Destaque

Choram porque amam

Padre Geovane Saraiva* Como é bom rezar e colocar em primeiro lugar o mistério da redenção! Nem sempre, porém, sabemos rezar e nem d...

2 de abril de 2016

DIA DA MENTIRA


Grecianny Carvalho Cordeiro*

Escrevo esse artigo no dia Primeiro de Abril, também conhecido como o Dia da Mentira.

Na infância, o Dia da Mentira é marcado por brincadeiras inocentes, do tipo: sua mãe está chamando, quando não está; hoje não terá aula, e terá; vou me mudar de cidade, e não vou; fulano vai ter pegar na saída, e não vai...
Na adolescência, o Dia da Mentira se reveste de um pouco mais de criatividade e poderia dizer, um pouco até de maldade: fulana quer namorar contigo, e não quer; hoje vai ter jogo de futebol na casa do amigo, e não terá; vai ter avaliação de matemática, e não vai, etc.

Na fase adulta, descobri que o Dia da Mentira são todos os dias. E todos mentem, principalmente aquele que diz que nunca mente. E mentira necessariamente não precisa de palavras, pode-se mentir através de gestos, por meio de um simples olhar.

Para aqueles que nunca mentem, nunca tiveram a experiência de “orientar” o filho pequeno para que receber a roupa dada de presente de aniversário pelos avós e tios com alegria e satisfação? Ou nunca sustentaram enquanto puderam a existência do Papai Noel e do Coelhinho da Páscoa? Ou nunca mandaram dizer que não estavam quando o telefone tocava à sua procura, bem ao lado? Ou nunca inventaram uma doença para não ir a um compromisso considerado chato, para o qual não estavam dispostos ou interessados? Parabéns. Você não existe.

As propagandas publicitárias nos lançam mentiras de forma constante. Duvida? Aquele sanduíche que você vê na televisão é o mesmo quando compra no fast food? Aquele maravilhoso creme antirrugas te deixa sem uma ruga sequer com o passar dos anos? Aquele sabão em pó deixa tua roupa manchada, alva como uma nuvem? Aquele biscoito achocolatado tem todos os nutrientes de um alimento saudável?

E as propagandas político-partidárias? Os políticos aparecem na televisão para dizer que lutam por um Brasil melhor, que vão erradicar a fome, a miséria, a insegurança, que vão resolver os problemas da saúde, mesmo já tendo exercido diversos mandatos e nunca tendo feito nada para resolver ou amenizar a crítica situação dessas questões tão complexas. Dizem que são contra a corrupção quando nela estão envolvidos até a borda. Dizem que são contra ou a favor de algo e nunca se cumprem suas plataformas eleitorais. São sempre os mesmos discursos, as mesmas falácias. Você discorda?

A imprensa também não fica atrás. A verdade (ou mentira?) jornalística tem várias faces e pode variar de acordo com a linha editorial do veículo de comunicação ou com as verbas públicas destinadas às chamadas matérias pagas. Às vezes a mentira vem de forma sutil, às vezes escancarada.  

E assim vamos vivendo, entre mentiras e verdades, porque ambas possuem diversas faces, tudo dependerá do como as vemos e de como queremos que sejam vistas.

A grande verdade é que nosso corpo, nossas mãos, nossos olhos, nossos gestos falam, nos entregam quando estamos falando a verdade ou mentindo. Basta prestarmos atenção. Observe.
*Promotora de Justiça, Escritora e presidente da Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza

RESSURREIÇÃO (D)

Ressurreição (D)

Título original: Risen
Às vésperas de um levante em Jerusalém, surgem rumores de que o Messias judeu ressuscitou. Um centurião romano agnóstico e cético (Joseph Fiennes) é enviado por Pôncio Pilatos para investigar a ressurreição e localizar o corpo desaparecido do já falecido e crucificado Jesus de Nazaré, a fim de subjulgar a revolta eminente. Conforme ele apura os fatos e ouve depoimentos, suas dúvidas sobre o evento milagroso começam a sumir.
Legenda: Dublado
País: EUA
Ano: 2016
Gênero: Suspense
Classificação: 12
Direção: Kevin Reynolds
Elenco: Joseph Fiennes, Tom Felton, Peter Firth
Duração: 1h48min.

