Destaque

Choram porque amam

Padre Geovane Saraiva* Como é bom rezar e colocar em primeiro lugar o mistério da redenção! Nem sempre, porém, sabemos rezar e nem d...

19 de dezembro de 2017

Dez anos sem Dom Aloísio

Padre Geovane Saraiva*
A partir do mistério da encarnação, como é importante pensar e meditar na salvação que nos é oferecida como dom e graça! Cristo Jesus, com seu glorioso nascimento, entrou na nossa história e penetrou no profundo do Universo, convencendo-nos de que ele é o centro misterioso de toda a criação. Alicerçados na vontade de Deus, somos chamados sempre mais a buscar sua verdadeira imagem, “na graça salvadora de Deus que se manifestou a todos os homens” (Tt 2, 11).

Resultado de imagem para dom aloísio lorscheider saraivaÉ na alegre, afável e harmoniosa esperança da frágil criança na manjedoura de Belém, bem dentro do contexto do Natal do Senhor, que recordamos Dom Aloísio Lorscheider, que há dez anos partiu deste mundo (23/12/2007). Quem teve a graça de conhecê-lo, de com ele conviver e trabalhar, pôde atestar, agradecido ao bom Deus, sua vida como sendo uma dádiva do céu para o povo brasileiro, sempre lembrado de sua fecunda presença de 22 anos entre o povo cearense. Era um profeta de voz doce, e, diante da insensatez do mundo, ecoou essa voz bem alto e em bom tom, em circunstâncias de muito sofrimento e ausência de liberdade da vida do povo brasileiro.

O Cardeal Lorscheider anunciou com força a esperança cristã, em conformidade com o Evangelho, sendo um sinal vivo de Deus. Identificado com o a Boa Nova de Jesus, sonhava em ver a criatura humana vivendo em melhores condições de vida e com mais dignidade, sobretudo aqueles que Deus colocou como ovelhas do seu rebanho. Também travou uma árdua e envolvente luta a favor da redemocratização, da liberdade de expressão e do fim da tortura em nosso querido Brasil, dentro da dura realidade da falta de liberdade vivida pelo povo brasileiro, sem jamais se cansar.

Certamente, a exigente e acintosa realidade do Nordeste brasileiro o levou a redescobrir a verdadeira face de Deus, numa vida inteiramente aberta ao seu Senhor e aos irmãos, traçando, assim, os passos de sua ação pastoral, dentro da coerência franciscana, longe de intolerância e intransigência, sendo um sinal vivo do Seu amor, no sonho de uma sociedade mais inclusiva, sem nunca lhe faltar a ternura e a coragem do bom pastor.

Vamos render graças ao Deus da vida por Dom Aloísio, na Missa das 19 horas de 23 de dezembro de 2017, na Paróquia de Santo Afonso, Parquelândia – Fortaleza-CE.


Pároco de Santo Afonso e vice-presidente da Previdência Sacerdotal, integra a Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza - geovanesaraiva@gmail.com

Exposição com obras de Arnaldo Antunes segue em cartaz até dezembro em Fortaleza

Segue em cartaz até 22 de dezembro, na Caixa Cultural Fortaleza, a exposição "Palavra em Movimento", que marca 30 anos de produção visual de Arnaldo Antunes. As obras da exposição seguem uma linearidade presente nas composições sonoras do ex-titã, mas indo além e explorando um viés poético que reúne várias linguagens artísticas, entre dimensões verbais, sonoras e visuais. Inaugurada em Fortaleza no dia 18 de outubro, a exposição está aberta para visitação gratuita de terça a sábado, das 10h às 20 horas, e aos domingos, das 12 às 19 horas. 
 
Com temas atuais, as obras presentes na exposição abordam conceitos políticos comportamentais, ecológicos e espirituais. Com obra e processo criativo marcados pelo vanguardismo, a mostra reúne caligrafias, colagens, instalações e objetos poéticos. Além disso, apresenta adesivos, cartazes, áudios e vídeos de trabalhos realizados em toda sua carreira. 
 
A mostra já passou por cidades como São Paulo, Brasília e Rio de Janeiro e encerra, na capital cearense, a itinerância de 2017. 
 
