Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto 20, 2018

Comemoração: trinta anos de sacerdócio

Eis-me ao lado do ilustre Padre Geovane Saraiva, pároco da nossa igreja de Santo Afonso, no bairro da Parquelândia, após a santa missa de hoje.
Ainda em comemoração aos trinta anos de sacerdócio desse grande amigo de todos da paróquia e da comunidade, deixamos esse registro como uma forma de gratidão por ser um verdadeiro pastor de todas as suas ovelhas.
Obrigado, Padre, por ser parte importante na transformação de vidas, sendo um autêntico mensageiro da palavra do Senhor! Obrigado, pela consideração, pelo respeito e pela amizade.
 Prof. Carlos Delano Rebouças

'Mago dos Ventos Serei', de Teixeira Gomes

por João Carlos Teixeira Gomes Foto: Arquivo pessoal A pedra perdida
Para Cássia Lopes



Era uma pedra perdida, 
de duro calcário espesso. 
Era uma pedra in natura. 
Não era vidro, nem gesso. 
No chão crestado jazia, 
alheia às paixões do mundo: 
argila da eternidade, 
crosta do tempo infecundo. 
Cauteloso, examinei-a 
tomando-a na mão discreta: 
- É algo que somente existe 
em sua essência incompleta. 
Corra o tempo fugido 
e há-de ser sempre o que é: 
forma pura que se basta 
sem se dar conta nem fé, 
massa vã que se empareda 
num rude universo tosco, 
presa dos próprios limites 
contidos no brilho fosco. 
Não pensa, não quer, não sonha. 
Nada sabe nem aspira. 
Mas eu, que choro e que tenho 
um coração que delira, 
que sinto o vibrar da cólera 
e do fervor mais profundo, 
eu logo serei fumaça 
dissolvida além do mundo, 
matéria desativada 
ou pó de humana carcaça 
– mas a pedra reinará 
na glória turva do nada. 
Daqui a mais alguns anos 
(que depressa hão-de passar) 
já serei fumo esvaído 
– mas a pedra há-de restar. 
E a…

Livro conta a história dos Novos Baianos com linguagem de cordel

por Diego Barbosa - Repórter Reinvenção é palavra de ordem no vocabulário dos Novos Baianos. Sempre foi. Desde a década de 1960 - quando se deu o pontapé inicial nos trabalhos - até o recente retorno aos palcos, em 2015, que a trupe sacoleja as estruturas artísticas e busca promover uma abordagem diferente de vida e obra. A aposta, embora complexa, é também certeira. Não à toa, o grupo deixou um legado até hoje é celebrado por uma legião de admiradores, dentro e fora do Brasil. Visando jogar luz sobre os passos dos integrantes no primeiro período em que estiveram juntos na banda - uma forma de também documentar as travessias do sexteto formado por Pepeu Gomes, Baby do Brasil, Dadi Carvalho, Paulinho Boca de Cantor, Luiz Galvão e Moraes Moreira - foi que este último lançou "A História dos Novos Baianos e outros versos", publicado pela Editora Língua Geral, do Rio de Janeiro, em 2007. Esgotada a primeira edição, Moraes debruçou-se novamente sobre os escritos que tinha desenvol…

Abertura da 'Queermuseu' no Rio tem galerias lotadas e protesto contra a mostra

Exposição abriu as portas no Parque Lage depois de ficar apenas 26 dias em cartaz em Porto Alegre no ano passado Na cerimônia de abertura da exposição, o curador Gaudêncio Fidelis acusou o MBL de criar uma farsa contra o evento. (Mídia Ninja)
Cerca de 6,8 mil pessoas passaram pelas três salas da exposição "Queermuseu: Cartografias da Diferença na Arte Brasileira" no Parque Lage, no Rio, entre sábado, 18, e domingo, 19. A mostra, censurada em Porto Alegre no ano passado, abriu sua versão carioca neste sábado e fica por um mês no espaço.

De acordo com o diretor da Escola de Artes Visuais (EAV), Fábio Szwarcwald, por enquanto, a proibição de ingresso de menores de 14 anos, mesmo acompanhados pelos pais, se mantém. Os organizadores apresentaram recurso, no entanto, não conseguiram derrubar a decisão.

No primeiro dia, cerca de 40 manifestantes de movimentos como Brasil Livre (MBL), Liga Cristã e Templários da Pátria protestaram contra a exposição. A mostra abriu no Parque Lage depo…

Justiça faz novo esforço para julgar ações de violência contra mulher

Tribunais de Justiça de todos os estados e do Distrito Federal começam hoje (20) esforço concentrado para julgar casos de violência contra a mulher que tramitam nesses órgãos. O mutirão é parte da 11ª edição da Semana Justiça pela Paz em Casa, promovida há cinco anos. No total, em todas as edições, ocorreram 140 mil audiências, foram definidas 127 mil sentenças e expedidas 65 mil medidas protetivas. De acordo com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), atualmente, tramitam mais de 1 milhão de processos relativos à violência doméstica na Justiça brasileira. Justamente para tentar acelerar a conclusão desses casos, a campanha ocorre três vezes por ano: em março, em homenagem ao Dia da Mulher; em agosto, para marcar a promulgação da Lei Maria da Penha, e em novembro, durante a semana internacional de combate à violência de gênero, estabelecido pela Organização das Nações Unidas (ONU). Um levantamento sobre as iniciativas das varas e juizados especializados nesses crimes para esta semana m…