Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril 13, 2020

Parquelândia: Noite de Páscoa,11/4/2020

Paróquia Santo Afonso Parquelândia, Fortaleza CE Abraço e feliz Páscoa!
Fotos: Hiliomárzio Moreira

Um cenário nada otimista

Carlos Delano Rebouças* A luta pela sobrevivência nunca foi tão árdua quanto em tempos de Covid-19. Assim é a conclusão a que se chega muito além do ponto de vista sanitário.
Refletindo sobre o atual contexto nacional (e porque não, o internacional), é de elevada preocupação o cenário que se desenha para os próximos meses e anos, com base no que vivemos, hoje, de absoluta incerteza sobre o atual momento que passa a sociedade. Tempos difíceis que nos deixam reféns de decisões urgentes e responsáveis, as quais devem zelar pela vida, ao mesmo tempo que precisam preservar a economia.
Essa condição de "viver entre a cruz e a espada" não é nada confortável para quem está à frente da gestão pública. Precisa demonstrar, além de muita competência administrativa, uma elevada capacidade de gerir conflitos e muita inteligência emocional, para melhor lidar com as adversidades.São, na verdade, pontos fortes de um verdadeiro líder, visto que ser resiliente é fundamental para a tomada de dec…

Aniversário de Fortaleza: políticos projetam mais união na Capital após pandemia

Eles acreditam que o espírito público para superar a crise causada pela Covid-19 no Estado e na Capital continuará ao fim do isolamento social. Confira o que eles dizem sobre como Fortaleza será após a crise
Por Alessandra Castro
Fortitudine, palavra em latim que significa 'força', lema do brasão de Fortaleza. É com essa força que a Capital cearense chega aos seus 294 anos, atravessando atualmente um contexto difícil. Sem festa, mas com o povo unido para que a crise na saúde passe e todos possam voltar à sua rotina, aos abraços, e às ruas da Cidade alencarina. No cenário político, muitas ações têm sido tomadas para amenizar os impactos da crise na saúde na população, principalmente na mais carente. A Capital é a cidade do Estado com o maior número de casos confirmados da Covid-19. Para conter o contágio, barreiras sanitárias foram colocadas no aeroporto; comércios de serviços não essenciais foram fechados; kits de alimentação estão sendo distribuídos para as famílias dos alunos…

Eu e a poesia caipira

Morre um homem, fica a fama, e a minha fama dá trabalho – cantou Tião Carreiro Tião Carreiro foi um grande poeta caipira (Reprodução/ tiaocarreiro.com.br)
Afonso Barroso*
Sou fã dos grandes poetas de língua portuguesa. Fã dos sonetistas Olavo Bilac e Raimundo Correia. De Castro Alves, o poeta dos escravos. De Drummond e Manoel Bandeira, dois modernos geniais. Sou fã de Mário Quintana, de João Cabral de Melo Neto. E sou fã, com a mesma intensidade, do grande poeta caipira chamado Tião Carreiro.
Tomo aqui alguns versos desses tantos e desse um pra mostrar a você, meu caro amigo e minha amantíssima amiga, se tenho ou não razão como admirador dessas cabeças poeticamente bem dotadas. Começo com estes:
“Se se pudesse o espírito que chora ver através da máscara da face, quanta gente, talvez, que agora inveja nos causa, então piedade nos causasse” – disse Raimundo Correa.
"Tendo amor e saúde, da vida eu não reclamo, amo a vida que levo, e levo a vida que amo” – cantou Tião Carreiro
“Porqu…

Páscoa, além dos ritos

Padre Geovane Saraiva* Jesus morreu por causa da reação violenta e da indiferença de tantos inimigos. Ao seu lado se encontravam, por ocasião de sua morte, sua mãe, o discípulo amado e Maria Madalena, e mais pessoas, certamente (cf. Jo 19, 25-27). As mulheres não ficaram, de jeito nenhum, indiferentes; foram ao sepulcro para terminar de embalsamar o corpo de Jesus, mas não o encontraram. Logo, um anjo apareceu a elas e disse-lhes: “Não tenhais medo. Buscais Jesus de Nazaré, que foi crucificado. Ele ressuscitou, já não está aqui. Eis o lugar onde o depositaram. Mas ide, dizei a seus discípulos e a Pedro que ele vos precede na Galileia. Lá o vereis como vos disse” (Mc 16, 6-7). A Páscoa do Senhor nos ajuda a pensar nas pessoas que morrem no abandono, sozinhas ou, como queira, na solidão, sem o menor cuidado e sem ninguém, na mais completa indiferença, sem nenhum choro ou lágrima derramada. Que a nossa páscoa, na Páscoa do Senhor, seja consequente, a partir do que acontece hoje, por cau…