AS PROVAS DA RESSURREIÇÃO

Meditação diária da Palavra de Deus – Lc 24, 35-48

meditacao
Pixabay CC0 - Kloxklox_com, Public Domain
Leitura
O Evangelho nos faz assistir a uma das aparições “oficiais” de Cristo Ressuscitado aos Apóstolos. Enquanto os dois discípulos que voltaram de Emaús estão contando o que lhes aconteceu ao longo do caminho e à mesa, quando reconheceram Jesus ao partir o pão, o próprio Cristo aparece no meio deles e diz: “A paz esteja convosco”. Os sentimentos se sobrepõem: primeiro o susto, como se tivessem visto um fantasma; depois, a confusão, a dúvida no coração e, finalmente, a alegria. Eles experimentam descrença e alegria juntas. É a experiência que vivemos nós também quando, de surpresa, depois de anos, vemos de repente um ente querido e não podemos deixar de dizer: “Não acredito nos meus olhos”! Jesus desfaz, uma após a outra, as razões das suas dúvidas. Para convencê-los, Ele os manda tocar em suas chagas e chega a comer diante de seus olhos: é Ele mesmo, o Crucificado, de volta à vida! Em seguida, Ele aponta nas Escrituras tudo o que lhe dizia respeito e que foi realizado.
Meditação
A morte e ressurreição de Jesus são o núcleo essencial da fé pregada pelos Apóstolos a todas as nações para a sua conversão e o perdão dos seus pecados. Os Apóstolos ainda estavam decepcionados com o aparente fracasso do Mestre, desanimados com o colapso dos seus projetos messiânicos, quando Jesus, manifestando-se, os convida ao novo mundo da ressurreição, acessível apenas pela fé. O Mestre usa uma linguagem dupla: a dos sentidos e a da fé. Olhar, ver, tocar e comer indicam que o seu corpo não é só visível, mas também palpável, em carne e osso. Mas o simples tocar não significa entender. É por isso que Jesus recorda as palavras que dizia quando ainda estava com eles e acrescenta o testemunho da Escritura em suas três partes constitutivas: o Pentateuco de Moisés, os Profetas e os Salmos. Ele explica o passado e anuncia o futuro, “a conversão e o perdão dos pecados, pregados em seu nome a todas as nações”. Jesus é o Crucificado Vivo, não um morto; Ele é livre para ir e vir, para se mostrar onde quer; Ele fala e ensina, dá ordens e dirige a ação do testemunho. Não é só espírito, mas ser total e vivente, não mais limitado pelos nossos condicionamentos. Esta manifestação pascal de Cristo é também o firme fundamento da nossa esperança: se o Ressuscitado não é um fantasma nem uma ilusão, então a nossa esperança não é em vão.
Oração
Senhor Jesus, Ressuscitado dos mortos, abre as nossas mentes para que entendemos as Escrituras e nos alegramos com gratidão e amor pelo grande mistério que se realiza em ti para a nossa salvação.
Ação
Comprometamo-nos a ajudar os gravemente doentes e incapacitados: a fé no Senhor Ressuscitado os ajude a aceitar ativamente a sua condição desafiadora.
Zenit

