Destaque

Choram porque amam

Padre Geovane Saraiva* Como é bom rezar e colocar em primeiro lugar o mistério da redenção! Nem sempre, porém, sabemos rezar e nem d...

6 de maio de 2019

Bazar de Livros da Editora Dummar ocorre de terça a sábado

| ACESSO GRATUITO | Oficinas, palestras e minicursos são destaque no Bazar de Livros da Editora Dummar, que tem início nesta terça-feira, 7, e segue com programação até sábado, 11


Quinta-feira, 9, o Grupo Verso de Boca apresenta o Concerto de Poesia e bate-papo às 19 horas.
Quinta-feira, 9, o Grupo Verso de Boca apresenta o Concerto de Poesia e bate-papo às 19 horas. (Foto: Divulgação)
O Espaço O POVO de Cultura & Arte recebe, a partir de amanhã, 7, até sábado, 11, o Bazar de Livros da Editora Dummar. Serão cinco dias de intensa programação gratuita, com diversas atividades, oficinas, palestras e minicursos, além de descontos nos livros da Editora Dummar. "Durante a realização do Bazar, todos os livros catalogados terão descontos de até 85%", informa Regina Ribeiro, editora-executiva da Fundação Demócrito Rocha (FDR). Com temas diversificados e participação de nomes da literatura cearense atual, os participantes das oficinas e minicursos receberão certificado de participação da FDR.
Os convidados para as atrações discutirão o mercado e as formações literárias atuais, além de exercitarem o relacionamento da literatura com as outras formas artísticas. O evento inicia amanhã, às 9 horas, levando oficina de bordado com a técnica Sashiko. Ministrada por Virgínia Fukuda, a arte milenar japonesa de bordado é formada por grandes pontos que criam um conjunto de modelos geométricos, resultando em padrões de costura que remetem a natureza.
"Eu levarei um texto que será lido na hora e os participantes irão fazer um desenho a partir do que sentiram e compreenderam da leitura. Cada um irá construir seu bordado Sashiko a partir do desenho do texto", conta Virgínia Fukuda, relembrando que os materiais para a oficina serão disponibilizados aos participantes.
Utilizando recursos do teatro para dar vida a poemas da literatura brasileira, o Grupo Verso de Boca encerra a programação da quinta-feira, 9, às 19 horas, com apresentação de obras literárias performadas. "Nossa proposta é levar poesia a todos os públicos em qualquer lugar para divulgar a poesia falada, que difere da lida e da escrita", conta Carolina Sena, uma das integrantes do grupo que surgiu no curso de Letras da Universidade Federal do Ceará (UFC)
em 1999.
Para complementar a programação de atividades que ilustram as diversas possibilidades artísticas que dialogam com a literatura, na sexta-feira, 10, ocorre a oficina Uma proposta de publicação coletiva: Como produzir um livro artesanal. Ministrado pela artista plástica e designer Bianca Ziegler, na oficina, os participantes serão convidados a produzir um livro de forma manual e artesanal, desde a diagramação até a montagem.
Proprietária da Editora Nadifúndio, Bianca também irá debater sobre as inúmeras alternativas da produção coletiva e o futuro das editoras independentes. "Nós (editores independentes) temos que pensar na relação que o leitor tem ao comprar um livro. O livro não é apenas um objeto, quem compra quer folhear, cheirar, sentir as texturas e as imagens. A gente consegue explorar todas essas sensações quando trabalhamos de forma artesanal", finaliza Bianca Ziegler.
Clique na imagem para abrir a galeria

