Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto 13, 2020

Prêmio Aberst divulga semifinalistas da sua terceira edição

Os vencedores serão anunciados no dia 7 de novembroA Associação Brasileira de Escritores de Romance Policial, Suspense e Terror (Aberst) anunciou os semifinalistas da terceira edição do Prêmio Aberst de Literatura, que dá reconhecimento às melhores obras desses gêneros, escritas por autores brasileiros publicadas no país. Nesta terceira edição, serão premiadas obras nas seguintes categorias: Narrativa curta de terror, Narrativa longa de terror, Narrativa longa e curta de suspense (thriller), Narrativa curta policial, Narrativa longa policial, Projeto gráfico de quadrinhos de suspense, policial ou terror e Projeto gráfico de literatura de suspense, policial ou terror. Para conferir os semifinalistas é só clicar aqui. Os vencedores serão anunciados no dia 7 de novembro.Via Publishnews

As complexas relações raciais

O avesso da pele’ é um romance sobre identidade, violência e negritude e que consegue abordar as questões centrais da sociedade brasileira O avesso da pele (Companhia das Letras, 192 pp, R$ 59,90) é a história de Pedro, que, após a morte do pai, assassinado numa desastrosa abordagem policial, sai em busca de resgatar o passado da família e refazer os caminhos paternos. Com uma narrativa sensível e por vezes brutal, Jeferson Tenório traz à superfície um país marcado pelo racismo e por um sistema educacional falido, e um denso relato sobre as relações entre pais e filhos. O que está em jogo é a vida de um homem abalado pelas inevitáveis fraturas existenciais da sua condição de negro em um país racista, um processo de dor, de acerto de contas, mas também de redenção, superação e liberdade. Com habilidade incomum para conceber e estruturar personagens e de lidar com as complexidades e pequenas tragédias das relações familiares, Jeferson Tenório se consolida como uma voz potente e estilisti…

Fernanda Diamant deixa curadoria da Flip

Jornalista e editora sugeriu que a 'Flip agora precisa de uma curadora negra para reinventá-la nesse mundo pós-pandemia'Fernanda Diamant | © Mathilde Missioneiro Nesta quarta-feira (12), a jornalista Fernanda Diamant anunciou que não será mais a curadora da Festa Literária Internacional de Paraty (Flip). Em nota enviada ao Globo, Diamant falou da sua vontade de tornar a festa literária cada vez mais representativa, lembrou da edição de 2019, quando Euclides da Cunha foi o autor homenageado e os autores negros foram destaque e justificou a escolha de Elizabeth Bishop como autora homenageada em 2020, decisão que gerou protestos nas redes sociais. “A ousadia de decidir pela primeira vez por uma estrangeira me pareceu um bom desafio. [...] O fato da poeta ser homossexual também pesou – lembrando que o preconceito com a população LGBTQI+ vem num crescente no Brasil”.Porém, Fernanda justificou sua decisão de deixar a curadoria da festa literária alegando que “a Flip agora precisa de …