Obrigado Pe. Geovane pelo presente dos livros. Fico feliz que continua neste trabalho de evangelizar pelos livros. Aguardo por esses lados secos de nosso Pernambuco. Abraços e lembranças à Paróquia de Santo Afonso, a qual carrega sempre no íntimo do meu coração. Um grande abraço.
+José Luiz Ferreira Salles, bispo de Pesqueira-PE



São Francisco Xavier foi aos confins do mundo

Padre Geovane Saraiva*


Neste dia 03 de dezembro, no qual a Igreja celebra São francisco Xavier, como é importante o pastor dos empobrecidos, Dom Helder Câmara, ao afirmar na sua poesia: “Missão é partir, caminhar, deixar tudo, sair de si, quebrar a crosta do egoísmo que nos fecha no nosso Eu”.1  É exatamente esta afirmação que faz refletir um pouco sobre São Francisco Xavier (1506-2006), considerado o Apóstolo do Oriente, “o gigante da história das missões”. Ele um sonhador, cheio de ambição e vaidade! Homem talentoso e de inteligência privilegiada, estudante da Universidade de Paris, doutorando-se em 1526. Ao iniciar sua vida acadêmica em Paris, logo conheceu Inácio de Loyola, com quem estabeleceu uma sólida e estreita relação de amizade. E foi justamente essa amizade, no diálogo e nas constantes conversas, como também uma intensa vida oração, que o transformou por completo, passando de sonhador e idealista para uma realidade concreta, na sua opção pelo projeto de Nosso Senhor Jesus Cristo, dizendo não à glória do mundo, vaidades e riquezas.

Deus entrou em cheio na sua vida e foi mais forte, através de seu colega Inácio de Loyola, estudante muito especial daquela referida Universidade, a qual ele integrava, um recém-convertido, que sonhava formar um grupo de irmãos corajosos para dilatar o Reino de Deus. Aquele que ficou conhecido como o grande mestre dos exercícios espirituais, foi ao encontro do jovem Francisco Xavier, seu conterrâneo e futuro pai espiritual, a fim de ganhá-lo, no seu grande desejo de contribuir na edificação do Reino de Deus. Assim Francisco Xavier colocou o amor para si: “Parou de dar volta ao redor de nós mesmos como se fosse o centro do mundo e da vida”.2
   
Seus sonhos e projetos eram antagônicos. Contudo, o mestre e fundador da Companhia de Jesus, na sua fé e confiança inabalável, insistentemente suplicou a Deus Pai, até seduzi-lo. “Que adianta o homem ganhar o mundo inteiro e perder sua alma?” (Mt 16, 26). A frase do Mestre e Senhor, dita por Inácio de Loyola foi penetrante e incisiva, marcando profundamente a mente e o coração do jovem Francisco Xavier, dobrando sua resistência e entregando-se inteiramente a Deus, a ponto de tê-lo por seu incondicional e fiel discípulo, compreendendo sua decisão como um mistério insondável, na assertiva de Dom Helder: “Missão é partir, mas não devorar quilômetros. É, sobretudo, abrir-se aos outros como irmãos, descobri-los e encontrá-los”.3

Mas para Francisco Xavier missão foi deixar sua terra e partir: “E, se para encontrá-los e amá-los, é preciso atravessar os mares e voar lá nos céus, então missão é partir até os confins do mundo”,4 porque a Índia o esperava, na catequese de crianças e adultos, os quais sempre em número elevado acorriam para receber os sacramentos. Levou por toda parte por onde passou a mensagem do Evangelho. Visitou Ilhas longínquas, penetrou no Japão, formando lá sólidas comunidades de fé, de tal modo, que sua vida se caracterizou no imperativo de enviado do Pai, quando mesmo disse: “Ide pelo mundo inteiro e pregai o Evangelho a toda criatura” (Mc 16, 15). Também no lema da Campanha Missionária deste ano 2013: “A quem eu te enviar, irás” (Jr 1, 7). Seu inigualável ardor missionário chegou a ponto de se consumir em favor do anúncio do Evangelho, que num curto espaço de tempo (10 anos), visitou países e catequizou em diversas nações, tornando-se quase impossível imaginar tal prodígio e façanha nos dias de hoje. Podemos contemplar maravilhados e agradecidos, aos olhos da fé, seu trabalho de gigante.

