Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro 8, 2018

Sensação literária japonesa questiona o que é ser 'normal'

Sayaka Murata, 39 anos, é um dos grandes nomes da nova literatura japonesa. Seu décimo livro,  Querida Konbini , é o primeiro a ganhar tradução para o português e chega ao Brasil pela editora Estação Liberdade depois de vender 700 mil exemplares no  Japão  e ser traduzido para outros 17 idiomas. A escritora japonesa Sayaka Murata, cujo livro 'Querida Konbini' está sendo lançado no Brasil  Foto: KENTARO TAKAHASHI A história tem fascinado tanta gente porque coloca diversos pontos de interrogação sobre o comportamento padrão da atual sociedade – é uma dica de leitura para todo escritor de autoajuda, em especial aos que publicam receitas práticas e simples para se viver melhor. Aquele que se considera um “cidadão de bem” e vive a combater quixotescamente o mau do mundo, como o Cabo Daciolo em sua promessa de destruir as estátuas da Havan, talvez se surpreenda com o romance japonês.  A crítica parte do ponto de vista de uma mulher que busca o tempo todo não causar

A Palavra Não

Por Uaçaí de Magalhães Lopes Foto: Arquivo pessoal                                       Para minha filha Carmen Está na hora de dizer NÃO ao sim. Se você é mulher      e tem vergonha de falar: diga NÃO. Se olhe no espelho: se veja naquelas mulheres de Atenas.  “É impossível conter a primavera”. As mulheres se uniram contra o Fascismo. Não queremos outro “Primeiro de Maio de Chicago” aqui no Brasil. Lembre-se das passeatas do dia 29 de setembro de de 2018 do Campo Grande descendo a Ladeira  até o Farol da Barra em Salvador, representando todas as passeatas ocorridas por todo o Brasil e pelo mundo afora. VIVA O 29 DE SETEMBRO  este dia será lembrado na história: DIA MUNDIAL DA LUTA CONTRA O FACISMO.       Se você alguma vez foi assediada. Alguém ficou se encostando demasiadamente em você no ônibus, no metrô. Grite, denuncie, perca o medo: diga  NÃO .   Se seu marido quer transar e você está cansada, vai fazer sexo só por obrigação: diga  NÃO .   Mas se você é homosexual não

Dentro da rotina das redes sociais, mulheres dividem as dificuldades e os pontos positivos de expor a maternidade

Marissa Pimenta publica dúvidas e experiências com a maternidade desde a gravidez de Martin, hoje com oito meses Conciliar rotinas de trabalho, burocracias do cotidiano e ainda cuidar da educação e vida de outro ser humano não parece uma tarefa nada fácil. E de fato não é. Longe dos estereótipos de famílias felizes e sem problemas, algumas mulheres dedicam parte do dia a dia às redes sociais para mostrar que a maternidade recompensa e é bonita. Contudo, além de tudo, é uma questão ainda mais complexa do que se desenha há milênios na sociedade. Presentes cada vez mais nas redes sociais, criadoras de conteúdo em plataformas como o Instagram optaram por trazer situações reais vivenciadas ao lado dos filhos e companheiros nesse processo de ser e se tornar mãe. Entre os eventos sociais, "recebidos", desfiles e marcas, elas compartilham a ida do filho à escola, a alimentação de uma criança e os questionamentos típicos dessa faixa etária. Nacionalmente, nomes como os de Tha

Nobel de Economia vai para 2 americanos por trabalhos sobre clima

EFE/ Copenhague EFE/HENRIK MONTGOMERY Os americanos William D. Nordhaus e Paul M. Romer ganharam nesta segunda-feira o prêmio Nobel de Economia por terem trabalhado em métodos para favorecer o crescimento sustentável e sobre a relação entre a economia e o clima, informou a Academia Real das Ciências da Suécia. Os dois "desenvolveram métodos que abordam alguns dos assuntos mais fundamentais e urgentes de nosso tempo: o crescimento sustentável em longo prazo na economia global e o bem-estar da população". De acordo com a Academia Sueca, Nordhaus mostra em suas pesquisas como a atividade econômica interage com a química e a física básica para causar a mudança climática. Nordhaus foi "a primeira pessoa que criou um modelo quantitativo que descreve a interação entre a economia e o clima", acrescentou a Academia. Além disso, os trabalhos de Nordhaus mostram que a maneira mais eficaz de combater as consequências dos problemas causados pela mudan