TRADUÇÃO INÉDITA, DO LATIM PARA O PORTUGUÊS, DE ESCRITO DE SANTO AGOSTINHO

Sobre a Mentira, de Santo Agostinho. Nessa tradução inédita, do latim para o português, Santo Agostinho ensina, portanto, que “não podemos seguir outra regra, a não ser a de que nunca devemos mentir”
SobreAMentira-500x500
Foto: Editora Ecclesiae
editora Eclesiae acaba de lançar uma obra inédita em português, Sobre a Mentira, de Santo Agostinho.
No que consiste a mentira? É lícito mentir? Existe alguma circunstância em que a mentira pode evitar um mal maior? Santo Agostinho examina essas questões à luz da filosofia e, como é comum ao seu pensamento, também no contexto teológico. Inicia este opúsculo com um vigoroso trabalho de definição, depois expõe uma classe tipológica de oito tipos de mentiras existentes, demonstrando a gravidade de cada uma delas, além de propor uma breve reflexão ética sobre a gravidade do ato de mentir.
Escrito em 395, ano em que foi consagrado bispo de Hipona, este opúsculo é considerado obra da juventude de Agostinho, mas que ele mesmo acabou por incluir entre os seus mais importantes escritos, pois “contém muito do que é útil para o exercício da mente e ainda mais proveitoso para a moral, suscitando o amor pela verdade”.
Nessa tradução inédita, do latim para o português, Santo Agostinho ensina, portanto, que “não podemos seguir outra regra, a não ser a de que nunca devemos mentir”. Porque “em qualquer um dos exemplos dos santos e de seus costumes, não podemos observar um exemplo sequer de mentira, forte o suficiente para o tomarmos como justa imitação, repetindo-o em nossas vidas. E isto se confirma com mais clareza nos textos sacros. Portanto, jamais devemos aceitar a mentira”.
Para adquirir o livro clique aqui
Ficha Técnica:
Número de Páginas: 148
Editora: Ecclesiae de Bolso
Idioma: Português
ISBN: 9788584910267
Dimensões do Livro: 11,5 x 17,5 cm
Zenit

ASSEMBLEIA DA CNBB: MISSÃO DOS LEIGOS NA IGREJA E NA SOCIEDADE

O encontro anual do episcopado brasileiro ocorrerá de 6 a 15 de abril em Aparecida (SP)
“A Assembleia é momento muito precioso para nossa Conferência Episcopal e para as igrejas particulares. Trata-se de um espaço de oração, partilha, estudos e convivência fraterna. Durante esses dias, fortalecemos a comunhão entre nós bispos”, explica o bispo auxiliar de Brasília (DF) e secretário geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Leonardo Steiner.

A 54ª Assembleia Geral  (AG) da CNBB acontecerá no período de 6 a 15 de abril, no Centro de Eventos Padre Vítor Coelho de Almeida, em Aparecida (SP). Este ano, o tema central será “Cristãos Leigos e Leigas na Igreja e na Sociedade – Sal da Terra e Luz no Mundo”.
Entre os temas prioritários previstos estão a “Liturgia na Vida da Igreja”, a 14ª Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, a conjuntura político-social, a mensagem “Pensando o Brasil: crises e superações” e as mudanças do quadro religioso no país.
 Pensando o Brasil
Na Assembleia, será preparado um novo volume da série Pensando o Brasil, que apresenta a visão do episcopado brasileiro acerca de temas da realidade do País. Em 2014, na 52ª AG, foi elaborado o volume 1 do subsídio, que tratou dos “Desafios diante das eleições 2014”, com indicações para o pleito eleitoral que estava em curso. No ano passado o texto abordou as desigualdades. Em 2016, os bispos devem dar pistas para as eleições municipais.
De acordo com dom Leonardo, a mensagem sobre as eleições buscará orientar os fiéis no momento do voto. “Essa orientação não tem a ver com partido político, mas sim com opções políticas. A Igreja deve ter sempre uma opção pela democracia e a CNBB tem procurado ser fiel também às orientações e motivações do Santo Padre”, diz o bispo.
No texto, os bispos irão tratar das crises e superações, com base no momento atual do País. “A partir do Evangelho, dos documentos da Igreja e do Magistério do papa Francisco,  refletirá sobre essas crises, sejam elas culturais, políticas e sociais. E a partir desses textos, iremos propor superações”, antecipa dom Leonardo.

Programação

Este é o maior encontro do episcopado brasileiro. São esperados cerca de 320 bispos ativos e eméritos, dos dezoito regionais da CNBB. Diariamente, os trabalhos da Assembleia Geral iniciam com celebração da missa com laudes, das 7h30 às 8h45, no Santuário Nacional de Aparecida, com transmissão ao vivo pelas emissoras católicas de rádio e televisão.
“Esse momento da missa nos ajuda a celebrar como Igreja. Todos os bispos, juntamente com os assessores e assessoras que participam da vida da CNBB e o povo de Deus, celebram na Casa da Mãe Aparecida. A força sempre vem da meditação e escuta da Palavra de Deus, mas também dos nossos gestos caritativos e misericordiosos. Tudo isso trazemos para a liturgia da Assembleia”, comenta dom Leonardo Steiner.
Tema central