Antes de morrer, aos 46 anos, no dia 03/12/1552, escreveu a Inácio de Loyola assim: “São muitos os que não se tornam cristãos, simplesmente por falta de evangelizadores e missionários”, tendo na mente e no coração o que o Apóstolo Paulo anunciou com grande esperança: “Como poderiam ouvir sem pregador? E como poderiam pregar se não forem enviados?” (Rm 10, 14-15). Queria ir pelas Universidades e por toda parte, gritando como um louco e sacudindo as consciências daqueles que se comportam e agem mais pela razão do que pela fé, clamando: “Como é enorme o número dos que são excluídos do Reino, por vossa culpa!”. Ele era considerado o missionário da China pelo seu ardente desejo e vontade de anunciar o Evangelho aquele povo, chegando a dizer, “se eu não encontrar um barco para ir à China, vou nadando, mas eu vou”.

Agradecemos ao nosso bom Deus, por São Francisco Xavier, padroeiro das Missões juntamente com Santa Teresinha do Menino Jesus. Ele, criatura de Deus, apaixonado pelo Reino, com uma disposição interior para o trabalho missionário, no seu jeito de viver e testemunhar a fé que professou, ao plantar a semente do Evangelho no Oriente. Que a Igreja, sacramento de salvação, continue corajosamente, com grande sabedoria e ardor, a anunciar o Evangelho por ele anunciado aos homens hodiernos por toda extensão da terra. Deus seja louvado por este irmão querido, considerado maior missionário de todos os tempos!

______________
1 Missão é partir – Poesia de Dom Helder Câmara.
2 Idem.
3 idem.
4 Idem.

*Escritor, blogueiro, colunista, vice-presidente da Previdência Sacerdotal e Pároco de Santo Afonso, Parquelândia, Fortaleza-CE –geovanesaraiva@gmail.com

CNBB: agradecimento do Secretário Geral da CNBB ao Pe. Geovane Saraiva pelos livros

Dom Leonardo Ulrich Steiner
Secretário Geral da CNBB

Coceira

Michelly Barros*
            Apos o término da aula, o aluno espera OS Colegas Sairem da sala e pergunta à professora envergonhado de Ciências:
            - Professora, Como E MESMO daquelas o Nomo Doenças that aparecem nsa Homens Que Fazem sexo, hein?
            - DSTs, Doenças sexualmente Transmissíveis.
            - Ah! E MESMO E Que hum amigo meu Mandou perguntar. ELE tá Cheio de coceira e when vai Fazer xixi dói Que ASSIM. ELE FOI Quem Disse pra mim.
            Já sabendo Quem era o tal "amigo", Uma professora Procura Investigar:
            - E Faz Ritmo that Esse teu "amigo" assim está? ELE TEM Que Ir ao médico. De: Não adianta ir à Farmácia e NEM POR Tomar Remédio Conta Própria, pois Só vai piorar com o ritmo.
            - Mas que E ELE TEM vergonha ...
            -? Vergonha Por qué. ELE ESTÁ Doente e TEM Que se TRATAR, DEPOIS PODE Ser Pior O Negócio PODE CAIR Viu ?! Ate - Um Paragrafo professora exagera Ver a cara de espanto do Menino Que arregala Os Olhos com medo.
            - E MESMO, E tia ?! Vixe!
            - Cair NAO NAO cai, mas PODE ocasionar Cegueira, Lesões cerebrais, e dependendo do Caso PODE Levar à amputação do Membro.
            - OU do Braço da perna!
            - Não, coceira Membro Daquele Que ESTÁ COM.
            - Ah!
            - E ELE TEM that avisar à Parceira, or sera que è Parceiro?
            ! - Tia de: Não E Uma mulher that namora de ELE! ELE E macho!
            Querendo se Controlar rir Paragrafo Não, continua a Professora:
            - Tá Certo ... Pois é, ELE TEM that avisar à namorada Paragrafo ELA Fazer o treatment also. Com ISSO NÃO se brinca. E ELES TEM QUANTOS ano?
            - He TEM quinze e ELA TEM Dezoito.
            A professora fecha o Laboratório e Dá hum Último conselho, olhando seriamente BEM SEUS Olhos em:
            - Pois Já that começaram TEM Que se prevenirem Paragrafo NÃO Acontecer algo de indesejável. NÃO DEIXE Paragrafo Amanhã. Vá Ao médico Hoje, entendeu?
            Cabisbaixo, o aluno murmura APENAS:
            - Ó Uma tia, ó ...