Serviço
Exposição "Palavra em Movimento", de Arnaldo Antunes
Quando: terça-feira a sábado, das 10h às 20h; e aos domingos, das 12h às 19h 
Onde: Caixa Cultural Fortaleza (av. Pessoa Anta, 287 - Praia de Iracema)
Visitação: até 22 de dezembro de 2017
Entrada gratuita
Outras info: (85) 3453 2770
 
Redação O POVO online

Veja lista com as dez melhores leituras de 2017

Fazer uma lista é sempre um risco. Livros maravilhosos podem ser esquecidos e por aí vai. Mas, atendendo pedidos insistentes, fiz um compilado dos dez livros que mais me motivaram em 2017. Tem Raisa Christina, Rupi Kaur, Mia Couto, Ana Miranda. Os livros não formam um ranking. Coloquei em ordem aleatória, ok?
Quero saber: quais os melhores livros do ano?
Outros jeitos de usar a boca, Rupi Kaur
Rupi é rainha. Com um livro de poemas simples e conciso, a indiana criada no Canadá conseguiu uma legião de leitoras e leitores.

Em busca de Watership Down, Richard Adams
Lançado pela primeira vez em 1972, o livro conta a história de um grupo de coelhos que precisa sair do seu local de origem após pressagiar a devastação iminente do viveiro.

Claviculário, Anna K Lima
Gestado durante dez anos, o livro da escritora cearense Anna K Lima tem fogo, água, terra e elementos ainda não descobertos. É sublime. Uma das leituras que mais me deixou fora do eixo nos últimos anos. O livro saiu em junho de 2017 pela Editora Substânsia e ganhou uma nova edição do Selo Editorial Aliás. Eu já indiquei esse livro na lista do Margens!

Não era você que eu esperava, Fabien Toulmé
É uma HQ muito bem trabalhada, divertida e com uma história real. Fabien Toulmé narra o processo de descoberta e aceitação da filha caçula, Julia, que o diagnóstico de Síndrome de Down. É uma produção divertida, emocionante e cheia de sinceridade. Eu falo mais sobre ela aqui!

“Quando vieres ver um banzo cor de fogo”, Nina Rizzi
Nina é uma das poetas mais certeiras que conheço. Em 2017, ela veio com Quando vieres ver um banzo cor de fogo. Livro publicado pela Editora Patuá, tem tanta força que – às vezes – me deixa sem reação. Nina é conhecida por seu significativo trabalho com oficinas de escrita criativa para mulheres. Eu já indiquei esse livro na lista do Margens!

“Mensagens enviadas enquanto você estava desconectado”, Raisa Christina
O livro foi lançado em 2014, mas, nesse ano, ganhou uma notoriedade na cena literária cearense. Raisa é dona de uma escrita certeira. Sabe chegar aos corações. E, para além da palavra, o livro tem ilustrações incríveis feitas por ela, que também é uma excelente artista visual. A publicação também é da Editora Substânsia. Eu já indiquei esse livro na lista do Margens!

Angélica Freitas (foto: Bianca de Sá/divulgação)
Um útero é do tamanho de um punho, Angélica Freitas
Um livro incrível! A poesia de Angélica é potente, sedutora, certeira. Publicado pela Companhia das Letras, o livro me ganhou facinho. Os textos partiram de uma série de inquietações – sobre o espaço, sobre a condição feminina, sobre as construções coletivas. Eu conversei com a Angélica e tem matéria aqui!

O peso da luz, Ana Miranda
É um livro simples e considero até fora da curva da produção da Ana. Escritora cearense de renome nacional, indicada a prêmios e pessoa incrível, Ana narra histórias relacionadas a vinda da comitiva do cientista Albert Einstein ao Ceará, processo que resultou na comprovação da Teoria da Relatividade.

Desmundo, Ana Miranda
Meu livro preferido entre os produzidos por Ana Miranda. Ela recria o Brasil colonial a partir da perspectiva das órfãs que eram trazidas para casar com “os senhores brancos e de bem”. O texto tem sangue, exploração, machismo, ruína e salvamento. Em 2003 foi feito um filme com base no livro.

Terra Sonâmbula, Mia Couto
Publicado no início da década de 1990, o livro narra várias mazelas provocadas pela Guerra Civil. São várias histórias narradas simultaneamente. É um ótimo livro, porém, eu alerto, é preciso ter o estômago e o coração reforçado para avançar na leitura.