A reflexão do tema “Cristãos Leigos e Leigas na Igreja e na Sociedade – Sal da Terra e Luz no Mundo” foi iniciada em 2014, durante a 52ª Assembleia Geral da CNBB. O secretário geral, dom Leonardo Steiner, ressalta que nesta Assembleia o texto de trabalho será aprofundado, podendo ser aprovado como documento. O bispo considera o momento importante para refletir sobre a presença dos leigos na Igreja e na sociedade
“Os nossos leigos, queridos irmãos batizados, têm papel muito importante na Igreja por conta da vocação que receberam pelo batismo e pela crisma. São convidados a serem testemunhas de Jesus crucificado e ressuscitado”, diz. .
Ainda de acordo com dom Leonardo, os leigos têm a missão de dinamizar as comunidades, sob a orientações dos sacerdotes. “Eles estão presentes nos grupos, pastorais e movimentos da Igreja. Neste Ano da Misericórdia somos convocados a pensar a missão do leigo na sociedade, pois são eles que levam o consolo, a misericórdia, o cuidado para com os pobres, os necessitados”, pontua.
Sessões de trabalho 
A 54ª Assembleia Geral da CNBB iniciará no dia 6, às 7h30, com uma missa no Santuário Nacional de Aparecida. A cerimônia de instalação da AG acontecerá no mesmo dia, às 9h15, no auditório do Centro de Eventos Padre Vítor Coelho e será aberta à imprensa. Os trabalhos da Assembleia serão desenvolvidos em quatro sessões.
O retiro dos bispos começará no dia 9 de abril, às 15h30, e terminará no domingo, 10, às 12h, com uma missa no Santuário de Aparecida.  O pregador será o presidente do Pontifício Conselho para a Cultura, cardeal Gianfranco Ravasi.
No dia 12 de abril, terça-feira, às 18h, haverá sessão solene ecumênica.
A cerimônia de encerramento da Assembleia será realizada no Centro de Eventos, no dia 15 de abril, às 10h30.
Atendimento à imprensa
As entrevistas coletivas acontecerão sempre às 15h, na Sala de Imprensa do Centro de Eventos, com a presença de três bispos designados pela Presidência da Assembleia. O porta-voz será o arcebispo de Diamantina (MG) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação, dom Darci José Nicioli.
Contatos: imprensa@cnbb.org.br / (61) 8119-3762.

CID GOMES PROTOCOLA NA CÂMARA PEDIDO DE IMPEACHMENT DE TEMER



Ex-governador do Ceará alega que o vice-presidente é citado na Lava Jato.
Ele também solicita no documento que Eduardo Cunha não analise o pedido.
Nathalia Passarinho
Do G1, em Brasília
Cid Gomes protocola pedido de impeachment do vice-presidente Michel Temer na Câmara (Foto: Nathalia Passarinho / G1)
 Cid Gomes protocola pedido de impeachment do vice-presidente Michel Temer na Câmara (Foto: Nathalia Passarinho / G1)
Cid Gomes protocola pedido de impeachment do vice-presidente Michel Temer na Câmara (Foto: Nathalia Passarinho / G1)
O ex-governador do Ceará e ex-ministro da Educação Cid Gomes protocolou nesta sexta-feira (1º) na Câmara dos Deputados um pedido de impeachment do vice-presidente da República, Michel Temer.
No documento, Cid solicita que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), não analise o pedido de afastamento. Para Cid Gomes, como Cunha foi denunciado por fatos relacionados à Operação Lava Jato, quem deve decidir é o vice-presidente da Casa, Waldir Maranhão (PMDB-MA).
A assessoria da Vice-Presidência informou que Michel Temer não vai comentar o pedido de impeachment protocolado pelo ex-governador cearense.