Programação

Terça-feira, 7
Oficina de Bordado com a técnica Sashiko, com Virgínia Fukuda.
Quando: 9 às 11 horas
Ateliê de Escrita de textos infantojuvenis, com a escritora Marília Lovatel.
Quando: 14 às 17 horas
Minicurso de Educação Biocêntrica, com a psicopedagoga Ruth Cavalcante.
Quando: 19 às 21 horas
Quarta-feira, 8
Oficina de Bordado e Literatura, com Lourdes Bernardo.
Quando: 9 às 11 horas
Ateliê de Escritor: Como contar um conto, com o escritor Mateus Lins.
Quando: 14 às 17 horas
Panorama do Cinema produzido no Ceará: um diálogo com a filmografia brasileira, com Émerson Maranhão.
Quando: a partir de 19 horas
Quinta-feira, 9
Oficina de Bordado e Literatura, com Lourdes Bernardo.
Quando: 9 às 11 horas
Oficina de fotografia para Instagram, com a fotógrafa Camila de Almeida.
Quando: 15 às 16h30min
Concerto de Poesia e bate-papo com o grupo Verso de Boca.
Quando: a partir de 19 horas
Sexta-feira, 10
Uma proposta de publicação coletiva: como produzir um livro artesanal, com a designer Bianca Ziegler.
Quando: 14 às 17 horas
Roda de conversa: Do encontro ao desencontro: editoras independentes, artesania e novos autores, com Rafael Caneca, Sandy, Manu, Madjer e Isabel Costa.
Quando: a partir de 17h30min
Lançamento do livro “Paginário”, com a escritora Anna K.
Quando: a partir de 19 horas
Sábado, 11
Literatura, feminismo e subversão. A partir da obra das autoras Virginia Woolf, Simone de Beauvoir e Hilda Hilst, com a escritora Juliana Diniz.
Quando: 9 às 12 horas

Bazar de Livros da Editora Dummar

Terça-feira, 7
Oficina de Bordado com a técnica Sashiko, com Virgínia Fukuda.
Quando: 9 às 11 horas
Ateliê de Escrita de textos infantojuvenis, com a escritora Marília Lovatel
Quando: 14 às 17 horas
Minicurso de Educação Biocêntrica, com a psicopedagoga Ruth Cavalcante.
Quando: 19 às 21 horas
Quarta-feira, 8
Oficina de Bordado e Literatura, com Lourdes Bernardo
Quando: 9 às 11 horas
Ateliê de Escritor: Como contar um conto, com o escritor Mateus Lins
Quando: 14 às 17 horas
Panorama do Cinema produzido no Ceará: um diálogo com a filmografia brasileira, com Émerson Maranhão.
Quando: a partir de 19 horas
Quinta-feira, 9
Oficina de Bordado e Literatura, com Lourdes Bernardo.
Quando: 9 às 11 horas
Oficina de fotografia para Instagram, com a fotógrafa Camila de Almeida
Quando: 15 às 16h30min
Concerto de Poesia e bate-papo com o grupo Verso de Boca.
Quando: a partir de 19 horas
Sexta-feira, 10
Uma proposta de publicação coletiva: como produzir um livro artesanal, com a designer Bianca Ziegler
Quando: 14 às 17 horas
Roda de conversa: Do encontro ao desencontro: editoras independentes, artesania e novos autores, com Rafael Caneca, Sandy, Manu, Madjer e Isabel Costa
Quando: a partir de 17h30min
Lançamento do livro "Paginário", com a escritora Anna K.
Quando: a partir de 19 horas
Sábado, 11
Literatura, feminismo e subversão. A partir da obra das autoras Virginia Woolf, Simone de Beauvoir e Hilda Hilst, com a escritora Juliana Diniz.
Quando: 9 às 12 horas
LÍLLIAN SANTOS/ ESPECIAL PARA O POVO

Menores de idade só poderão viajar sozinhos a partir dos 16 anos

Crianças e adolescentes que ainda não completaram 16 anos só poderão viajar sozinhos se tiverem autorização judicial, exigência que se aplicava aos menores de 12 anos.
Não existe a necessidade de autorização para o menor de 16 anos que tenha como destino uma cidade vizinha à qual reside ou até mesmo dentro de uma região metropolitana.
Não existe a necessidade de autorização para o menor de 16 anos que tenha como destino uma cidade vizinha à qual reside ou até mesmo dentro de uma região metropolitana. (Pixabay)

