Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro 13, 2017

CONVITES

“Como é que alguém se transforma em escritor, ou é transformado em escritor?”

TwitterGoogle Plus
Ricardo Piglia em 2000, em entrevista ao EL PAÍSDANIEL MORDZINSKI Dois anos depois da morte do escritor argentino Ricardo Piglia, a editora Todavia lança no Brasil Anos de Formação: os Diários de Emilio Renzi, que percorre a educação formal e sentimental de Renzi, espécie de alter-ego de Piglia. Logo no início do livro, o narrador se questiona: "Como é que alguém se transforma em escritor, ou é transformado em escritor? Não é uma vocação, imagine, também não é uma decisão, mais parece uma mania, um hábito". É ao redor do ofício do escritor, tendo como cenário uma Argentina artística e política, que o livro se desenvolve.

Nova Fronteira Lança dois volumes de obra póstuma de Ariano Suassuna

por Folha Press Ariano Suassuna ( Rosilda Cruz/ SecultBA ) A criação de uma síntese de sua obra e de seu pensamento sobre a cultura brasileira perseguiu o escritor Ariano Suassuna (1927-2014) ao longo de 33 anos. Perto de morrer, em 2014, ele concluiu os dois primeiros volumes dos sete previstos para a série "A Ilumiara", nome inspirado nos anfiteatros de ancestrais. O fascínio pela arte rupestre, vista como um painel do poder criativo dos brasileiros, se estende às ilustrações do "Romance de Dom Pantero no Palco dos Pecadores", a esperada autobiografia de Suassuna, agora lançada pela editora Nova Fronteira. Os dois volumes concluídos, "O Jumento Sedutor" e "O Palhaço Tetrafônico", se dividem em quatro capítulos estruturados em cartas "aos nobres Cavaleiros e belas Damas da Pedra do Reino", dedicadas aos povos formadores do Brasil, numa reverência a índios, negros, portugueses, árabes, judeus, ciganos, japoneses, alemães, entre outros. …

Aplicativo mapeia arte urbana em Fortaleza

Um guia virtual da arte urbana em Fortaleza está disponível em formato de aplicativo. Após um ano de desenvolvimento, foi lançado o Arte Urbana Fortaleza, que tem informações geolocalizadas sobre obras e muros. A iniciativa foi capitaneada pelo Festival Concreto. No mapa virtual, o usuário pode detalhar, traçar rotas e compartilhar informações. É possível ainda fotografar e incluir obras que não constam no aplicativo, além de indicar muros para artistas grafitarem. O Arte Urbana Fortaleza está disponível na Google Play e na App Store. Mais de 200 obras estão catalogadas. O aplicativo é um guia para turistas e fortalezenses que desejam encontrar as melhores obras de arte urbana na capital cearense. Outras informações: www.arteurbanafortaleza.com.br O Povo

Saiba quem é o brasileiro indicado ao Prêmio Nobel da Paz 2018

Conhecido como "Senhor Gentileza", o indicado lidera uma rede de solidariedade com mais de 35 mil pessoas Gentileza gera gentileza. A clássica frase de José Datrino, o profeta Gentileza, que, com seus escritos, levavam mensagem de paz, amor ao próximo, bondade e esperança nas ruas do Rio de Janeiro a milhares de pessoas, marcou e muito a vida do escritor e palestrante Luiz Gabriel Tiago. Luiz, conhecido como “Senhor Gentileza”, também é empresário e turismólogo niteroiense, tem 39 anos e acaba de ser indicado ao Prêmio Nobel da Paz. A indicação é fruto de sete anos de atuação no “Pontinho de Luz”, sua empresa social, sediada em sua terra natal, (Niterói-RJ), que movimenta uma rede de solidariedade de 35 mil pessoas, responsáveis por ações sociais realizadas no Brasil e no exterior, cujos recursos advêm de treinamentos e doações. A Pontinho de Luz, que já arrecadou mais de 500 toneladas de alimentos, ajuda, atualmente, 90 famílias, com doação mensal de cestas básicas. Também …

Maria da Penha defende ampliação do atendimento especializado à mulher

Karine Melo – Repórter da Agência Brasil Na última semana, o atendimento a mulheres vítimas de violência doméstica ganhou novas regras, com mais direitos garantidos durante todo o processo. A Lei 13.505, sancionada pelo presidente da República, Michel Temer, adiciona itens à Lei Maria da Penha e traz novas condutas para o atendimento policial e para o trabalho de perícia. Em entrevista à Agência Brasil a farmacêutica bioquímica Maria da Penha Maia Fernandes, que deu nome à lei, avaliou que, embora sejam positivas as alterações, essa não deveria ser a maior preocupação dos governantes. "Estão tentando mexer na lei quando, na verdade, o que ela precisa é ser implementada devidamente”, disse sobre a norma que em 2017 completou 11 anos. Para ela, o mais importante é que os prefeitos tenham em seus municípios, por menores que sejam, um Centro de Referência da Mulher, pois esses são os primeiros locais procurados por mulheres em situação de risco. Como geralmente os pequenos municípios…