PROCESSO DE IMPEACHMENT

argumentos pró e contra
No documento, Cid alegou que o vice-presidente e o PMDB são mencionados nas investigações da Operação da Lava Jato. O ex-governador cita na peça uma mensagem de texto identificada no celular do ex-presidente da OAS Léo Pinheiro no qual foi mencionado o pagamento de R$ 5 milhões a peemedebistas.
“Foi revelado, por força da Operação Catilinárias [uma das fases da Operação Lava Jato], o pagamento da quantia de R$ 5 milhões ao denunciado, valor cuja suspeita de origem ilícita é marcante, mormente pelas insuficientes explicações ofertadas pelo denunciado após a revelação de mensagens sobre o pagamento de tal quantia, por parte do senhor Léo Pinheiro, trocadas pelo denunciado e o presidente da Câmara dos Deputados, em cobrança por adiamento na quitação de compromissos com a ‘turma’”, diz trecho do pedido de impeachment protocolado contra o vice-presidente da República.
Cid Gomes traz como evidências do suposto envolvimento do vice-presidente no esquema de corrupção que atuava na Petrobras notícias de jornais e trechos de delações premiadas de investigados na Operação Lava Jato.
Embora não haja no pedido de impeachment citação a recebimento direto de propina por Temer, o ex-governador do Ceará diz que o vice-presidente da República deve ser responsabilizado pelas denúncias que envolvem o PMDB e seus integrantes, já que é presidente nacional do partido.
“Observam-se diversas menções acerca de ilicitudes envolvendo o PMDB, razão que enseja detida atenção quanto à responsabilidade do denunciado, uma vez que, desde 2011, exerce a presidência do referido partido”, diz o pedido de impeachment.
saiba mais
Advogado pede ao STF abertura de processo de impeachment de Temer
Cid Gomes destaca ainda que o ex-líder do governo no Senado Delcídio do Amaral (sem partido-MS) e o doleiro Alberto Youssef citam, em suas delações premiadas, a participação de peemedebistas no esquema de corrupção da Petrobras.
“As declarações do senador Delcídio do Amaral, referentes ao PMDB e sua participação por meio de afiliados em ilicitudes, não ressoam de forma isolada. No termo de colaboração de Alberto Youssef, pode-se observar a presença de menções à sigla partidária e seus operadores”, diz o ex-governador.
Aliado político da presidente Dilma Rousseff, Cid teve uma passagem relâmpago pelo governo da petista no início de 2015. Menos de três meses depois de assumir o comando do Ministério da Educação, ele pediu demissão após protagonizar um bate-boca com deputados no plenário da Câmara.
O pedido de impeachment de Temer ocorre no momento em que Dilma é alvo de um processo de afastamento no Congresso Nacional. Atualmente, a comissão especial que analisa o processo de impeachment da petista aguarda o fim do prazo para a presidente apresentar sua defesa ao colegiado.
Supremo
Além da investida de Cid Gomes no Congresso, o advogado Mariel Márley Marra, de Minas Gerais, recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF) para pedir que a Corte obrigue a Câmara dos Deputados a analisar outro pedido de impeachment contra Michel Temer.
Inicialmente, Marra apresentou o pedido à Camara, mas o presidente da Casa arquivou no dia 5 de janeiro por entender que não havia indício de crime de responsabilidade do vice-presidente.
Marra pediu ainda ao Supremo uma liminar (decisão provisória) a fim de suspender o processo de impeachment de Dilma Rousseff em tramitação na Câmara até que o Supremo decida sobre o teor do pedido dele para inclusão de Temer no caso.

