Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro 19, 2019

No pasarán!

Florestan Fernandes Júnior é jornalista, escritor e integrante do Jornalistas pela Democracia

Se os democratas não se mobilizarem em defesa do Estado Democrático de Direito, "o Brasil será transformado num pária no mundo", escreve Florestan Fernandes Jr., do Jornalistas pela Democracia. Quem defende o obscurantismo, diz ele, teme que seus filhos sintam-se "inclinados a pensar e olhar a realidade pelas lentes daqueles que tentam combater, calando-os" 18 de outubro de 2019, 13:14 h Atualizado em 18 de outubro de 2019, 14:05 489
Por Florestan Fernandes Jr., do Jornalistas pela Democracia
É chegada a hora de os democratas agirem enquanto há tempo. Se não se mobilizarem já em defesa do Estado Democrático de Direito, em breve o Brasil será transformado num pária no mundo. Uma enorme republiqueta povoada por miseráveis disputando um prato de comida, e por uma elite perversa e ignorante desprovida de qualquer compromisso com os principio básicos de humanidade e cidadania.…

O mistério da vida

Padre Geovane Saraiva* Na segura convicção de que o Senhor é bom, além de refúgio na dor e na angústia, confiamos em sua proteção. Somos munidos pelos estigmas da confiança e da esperança por Deus, que quer, através de nós, suas criaturas, dizer algo ao mundo, como nas palavras de Dom Helder: “Que sementes desejo espalhar pela Terra? Sementes de paz, de amor, de compreensão e de esperança. Há tanto desespero, desengano, decepção, frustração e desesperança! Sementes de esperança chegariam em boa hora”.
Dentro do espírito da mais elevada esperança cristã, quero aqui homenagear meus primos Norberto Duarte Saraiva e Juscelene de Oliveira da Silveira, pessoas de fé, simples e humildes, e falecidas nesta primeira quinzena de outubro de 2019. Que o bom Deus os acolha na sua paz! Diante da morte, temos o ensinamento de Jesus de Nazaré, o Bom Pastor: mesmo com a morte a nos causar grande dor e tristeza, no céu temos a certeza da eterna felicidade, da vida sem ocaso e declínio. O Livro Sagrado n…

Prêmio São Paulo de Literatura 2019 anuncia classificados para a final

Vinte obras foram selecionadas entre 175 concorrentes de diversos estados; vencedores serão conhecidos em dezembro
Nesta sexta-feira (18), a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado anunciou os finalistas da 12ª edição do Prêmio São Paulo de Literatura, o maior do País em premiação individual para o gênero. Serão contemplados um autor pela categoria “Melhor Romance de Ficção do Ano de 2018” e um como “Melhor Romance de Ficção de Estreia do Ano de 2018”. Cada ganhador receberá o prêmio de R$ 200 mil. A cerimônia de entrega do prêmio será realizada em dezembro. Permanecem na disputa autores naturais de sete estados brasileiros: São Paulo (6), Rio de Janeiro (5), Santa Catarina (3), Paraná (2), Goiás (1), Pernambuco (1) e Rio Grande do Norte (1), além de um finalista chileno. Ao todo, 175 livros entraram na competição. A ênfase no romance é uma característica do Prêmio São Paulo de Literatura desde a criação, em 2008, inspirado no britânico Man Booker Prize. Confira os finalis…

Lei do retorno

Por Paulo Eduardo Mendes*
Não tema a pecha de "isentão". É prerrogativa sua criticar ou elogiar quem quer que seja, nos espectros da esquerda ou da direita. É prerrogativa de qualquer um, aliás. Não tema, não tema. Também dê de ombros se lhe chamarem, como se isso fosse um xingamento, de "politicamente correto". O fato é que existe uma caçada brutal, sanguinária até, a quem se posiciona contra a misoginia, a favor dos direitos de crianças e adolescentes e idosos, pela liberdade de opção sexual ou pela escolha religiosa, por educação de qualidade, por liberdade de expressão, por arte sem preconceito e sem censura. Por gente fina, elegante e sincera, enfim. As redes sociais na internet estão neste momento cheinhas de arapucas tentando abocanhar e enquadrar quem venha a dar algum cavaco a posturas proativas e propositivas. Arapucas armadas por comportamentos rasteiros, traiçoeiros. Os tais dos "politicamente corretos" são vistos como chatos, mas estão longe …