Agora, os adolescentes com menos de 16 anos não poderão viajar dentro do Brasil sem acompanhamento de um maior de idade. A Lei 13 812/2019 lançou a Política Nacional de Busca de Pessoas Desaparecidas, alterou um artigo do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e determinou que crianças e adolescentes de até 16 anos precisam estar acompanhados pelos pais, responsáveis ou familiares (mediante documentação que comprove parentesco de, no máximo, terceiro grau), durante viagem nacional. 
Nesse sentido, as crianças e adolescentes que ainda não completaram 16 anos só poderão viajar sozinhos mediante apresentação de autorização judicial. Até então, essa exigência se aplicava aos menores de 12 anos.
Mudanças na prática
As regras para viagens internacionais permanecem inalteradas: os menores de 18 anos devem viajar acompanhados de pais ou de responsáveis legais. Sozinhos ou com outros acompanhantes é permitido apenas mediante autorização judicial. Se a criança ou adolescente estiver em viagem com apenas um dos pais, o outro precisa autorizar a viagem de forma expressa, ou seja, por meio de documento com firma reconhecida. 
Não existe a necessidade de autorização para o menor de 16 anos que tenha como destino uma cidade vizinha à qual reside ou até mesmo dentro de uma região metropolitana. O ECA também indicou a necessidade de apresentar autorização judicial no caso da criança ou adolescente brasileiro sair do país acompanhado por estrangeiros domiciliados ou residentes no exterior. 
O ECA teve seu texto referente à autorização para viagem de menores alterado pela Política Nacional de Buscas de Pessoas Desaparecidas. Ficou determinado também que fosse criado o Cadastro de Pessoas Desaparecidas, que contará com informações e bancos de dados que reúnem tudo sobre os desaparecidos e seus familiares. 
Hospedagem também requer autorização
Ainda que os menores de idade possam viajar em território nacional sem seus pais ou responsáveis legais, só poderão se hospedar em pousadas, hotéis, motéis e pensões mediante apresentação de autorização dos pais ou autorização judicial, ou ainda acompanhados de familiares que possam provar o parentesco. 
O artigo 250 do ECA estipula que os estabelecimentos que aceitarem adolescentes abaixo dos 16 anos sem acompanhamento devido (e sem a autorização judicial escrita e assinada) deverão receber multa e até mesmo interdição (para casos de reincidência). 
A autorização dos pais ou autorização judicial é uma necessidade nesses casos também, já que a hospedagem de menor de idade demanda uma maior responsabilidade dos acompanhantes. 

REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Há algum tempo, a Reforma da Previdência é o assunto da vez.
O fato é que a temática é indigesta, mal explicada e por isso mesmo provoca tantas dúvidas e temores.
Aqui não pretendo discutir sobre a necessidade ou não desta pretendida Reforma, de seus aspectos legais e constitucionais, mas tecer algumas considerações que gravitam em seu entorno.
Primeiramente, a falta de transparência é um ponto crucial e assustador. Por que manter dados em sigilo se o assunto interessa a todos os brasileiros? O que há de tão terrível e grave que não pode ser mostrado? Tanto mistério é indicativo de algo está errado.
Outra coisa que levanta certa suspeita é o interesse dos investidores nacionais e internacionais de que esta Reforma passe, sob pena de não investirem no país, uma espécie de quase chantagem, e a cada notícia, a bolsa de valores e o dólar sobem ou descem em seus índices.
Afora isso, a imprensa, notadamente alguns meios de comunicação, fazem uma campanha ferrenha a favor da Reforma da Previdência, colocando-a como imprenscindível para que o Brasil saia do atoleiro em que se encontra com seus mais de dez milhões de desempregados.
No meio dessa discussão, em nenhum momento, o governo federal pensou em cobrar extrajudicialmente ou judicialmente os grandes devedores da Previdência Social: os maiores bancos do país e os clubes de futebol. Muito estranho. Porque isso traria dinheiro para um caixa dito tão combalido.
E um governo que não quer fazer a velha política do toma lá dá cá, acabou por a ela se abraçar, desesperadamente, pois vê esta Reformada Previdência como crucial à sua sobrevivência.
Muitas conclusões disso tudo podemos tirar:
Uma delas, é a de que muita gente vai ganhar com a Reforma da Previdência, notadamente os grandes bancos, pois os trabalhadores e servidores públicos serão obrigados a eles recorrerem para fazerem um plano de previdência privada, sob pena de morrerem de fome quando aposentados ou na velhice.