*Professora, escritora e intrega a Academia metropolitana de Letras
 

Faculdade de fabricar pensamento

Flávio Leitão*

Resultado de imagem para dr flávio leitão
Quis a grandeza d’alma dos novos membros titulares da Academia de Letras e Artes do Nordeste – ALANE, Secção do Ceará, que fosse eu o arauto de nossa justificada alegria pelo recebimento de laurel tão significativo, pelo regozijo de nos terem autorizado a passearmos, sem peias, na agradável companhia de nossos confrades e de nossas confreiras, na pradaria interminável da literatura e das artes, por, enfim, nos adotarem como seus irmãos e irmãs, no convívio salutar das discussões literárias, artísticas e filosóficas. 

A outorga deste galardão pela ALANE aos novos recipiendários traduz, claramente, a chegada à maturidade da nossa atividade literária e artística e nos deixa, naturalmente, prenhes de merecido júbilo e de indisfarçável orgulho.

Não começarei alardeando, com falsa modéstia, que não somos merecedores de tão elevado prêmio, de tão singular homenagem. 

Seria pisotear na inteligência arguta dos ilustres confrades e das ilustres confreiras que, desde a criação da ALANE neste Estado, abrilhantam esta Arcádia com suas expressivas criações literárias e artísticas e tornam-na, cada vez mais, expressão maior do relevo da literatura e da arte no Ceará.

Quando nos escolheram é porque sobejamente sabem que em todos nós existe um pouco do Homo faber, defendido pela principal figura do espiritualismo do século XX, Henri Bergson (1859-1941), que descortinou na inteligência a característica fundamental do Homem, a faculdade de fabricar pensamento.

A criação do Homo faber por Bergson é, seguramente, uma tentativa para melhorar a imagem do Homo sapiens, hoje, liderando a brutalidade das guerras do fundamentalismo religioso e da ganância capitalista incontrolável das nações hegemônicas.

Homo sapiens que sabe destruir com drones, a partir das sofisticadas salas do Pentágono, com precisão milimétrica, seus inimigos políticos, mas que sente dificuldade em acolher o refugiado, fustigado pela insensatez de outros Homo sapiens, refugiado fruto do colonialismo escravagista europeu na África e no Oriente.

A Academia, minhas senhoras e meus senhores, escola fundada por Platão no ginásio, que tinha o nome do herói grego Academos, foi inspiração para a criação, na Itália, por 14 poetas reunidos no palácio da rainha Cristina da Suécia, da primeira Arcádia. 

Nossa irmã lusitana nascia 66 anos após a instalação de sua primeira congênere. 

Por sua vez, a ALANE iniciou seu ciclo de cultivo às artes e à literatura graças ao entusiasmo e ao transcendentalismo de poetas, escritores e artistas plásticos pernambucanos, num total de 60, que, no dia 27 de janeiro de 1978, fundaram a primordialmente cognominada Academia de Letras e Artes do Nordeste Brasileiro, e, posterior e definitivamente, a Academia de Letras e Artes do Nordeste – ALANE.

Nossa irmã pernambucana teve 11 presidentes, tendo sido Nicolino Limongi o primeiro. Médico renomado, ele abriu caminho para seus colegas Benedito Rubin Cohen, Mozart Borges Bezerra e, finalmente, Alvacir Raposo. Três mulheres adornaram a presidência daquele sodalício: Margarida Matheus de Lima, Ana Maria Cesar e Bernadete Serpa Lopes. 

