Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto 21, 2020

ProAC abre edital para realização de ações de incentivo à leitura

Pessoa física interessada em participar tem até 10/09 para realizar a inscrição. Projetos selecionados receberão R$ 50 mil. O Programa de Ação Cultural (ProAC), da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, abriu um edital destinado a apoiar projetos que visem a realização de ações de incentivo à leitura no Estado de São Paulo, presenciais e/ou on-line. As inscrições são gratuitas e os projetos devem conter atividades como contação de histórias, leituras públicas dirigidas, atividades que favoreçam o diálogo da literatura ou cultura em geral, encontros de discussão e/ou debates temáticos, ou cursos, oficinas e palestras sobre literatura. Os interessados têm até 10 de setembro para realizar a inscrição no site do ProAC. Podem participar pessoas físicas, maiores de 18 anos e que comprovem domicílio no estado de São Paulo. Os projetos escolhidos receberão o valor de R$ 50 mil para viabilização da ideia. Via PUBLISHNEWS

Com-Arte Jr. realiza painel sobre quadrinhos

Evento gratuito acontece nos dias 29 e 30/08 e vai discutir 'Quadrinhos distópicos brasileiros' e 'Os desafios do universo de webcomics' A Com-Arte Jr, empresa júnior de Editoração da Escola de Comunicação e Artes da USP, realiza o Painel Aberto de Quadrinhos, evento gratuito composto por duas mesas: Quadrinhos Distópicos Brasileiros, no dia 29 de agosto, às 15h, com Zé Wellington, Kione Ayo e Isaac Santos e mediação de Gabriel Jardim; e Os Desafios do Universo de Webcomics, no dia 30, às 15h, com Paulo Moreira, Luiza de Souza e Gillian Rosa e mediação de Helô D'Angelo. A Melhoramentos apoiará o evento e sorteará, durante a programação, três adaptações em HQ de clássicos da literatura brasileira publicados pela casa centenária: O Ateneu, O Alienista e O triste fim de Policarpo Quaresma. Além disso, os três títulos (em suas versões digitais) serão vendidos com desconto via e-commerce. Para mais informações sobre o evento e inscrições, clique aqui.
Via PUBLISHNEWS

Quem tem medo do Ministério Público?

O Ministério Público fortaleceu-se a partir da CF de 1988, sendo incumbido da defesa da ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses sociais e individuais indisponíveis, com funções institucionais definidas, com garantias e vedações aos seus membros. Desde então, a partir de uma pronta e efetiva atuação em várias esferas: criminal, consumidor, idoso, combate à corrupção... O MP mostrou sua importância, em especial, para a sociedade. Na medida em que se destacou, notadamente no combate à corrupção, o MP passou a incomodar. E muito. Por isso, inúmeras têm sido as tentativas de enfraquecê-lo: retirando seu poder de investigação, amordaçando a voz de seus integrantes, limitando sua atuação... Um MP independente é muito perigoso. Em decisão recente tomada nos autos da Medida Cautelar (Petição 9.067 DF), interposta pelo Procurador da República Deltan Dallagnol, em relação a processo disciplinar contra si instaurado pelo CNMP, o Ministro do STF Celso de Mello assim se manifestou em s…

Reformas

Há algum tempo, no Brasil, estamos debatendo e examinando a possibilidade de realização de reformas. Vivemos em uma época de reformismo. Existe uma expectativa generalizada em todo o País. Por isso, impõe-se que se reflita atenciosamente, examine-se com cuidado, para não sermos conduzidos por modismos. É preciso um correto diagnóstico dos problemas, visando avaliar se realmente necessitamos, em todos os aspectos, reformar nosso direito positivo. Assim sendo, duas vertentes de análise devem ser observadas. É importante saber se as reformas propostas são para ajustes circunstanciais de caixa (objetivos de Governo) ou então se são para atender objetivos de Estado. Em relação à segunda vertente referida, vale ressaltar pontos estruturantes como a realização de investimentos privados e públicos, a redução da dívida social, etc. Os ajustes de caixa nem sempre provocam benefícios para as populações e para as empresas. Vale lembrar que os governos passam, já o Estado permanece com seus objet…