NOVA ARMA CONTRA DESNUTRIÇÃO INFANTIL

A microbiota, composta por 100 bilhões de bactérias, exerce funções fundamentais para a saúde.
Atuar sobre a flora intestinal, também chamada microbiota, poderia ajudar a lutar contra os efeitos permanentes da desnutrição infantil - é o que apontam estudos publicados nos Estados Unidos, confirmando a importância destes microrganismos para a saúde.
A microbiota, composta por 100 bilhões de bactérias, exerce funções fundamentais para a saúde, como a degradação dos alimentos ingeridos para uma melhor absorção intestinal e um metabolismo ótimo.
Estes milhares de milhões de bactérias, que colonizam o intestino desde o nascimento, também têm um papel-chave na maturação do sistema imunológico.
Os resultados destes dois estudos publicados na revista americana Science abrem o caminho para o desenvolvimento de terapias que permitem lutar de maneira eficaz contra problemas devastadores de saúde devido à subalimentação que afeta dezenas de milhões de crianças nos países em desenvolvimento.
Os pesquisadores coletaram matérias fecais que continham uma amostra das bactérias presentes na flora intestinal de crianças de entre seis e 18 meses no Malauí, alguns dos quais estavam bem alimentados e ouros desnutridos em diferentes níveis.
Depois injetaram estas fezes nos intestinos de ratos virgens de qualquer classe de bactéria.
Estudos anteriores sugeriam que a desnutrição pode impedir o desenvolvimento da flora microbiana nos intestinos, que amadurece à medida que os indivíduos envelhecem.
Esta primeira equipe de pesquisadores, dirigida por Jeff Gordon, da Faculdade de Medicina da Universidade Washington, em St. Louis (Missouri), demonstrou que as crianças malauianas de 18 meses que estavam desnutridas tinham uma flora intestinal equivalente a de crianças de seis meses. Em outras palavras, a maturidade de sua microbiota não correspondia a sua idade.
Também demonstraram que a flora intestinal imatura está vinculada a um menor crescimento destas crianças, com relação às crianças bem nutridas cuja microbiota se desenvolve normalmente.
Os ratos nos quais os cientistas injetaram matéria fecal de crianças bem alimentadas ganharam muito mais peso e massa não gorda do que os jovens ratos que receberam a microbiota de doadores desnutridos.
Depois injetaram nestes ratos as matérias fecais de crianças saudáveis, o que permitiu restabelecer o crescimento normal dos roedores.

Nova terapia nutricional
A próxima etapa para os cientistas será confirmar estes resultados em outros grupos de crianças e explorar a maneira de usar estes microrganismos em tratamentos para controlar a desnutrição que afeta cerca de 160 milhões de pequenos de menos de cinco anos em todo o mundo, segundo dados da ONU.
O segundo estudo, dirigido por François Leulier, do Instituto de Genômica Funcional de Lyon, na França, identificou duas espécies de micróbios que habitam nos intestinos, os lactobacilos, que permitem estimular a atividade dos hormônios de crescimento em ratos jovens desnutridos.
"Conseguimos demonstrar com estas cepas de lactobacilos, que já são comercializados em suplementos dietéticos, que não só têm efeito no peso, mas também no crescimento do esqueleto", explicou o pesquisador à AFP.
Com a terapia nutricional, as intervenções microbianas com determinadas cepas bacterianas podem se tornar uma inovadora estratégia para conter os efeitos da desnutrição crônica infantil, de acordo com o segundo estudo.
Estas duas novas descobertas ilustram mais uma vez o importante papel da microbiota, cujos estudos anteriores haviam demonstrado a importância no controle do metabolismo energético nos adultos e patologias como a obesidade ou o diabetes.
AFP

AMEAÇAS TERRORISTAS PREOCUPAM

Após atentados em Paris, elevaram-se os alertas sobre ameaças terroristas em eventos esportivos.

Em meio aos preparativos do esquema de segurança para os Jogos Olímpicos Rio 2016, a falta de familiaridade do brasileiro com ameaças terroristas preocupa o Ministério da Defesa, a Polícia Federal e a Agência Brasileira de Inteligência (Abin), em meio aos preparativos de segurança para os Jogos Olímpicos Rio 2016.

Após os atentados de novembro em Paris, em que um dos ataques seria no  Estádio da França, onde as seleções francesa e alemã disputavam uma partida amistosa, elevaram-se, nas avaliações da Abin, os alertas sobre ameaças terroristas em grandes eventos esportivos. Os órgãos brasileiros de defesa, segurança e inteligência resolveram, então, preparar eventos de conscientização junto aos profissionais que vão lidar diretamente com o público durante os Jogos, como profissionais da rede hoteleira, taxistas e seguranças privados de centros comerciais, entre outros, para que saibam identificar situações de risco e agir adequadamente.

"O objetivo é passar para essas audiências uma informação mais qualificada. Queremos sensibilizar, para que as pessoas tomem de imediato uma atitude perante uma ameaça", disse o general Mauro Sinott Lopes, responsável pelo Comando Conjunto de Combate ao Terrorismo das Forças Armadas. 

"Não será criado nenhum canal específico para esse tipo de situação, é o contato que a pessoa já tem cotidianamente com o aparato de segurança", acrescentou Lopes durante a etapa de palestras realizada quarta-feira (2), no Comando Militar do Planalto, em Brasília.  