Blog O Povo

Twitter reforça regras sobre conteúdo 'de ódio e abusivo'

Rede enfrenta críticas sobre sua forma de lidar com usuários que promovem o ódio na rede, o que a levou a eliminar o símbolo azul de verificação de várias contas.
O Twitter proibirá qualquer conteúdo que
O Twitter proibirá qualquer conteúdo que "glorifique a violência, ou aqueles que executarem um ato violento", assim como "imagens de ódio" (AFP/Arquivos)

O Twitter anunciou nessa segunda-feira (18) que começou a aplicar novas regras para filtrar conteúdos "de ódio" e "abusivo" na rede social, incluindo mensagens que promovam ou façam apologia da violência.
Há algum tempo a plataforma enfrenta críticas sobre sua forma de lidar com usuários, grupos e conteúdos que promovem o ódio na rede, o que a levou a eliminar o símbolo azul de verificação das contas de conhecidos nacionalistas americanos brancos no mês passado.
"As ameaças específicas de violência e desejos de dano físico grave, morte, ou doença, a um indivíduo, ou grupo de pessoas, viola nossas políticas", estabelecem as novas regras.
Também será proibido qualquer conteúdo que "glorifique a violência, ou aqueles que executarem um ato violento", assim como "imagens de ódio", incluindo logotipos e símbolos associados com "hostilidade e maldade" com grupos específicos.
O Twitter também informou que suspenderá "as contas que se afiliarem a organizações que usem, ou promovam, a violência contra civis para visibilizar suas causas".
Mas a rede social esclareceu que não bloqueará as contas de entidades militares e do governo, e que considerará abrir exceções "para os grupos que atualmente estão participando (ou se comprometeram) com uma resolução pacífica".
As políticas de uso foram alvo de críticas no mês passado, quando a rede não tomou nenhuma medida após um dos tuítes do presidente Donald Trump parecer uma ameaça de violência com a Coreia do Norte.
O Twitter respondeu com a promessa de revisar sua política enquanto assinalava que deve-se levar em conta a "notoriedade" e o interesse público no momento de decidir se apaga um tuíte.
A nova norma marca o mais recente esforço das redes sociais para eliminar conteúdo que promova atividades ilegais e abusivas, tentando permanecer aberta à dissidência e a temas polêmicos.
Uma conta que já não está visível no Twitter é a da líder da organização britânica de ultradireita Britain First, Jayda Fransen, cujas mensagens anti-Islã foram retuitadas por Trump; assim como a de outro líder do grupo, Paul Golding.
O Twitter não quis fazer comentários sobre nenhuma conta em particular e não deu informações imediatas sobre o número de usuários atingidos pela nova disposição, assinalou uma porta-voz.

AFP

Que o amor nunca entre em liquidação

Vídeo inspirador ilustrado com palavras do Papa Francisco


 Aleteia

Presos fazem exame hoje para certificação de ensino fundamental e médio

Sabrina Craide - Repórter da Agência Brasil
Detentos fazem prova do Enem - Arquivo/Agência Brasil
O Encceja é direcionado às pessoas que não tiveram a oportunidade de concluir os ensinos fundamental e médio em idade própria -Arquivo Agência Brasil
Cerca de 73,7 mil candidatos farão hoje (19) e amanhã (20) as provas do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos Privados de Liberdade (Encceja PPL). O exame é direcionado às pessoas que não tiveram a oportunidade de concluir os ensinos fundamental e médio em idade própria.
O Encceja será aplicado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), em parceria com o Departamento Penitenciário Nacional (Depen), em 1.323 unidades prisionais e socioeducativas, localizadas em 699 municípios. Cada unidade prisional e socioeducativa conta com um responsável pedagógico para representar os participantes na inscrição e certificação. Ele é o responsável pela inscrição e por repassar todas as informações necessárias aos participantes, além de fazer a distribuição dos candidatos nas salas.
Para participar do Encceja PPL é preciso ter, no mínimo, 15 anos de idade para quem busca a certificação do ensino fundamental e 18 anos para quem quer a certificação do ensino médio. Do total de candidatos, a maioria (63,7 mil) é de detentos em unidades prisionais e cerca de 10 mil são jovens que cumprem medidas socioeducativas.
Provas
Hoje serão aplicadas as provas do ensino fundamental, nos períodos matutino (das 9h às 13h) e vespertino (das 15h às 20h). As provas do ensino médio ocorrem amanhã (20), nos mesmos períodos.
A prova para proficiência no ensino fundamental terá 30 questões de língua portuguesa, língua inglesa, história, geografia, artes, matemática, ciências naturais, artes, educação física e redação. Já o ensino médio cobrará questões de ciências da natureza, ciências humanas, linguagens e códigos e matemática. Serão quatro provas para cada nível, além da redação.
Reaplicação
Hoje e amanhã também será feita a reaplicação para 22 participantes afetados por questões logísticas na aplicação regular do Encceja, realizada no dia 19 de novembro.

