Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril 9, 2020

Lava-pés: deslocamento que amplia a visão da vida

Reflexão do Evangelho da Quinta-feira Santa - Jo 13,1-5 Não cabe ao cristão carregar as pessoas com seu paternalismo. Antes, sua missão é vê-las maduras, entrando por seus próprios pés na presença de Deus e assumindo o compromisso com a vida (Free Bible Images/ Lumo Project)
Adroaldo Palaoro* “Derramou água numa bacia, pôs-se a lavar os pés dos discípulos e enxugava-os com a toalha que trazia à cintura” (Jo 13,5)
No Evangelho desta Quinta-feira Santa, Jesus, com sua original sabedoria, nos oferece uma outra perspectiva de vida. Sem dúvida alguma, Jesus era um provocador, no sentido etimológico da palavra, (provocar: chamar para frente, desinstalar), que motivava as pessoas a verem as coisas a partir de uma perspectiva diferente da que era habitual.
Mas, custa-nos muito modificar nossa perspectiva; estamos acostumados a um modo fechado de viver, com umas viseiras que não nos permitem captar a vida em sua plenitude e riqueza; com isso nos instalamos no já adquirido e conhecido e atrofiamo…

Um guia para corações nas trevas

Conrad é um mestre em apontar ventos que podem, ou não, enfunar as nossas velas em direção a portos seguros Conrad foi capitão do Bark Otago, aqui ilustrado na primeira edição de Sea Mirror (1906) de acordo com instruções do autor (Wikimedia) Ricardo Soares*
Poucos escritores parecem estar capacitados a nos fazer atravessar esses mares revoltos de pandemia, desamor e ignorância ostentação como o eterno Joseph Conrad, homem do mar, um polonês que se notabilizou por escrever lindamente em inglês e por navegar oceanos e rios do mundo para nos legar maravilhas como NostromoA linha de sombraLord Jim ou Coração das trevas que o deixou ainda mais conhecido no século 20 por ter inspirado Apocalipse now o obrigatório filme de Coppola.
Para ficar aqui em metáforas marítimas digamos que Conrad não é exatamente um farol a nos guiar mas sim um mestre em apontar ventos próprios e impróprios que podem, ou não, enfunar as nossas velas em direção a portos seguros. Descobri tardiamente Conrad ou, di…