Está Reforma da Previdência servirá tão somente para penalizar ainda mais os trabalhadores e os funcionários públicos, em quem sempre recaem a conta para os mandos e desmandos de governos incompetentes de administrar a coisa pública com responsabilidade.
Antes desta Reforma, talvez fosse de bom tom cobrar a dívida dos grandes devedores da Previdência e fechar o gargalo da corrupção. 
Seria um grande começo para recuperar a credibilidade do país.

Preferível trilhar o caminho mais fácil: tirar de quem pouco tem.
Grecianny Carvalho Cordeiro
Promotora de Justiça

ATÉ TU, BRUTO?

Shakespeare foi um gênio da dramaturgia.
Passados séculos desde a publicação de suas obras, ainda hoje, nos encantamos com seus textos, trágicos ou cômicos, notadamente quando encenados no teatro ou vistos nos telões do cinema.
Relendo Júlio César, não há como não se deleitar com a beleza de uma obra tão maravilhosa que, mesmo já conhecendo o enredo e todos os spoilers, ainda somos tomados pela ansiedade de concluir a leitura.
Shakespeare tem o poder de despertar nossa curiosidade para um texto em que o personagem principal é assassinado logo no início!
Em Júlio César, o ditador romano que sofria do “mal da queda”, é vítima de uma conspiração arquitetada por Cássio e que conta com a colaboração de vários aristocratas, em especial, daquele a quem devotava grande estima: Bruto.
“Temei os Idos de março”, alertava um vidente a Júlio César.
No dia previsto para o assassinato, sua esposa Calpúrnia insistiu para que não saísse de casa, pressentindo uma desgraça, mas Júlio César foi habilmente convencido por Décio, uns dos conspiradores, que deveria sair, sob pena de ser ridicularizado por ser supersticioso, além do que, o Senado prometia dar-lhe uma coroa e torna-lo rei.
Das diversas punhaladas desferidas de forma covarde, é Bruto quem dá o golpe final. Surpreso com a identidade de seu algoz, a quem amava como a um filho, Júlio César profere a famosa frase que usamos até os dias de hoje para nos referirmos a um traidor: “Até tu, Bruto?”
Curiosamente, Bruto, o homem que entraria para a História como um dos maiores traidores, na peça shakespeariana, é retratado como um amigo que ama César, mas que teme que seu poder ilimitado possa levar Roma à ruína. É preciso mata-lo antes que se fortaleça mais. E seu drama consiste em se ver obrigado a trair o amigo por algo bem maior: seu patriotismo e sua lealdade à Roma.
Ao discursar para o povo, explicando sua atitude, diz Bruto: "porque César foi meu amigo, eu o choro; porque ele foi venturoso, eu me alegro; porque ele foi valente, eu o respeito; mas porque ele foi ambicioso, eu o matei".
Depois, Marco Antônio discursa para o povo e o convence de que Júlio César nunca foi tirano ou ambicioso, arrematando com mestria: "Eu venho enterrar César, não louvá-lo. O mal que os homens fazem vive sempre, mas o bem é enterrado com seus ossos. Que assim seja com César".
E assim são feitos os clássicos: de um material que o tempo jamais é capaz de destruir ou mesmo enfraquecer.
Grecianny Carvalho Cordeiro
Promotora de Justiça