Governo quer destinar recursos de loterias diretamente a projetos culturais

Andreia Verdélio – Repórter da Agência Brasil
Brasília - O programa Por Dentro do Governo, da TV NBR, entrevista o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão (José Cruz/Agência Brasil)
Brasília - O programa Por Dentro do Governo, da TV NBR, entrevista o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão José Cruz/Agência Brasil
O ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, disse hoje (19) que o governo está elaborando um projeto de lei para destinar recursos das loterias federais para projetos culturais. “Diretamente da Caixa para os proponentes. Isso vai ser um programa de fomento à cultura na ordem de R$ 350 milhões. O maior que já foi feito na história do país”, disse Leitão.
Atualmente, a Caixa repassa valores arrecadados com as loterias para o Fundo Nacional de Cultura, que funciona por meio da renúncia fiscal; em 2016, foram mais de R$ 359 milhões. O Fundo Penitenciário Nacional, o Fundo Nacional de Saúde, o Programa de Financiamento Estudantil (Fies), a Seguridade Social e o esporte nacional também são beneficiários.
Assim como acontece com a Lei Federal de Incentivo à Cultura, conhecida como Lei Rouanet, a nova lei deve garantir repasses diretos aos projetos culturais.
Segundo Leitão, o ministério também deve anunciar em 2018, no âmbito da política do audiovisual, investimentos de R$ 700 milhões por ano ao setor, durante 10 anos. “O que vai colocar nosso setor audiovisual entre os cinco maiores do mundo”, disse, explicando que os recursos serão descentralizados, levando em conta a diversidade cultura e regional do país. Para o Norte, Nordeste e Centro-Oeste serão reservados 30% dos recursos e para o Sul, 10%.
Classificação indicativa em museus
Também para 2018, o governo federal vai trabalhar para a aprovação, no Congresso Nacional, de um projeto de classificação indicativa para museus e exposições culturais. Segundo o ministro, a minuta do projeto já foi apresentada ao Palácio do Planalto. “Nós defendemos, de maneira enfática, a adoção de classificação etária também no que diz respeito a museus e centros culturais, exposições e outras atividades, como acontece no cinema, na TV e nos games”, disse Leitão.
Polêmicas em exposições artísticas pelo país levaram o ministério a propor a medida. Em setembro, a exposição QueerMuseu foi suspensa, em Porto Alegre, após protestos nas redes sociais, assim como a apresentação de Histórias da Sexualidade, que levou o Museu de Arte de São Paulo (Masp) a proibir, pela primeira vez, a entrada de crianças e adolescentes para visitar a mostra. O museu acabou voltando atrás e liberando a entrada de menores de 18 anos, desde que acompanhados pelos pais ou responsáveis.
“Penso que se tivéssemos um sistema de classificação funcionando, boa parte dessas polêmicas e controvérsias não teriam acontecido ou não teriam a dimensão que tiverem”, disse, explicando que, enquanto não há a adoção de um sistema único, o Ministério da Cultura orientou que as próprias entidades culturais adotem um sistema de autoclassificação.
Ordem do Mérito Cultural
Hoje, o Ministério da Cultura entrega a Ordem do Mérito Cultural 2017, principal homenagem pública da cultura brasileira. Serão condecoradas 32 personalidades e instituições que contribuíram para a cultura nacional. Este ano, o evento tem como tema “Cultura, Inovação e Empreendedorismo”.
“O tema homenageia artistas, criadores e empreendedores culturais que, por meio do seu esforço e dedicação, contribuíram não apenas para o engrandecimento da cultura, mas para o fortalecimento da cultura como atividade econômica”, disse Leitão, contando que as atividades culturais respondem por 2,4% do Produto Interno Bruto (PIB) do país, R$ 10 bilhões em impostos, além de 1 milhão de empregos diretos.
O ministro ressaltou que as mudanças na Lei Rouanet e na Lei do Audiovisual são mecanismos que ampliam o acesso e aumentam o volume de recursos, promovendo o empreendedorismo cultural. “A política cultural é promoção de desenvolvimento econômico no país”, disse.
Sérgio Sá Leitão participou do programa Por Dentro do Governo, transmitido pela TV NBR.