Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho 13, 2020

Museu da Língua Portuguesa propõe uso da palavra para lidar com a dor

Projeto estimula público a escrever sobre perdas da pandemia O Museu da Língua Portuguesa lançou hoje (13), na capital paulista, o projeto virtual A Palavra no Agora, que estimula o público, a partir de exercícios de escrita, a se expressar sobre o período em que vivemos. O objetivo é ajudar as pessoas a lidar com os sentimentos causados pela pandemia de covid-19. Os exercícios são baseados em roteiros com perguntas simples, que servem como referência para fazer as pessoas refletirem e transformarem em texto o sentimento sobre o momento. Segundo o museu, os textos produzidos poderão ser compartilhados no próprio site. O projeto está disponível gratuitamente em noagora.museudalinguaportuguesa.org.br .  “Vivemos um momento de perdas físicas e simbólicas. A incerteza, a morte, o adiamento de planos, a doença, o isolamento, a crise econômica, a distância, tudo isso tem um impacto enorme na vida de todos os brasileiros. Na ausência do acolhimento físico, do contato, o que nos une hoje são…

‘Diário da catástrofe brasileira’

Ricardo Lísias traz uma análise sobre o último ano do Brasil a partir do momento da eleição presidencial Ainda na noite de 28 de outubro de 2018 — quando 57 milhões, 796 mil e 986 brasileiros depositaram na urna o voto em um candidato que havia feito declarações racistas, machistas e homofóbicas e elogiado abertamente torturadores e a ditadura militar —, o escritor Ricardo Lísias começou este Diário da catástrofe brasileira (Record, 352 pp, R$ 62,90), que, obsessivamente, não largou até hoje. No livro ele registra que, pouco mais de um ano depois, a polícia tornou-se ainda mais violenta, casos de censura voltaram às artes, o Brasil virou motivo de piada no mundo, o desmatamento atingiu índices mais do que alarmantes, centenas de agrotóxicos foram liberados para uso, a população é estimulada a não acreditar em dados científicos, a agressão à imprensa por parte do governo é corriqueira e a economia, vejam só, continua em crise. O leitor encontrará na obra uma análise do material de cam…

Companhia das Letras publica livro de Tabata Amaral

Segunda mulher mais votada do país nas eleições de 2018, ela compartilha no livro histórias pessoais e defende a educação como maior ferramenta de mobilidade social Em Nosso lugar (Companhia das Letras, 192 pp, R$ 34,90), Tabata Amaral narra a sua trajetória até a campanha que a elegeu, aos 24 anos, deputada federal como a segunda mulher mais votada no país. Tabata cresceu na Vila Missionária, no extremo Sul de São Paulo, e viveu na infância as dificuldades enfrentadas por tantas famílias de migrantes nordestinos instaladas precariamente nas periferias das grandes cidades. Depois de alcançar medalha de prata em uma olimpíada de matemática, percorreu um caminho de sucesso que desembocou na Universidade Harvard, onde se formou com uma tese sobre os fatores políticos que impactam a educação pública em diferentes municípios brasileiros. Nesta obra, a deputada entrelaça suas experiências pessoais e profissionais — enquanto narra as dificuldades de ser uma mulher jovem no ambiente político…

Festa Literária Oasys Cultural começa nesta segunda

Até 24/07 evento irá homenagear o leitor com bate-papos on-line no com escritores. Nomes como Marina Colasanti, Marcelino Freire, Marcos Breda e Pedro Cavalvanti participam do evento. Começa nesta segunda (13) a Festa Literária da Oasys Cultural, agência literária com mais de 10 anos no mercado. O evento, que segue até 24 de julho e será transmitido pelo canal da Oasys no YouTube, homenageará o leitor. Quem lê literatura no mundo de hoje? Onde estão os leitores? Onde compram seus livros? Como, o que e por que lêem? Essas e outras questões serão colocadas ao longo de mesas que também abordarão temas como quarentena, mundo pós-pandemia, divulgação de livros, eventos literários, LGBT, clubes de leitura, audiolivros, literatura preta, psicoterapia, utopia e distopia. Nesta segunda, o evento começa às 19h, com a mesa Oficinas literárias: a formação do leitor e escritor, que terá a participação de Geny Vilas-Novas e Ivan Cavalcanti Proença. Nos próximos dias, a festa literária receberá tam…

Pizzaria mineira oferece combos com livros

Objetivo da Panorama Pizzaria é fortalecer editoras independentes de BH A Pizzaria Floresta, instalada no bairro Floresta, na região Leste de Belo Horizonte, aproveitou as comemorações do Dia da Pizza (10 de julho) para colocar em prática um projeto delicioso. A casa fechou parceria com as editoras mineiras Crivo Editorial, Impressões de Minas Editora, Páginas Editora, Editora Aletria C’asa Edições e Grupo Editorial Letramento para criar o projeto Vitrine Independente de Editoras (Vies). A cada quinze dias, as seis editoras colocarão um título do seu catálogo no cardápio da pizzaria. Assim, quando bater a fome, o cliente poderá pedir a pizza e um livro de sua preferência. As ofertas estão disponíveis pelo aplicativo Goomer. Por lá, o cliente pode escolher entre os combos pizza + livro ou dois livros. Via Publishnews

Estatuto da Criança e do Adolescente completa 30 anos

No Brasil de 1990, uma em cada cinco crianças e adolescentes estava fora da escola, e uma em cada dez, entre 10 e 18 anos, não estava alfabetizada. A cada mil bebês nascidos vivos no país naquele ano, quase 50 não chegavam a completar um ano, e quase 8 milhões de crianças e adolescentes de até 15 anos eram submetidas ao trabalho infantil. Para pesquisadores e defensores dos direitos dessa população, o país deu um passo importante para mudar esse cenário naquele ano, quando foi publicado o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), que completa 30 anos hoje (13). Passadas três décadas, o percentual de crianças e adolescentes fora da escola caiu de 20% para 4,2%, a mortalidade infantil chegou a 12,4 por mil, e o trabalho infantil deixou de ser uma realidade para 5,7 milhões de crianças e adolescentes. O estatuto considerado parte desses avanços é fruto de um tempo em que a concepção sobre os direitos das crianças e adolescentes mudou no país e no mundo. O coordenador do Programa de Ci…