Inscrições para o Enem 2019 começam hoje; saiba como participar

Candidatos aguardam abertura do portões do UniCEUB em Brasília, para o primeiro dia de provas do Enem 2018
Começam hoje (6), às 10h, as inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019. O processo será feito exclusivamente pela internet, até o próximo dia 17, por meio da Página do Participante. As provas serão realizadas nos dias 3 e 10 de novembro.
A taxa de inscrição custa R$ 85 e deve ser paga até o dia 23 de maio, de acordo com o cronograma do exame.
O participante terá até o dia 17 de maio para atualizar dados de contato, escolher outro município de provas, mudar a opção de língua estrangeira e alterar atendimento especializado e/ou específico. Após esse prazo, não serão mais permitidas mudanças. 
O candidato que precisar de atendimento especializado e específico deve fazer a solicitação durante a inscrição. O prazo para pedidos de atendimento por nome social vai de 20 e 24 de maio.
Quem já concluiu o ensino médio ou vai concluir ainda este ano pode usar as notas do Enem, por exemplo, para se inscrever em programas de acesso à educação superior, de bolsas de estudo ou de financiamento estudantil.
A prova também pode ser feita pelos chamados treineiros – estudantes que vão concluir o ensino médio depois de 2019. Neste caso, os resultados servem somente para autoavaliação, sem possibilidade de o estudante concorrer efetivamente às vagas na educação superior ou para bolsas de estudo. Esses participantes devem declarar ter ciência disso já no ato da inscrição.

Cartão

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) disponibiliza, a partir de outubro, no mesmo site, o cartão de confirmação. O documento informa o número de inscrição e as datas, os horários e o local das provas. A recomendação do ministério é que o candidato leve o documento nos dois dias de prova.

Isenção

Mesmo quem solicitou a isenção da taxa precisa se inscrever. Estudantes que entraram com recurso relacionado ao pedido de isenção já podem verificar o resultado. As informações foram divulgadas na quinta-feira (2) no Sistema Enem. É necessário fazer login para acessar o resultado.
Três perfis de participantes têm direito à isenção na taxa de inscrição – estudantes da última série do ensino médio em 2019 em escolas públicas declaradas ao censo escolar; estudantes com renda familiar menor que um salário mínimo e meio por pessoa e que cursaram o ensino médio na rede pública ou com 100% de bolsa na rede privada; e estudantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica membros de famílias de baixa renda inscritas no Número de Identificação Social (NIS), com renda familiar mensal de até três salários mínimos ou de até meio salário mínimo por pessoa.

Estudo

Para reforçar o conhecimento dos candidatos, a Empresa Brasil de Comunicação(EBC) oferece várias estratégias gratuitas, como o Questões Enem, no qual os estudantes têm acesso a um atualizado banco de dados que reúne provas de 2009 até 2018. O site permite a resolução das questões online, com o recebimento do gabarito.
Já pelo perfil EBC na Rede, é possível acompanhar a série Caiu no Enem. O desafio é responder no fim de semana à questão publicada na sexta-feira. Na segunda-feira, um professor responde ao questionamento. A série fica até a semana que antecede ao exame de 2019. Para ter acesso aos vídeos com as respostas, basta se inscrever no canal youtube.com/ebcnarede.
A partir de outubro, semanalmente, a EBC produz um programa para ajudar os estudantes na reta final. O Esquenta Caiu no Enem convida professores para dar as últimas dicas sobre o exame. E, em novembro, nos fins de semana da prova, a TV Brasil em parceria com as rádios Nacional e MEC, realiza o programa Caiu no Enem, em que professores de todas as disciplinas comentam ao vivo as questões do exame. Além disso, durante a programação da TV Brasil e das rádios Nacional e MEC, interprogramas trazem dicas sobre o exame.

Agência Brasil