Chamados de Estágio de Percepção de Ameaças Terroristas, os eventos já ocorreram no Rio de Janeiro e em São Paulo e serão realizados também em Belo Horizonte, Salvador e Manaus, todas cidades em que serão dsputadas partidas do futebol olímpico. 


Principal ameaça

Em virtude do enfraquecimento do Estado Islâmico, principal organização terrorista em atuação no mundo, em seu território original no Oriente Médio e decorrente incentivo de seus líderes a ataques independentes em países ocidentais, a Abin diz que se preocupa com a ação de "lobos solitários", indivíduos que possam ser contaminados pela ideologia radical de grupos do tipo e decidam agir por conta própria durante a Olimpíada.  

"Existe em nosso país uma comunidade salafista, ligada ao Estado Islâmico. que pode interpretar esse tipo de mensagem como uma oportunidade de fazer algum tipo de ação", afirmou o diretor do Departamento Antiterrorismo da Abin, Luiz Sallaberry.  "É esta a nossa preocupação. Por isso, existe hoje um nível de ameaça um pouco maior para os Jogos Olímpicos: temos pessoas radicalizadas em território brasileiro, que são nacionais e se identificam com esse tipo de organização, e temos também a possibilidade de entes externos que possam chegar ao nosso país de forma legal ou ilegal", acrescentou Sallaberry.
Agência Brasil

STF DIVULGA DECISÃO SOBRE PEDIDO CONTRA TEMER

Decisão sobre impeachment foi divulgada por engano devido a 'erro de comunicação' interno.
Em uma minuta divulgada por engano pela assessoria de imprensa do Supremo Tribunal Federal (STF) no início da noite desta sexta-feira, 1º, o ministro Marco Aurélio Mello determina que o presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), aceite o pedido de impeachment contra o vice-presidente, Michel Temer.
No ofício, Mello determina que seja instaurada uma nova comissão especial na Câmara para analisar o pedido de impeachment de Temer elaborado pelo advogado Mariel Marley Marra. O ministro afirma que Cunha extrapolou de suas atribuições ao afirmar que não havia indícios de que o vice-presidente cometeu crimes de responsabilidade.
"Os documentos que instruem a peça primeira (de Marra) permitem concluir, no campo precário e efêmero, pelo desrespeito aos parâmetros relativos à atuação do Presidente da Casa Legislativa pois, embora tenha reconhecido, de maneira expressa, a regularidade formal da denúncia, procedeu a verdadeiro julgamento singular de mérito, no que assentou a ausência de crime de responsabilidade praticado pelo Vice-Presidente da República, desbordando, até mesmo, de simples exame de justa causa", diz o documento.
"É inadmissível juízo material definitivo da acusação, a envolver o afastamento da tipicidade da conduta. Entender-se em sentido contrário implicaria validar nefasta concentração de poder, em prejuízo do papel do colegiado, formado por agremiações políticas diversas", escreve.
Marra alega na Câmara que Temer cometeu crime de responsabilidade e atentado contra a lei orçamentária ao assinar quatro decretos que autorizavam a abertura de crédito suplementar sem a permissão do Congresso Nacional. A manobra, conhecida como pedalada fiscal, é a mesma que enseja o procedimento contra Dilma em análise na comissão do impeachment.
Na minuta, Mello afirma que não emite nenhum juízo sobre a conduta de Temer revelada na edição dos decretos citados por Marra. Mas que o pedido deveria ter sido aceito pelo presidente da Câmara uma vez que o advogado respeitou os aspectos formais para apresentar o pedido. "No caso, a controvérsia envolve controle procedimental de atividade atípica do Poder Legislativo", argumenta.
Na ação protocolada na quarta-feira no Supremo, Marra pede que o processamento da denúncia contra a presidente Dilma Rousseff que tramita na Câmara seja suspenso até que o Supremo decida sobre o caso de Temer. Ao pedir celeridade na análise do caso pelo Supremo, o advogado alega que ainda há tempo para incluir o pedido sobre o ex-presidente no procedimento que já está sendo analisado pela Câmara contra Dilma.
Agência Estado