Atualmente, está na presidência da ALANE pernambucana Melchiades Montenegro que, cavalheirescamente, atendeu nosso convite e nos honra sobremaneira com sua presença nesta noite engalanada. 

Foi Bernadete Serpa Lopes, juntamente com a escritora Lourdes Sarmento de Pernambuco e Beatriz Alcântara da Academia Cearense de Letras, a maior incentivadora para renovar a ALANE, Secção do Ceará, aprovando a posse da professora Lourdes Leite Barbosa na presidência, em substituição ao presidente resignatário, o príncipe dos poetas cearenses, Arthur Eduardo Benevides, que tinha como seu vice Carlos Neves d’Alge, a quem o poeta José Valdivino de Carvalho dedicou belíssimo soneto intitulado Língua Portuguesa.

Além de Arthur Eduardo Benevides e Lourdes Leite Barbosa, presidiram a ALANE o poeta e médico José Teles, o poeta Carlos Augusto Viana e, finalmente, o médico e escritor Francisco Nóbrega Teixeira.

Feitos que merecem destaque no histórico da ALANE foram a vinda, em outubro de 1996, de uma caravana de escritores pernambucanos, liderados por Waldemar Lopes, para instalarem o núcleo cearense da ALANE e a criação da revista Urupema, pela presidente Lourdes Leite Barbosa, como órgão oficial da expressão cultural e artística da ALANE.

Nesta Arcádia, verdadeiro sacrossanto cibório, que guarda em sua luz a leveza dos poetas, a altivez denunciadora da pena dos escritores e a beleza estonteante das artes plásticas, temos por finalidade desenvolver o exercício da sabedoria literária e artística, que só vale se voltado ao desenvolvimento da humanidade, à luta pela sedimentação da paz e à imposição do domínio do amor.

Caríssimas confreiras, caríssimos confrades, minhas senhoras, meus senhores, é do conhecimento de todos que, quando passeava Dante na segunda cornija do purgatório – a dos invejosos –, acolitado pelo poeta Virgílio, vendo aqueles trapos humanos com as pálpebras cerradas com arame e desejando explicação para a imposição de tão ingente sofrimento, temeroso de interpelá-los, recebeu de Virgílio o sábio conselho: “fala e sê breve, que serás benquisto”.

Assim, nós, os novéis recipiendários desta noite de gala – Aila Sampaio, Beatriz Helena Motta Jucá, Dina Maria Aquino Avesque, José Maria Chaves, Maria Luisa Silva Bonfim, Révia Herculano, Wellington Alves de Sousa e o que vos fala, pretendendo merecer a benquerença de todos que abrilhantam esta solenidade, findamos a nossa peroração.

Mas, se Virgílio nos aconselha a brevidade das palavras, por outro lado, a expressão maior da literatura hispânica – Miguel de Cervantes Saavedra, por meio de seu personagem ímpar –, o engenhoso fidalgo Don Quixote de la Mancha –, por ocasião da quebra das correntes dos condenados às galés, vaticinou: “é próprio de gente bem nascida agradecer os benefícios que recebe; e um dos pecados que mais a Deus ofendem é a ingratidão”.

Assim, gostaríamos, nós, recipiendários, de solicitar, data venia, um pouco mais da paciência deste egrégio auditório para agradecermos, em primeiro lugar, ao Criador, por nos ter dado a plenitude da vida, permitindo expressarmos a alegria de viver também por meio da literatura e da arte.

Em seguida, agradecemos a generosidade de nossas famílias (cônjuges, filhos, genros, noras, netos – esses brinquedinhos vivos que nos tornam criança) por compreenderem nossa ausência pelo tempo que dedicamos à literatura e à arte.

Por último, não sendo por isso menos importante, gostaríamos de agradecer, igualmente, ao Ideal Clube, na pessoa de seu Diretor, o querido amigo Amarílio Cavalcante, que nos acolhe magnanimamente neste espaço, em momento tão agradável desta convivência literária.

Muito obrigado.
*Médico, escritor e membro da Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza