Destaque

Choram porque amam

Padre Geovane Saraiva* Como é bom rezar e colocar em primeiro lugar o mistério da redenção! Nem sempre, porém, sabemos rezar e nem d...

3 de fevereiro de 2017

Inspirados em Francisco

Padre Geovane Saraiva*


Convém sempre recordar que, para nós, católicos, “papa” é sempre o nome mais comum e mais usado, quando falamos do Santo Padre, que, em grego, quer dizer “pai”: pai dos amigos de Jesus e de todos aqueles que abraçam a fé, no desejo de viver e de ser coerente com o seu compromisso batismal, realizando a vontade do Pai, em uma bela e rica experiência do amor de Deus, ao seguir a Jesus de Nazaré.

No decorrer da história da Igreja, como comentamos anteriormente, os cristãos aprenderam a chamar o Papa de vários títulos, tais como: Vigário de Cristo na Terra, Pastor Universal, Romano Pontífice, Sumo Pontífice, Augusto Pontífice, Sucessor de Pedro, Príncipe dos Apóstolos, Santo Padre, Sua Santidade, Chefe Visível da Igreja, Patriarca do Ocidente, Primaz da Itália e ainda Servo dos Servos de Deus. Temos, aos domingos, a tradicional oração mariana do Angelus, na Praça de São Pedro, quando o Augusto Pontífice exorta-nos, e dessa vez a partir do espírito das bem-aventuranças, dizendo-nos sobre a missão da Igreja, confiada a Francisco, de ligar a terra ao céu: “Os pobres, no sentido evangélico, surgem como aqueles que têm em vista a meta do Reino dos Céus, fazendo entrever que este é antecipado, em semente, na comunidade fraterna, que privilegia a partilha do ter”.


Somos convencidos de que o múnus do Sucessor de Pedro, que lhe foi confiado por Deus, é o de fazer de verdade uma estreita sintonia, confundindo-se céu e terra, numa misteriosa troca de dons. Que a humanidade não se afaste das vivas palavras e do testemunho do Papa Francisco, reavivando o dom da fé, o de avançar para águas mais profundas - Duc in Altum (cf. Lc 5,1-10), orientados pela palavra segura, fecunda e esperançosa do nosso querido Chefe Visível da Igreja, representante de Cristo aqui na Terra (cf. Mt 16, 18).

As doces, ternas e afáveis palavras do Romano Pontífice estão voltadas para a expressão “construir pontes”, resumindo e deixando clara sua missão aqui na terra, entendida pela palavra “ponte”, na sua importância, ao ligar uma margem a outra de um rio. Que o ensinamento do Romano Pontífice venha com a força com que o Evangelho convoca a todos, no sentido de perceber que o “pobre em espírito é o cristão que não confia em si mesmo, nas suas riquezas materiais, não se obstina nas suas opiniões pessoais, mas escuta com respeito e segue respeitosamente as decisões de outros”.

Peçamos a graça de sempre, e cada vez mais, não só compreendermos a expressão “construtor de pontes”, mas de vivenciá-la no dia a dia, colocando-a como nossa, indicando, na sua profundidade, mais que um simples pedido, e sim um apelo de oração fervorosa de súplica, deixando claro que a misericórdia é o segundo nome do amor de Deus, segundo a ordem de Jesus: “Quando fizestes a um destes meus irmãos pequeninos, a mim o fizestes” (Mt 25, 40).

*Pároco de Santo Afonso e Vice-Presidente da Previdência Sacerdotal, integra a  Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza - geovanesaraiva@gmail.com

Diáspora de ideias

Gonzaga Mota* 

A palavra diáspora, no sentido tradicional, significa fuga ou dispersão coletiva de povos pelo mundo, muitas vezes sem rumo, por questões políticas, étnicas ou religiosas. São sempre mencionadas, dentre outras, as diásporas judaica, africana, armênia e chinesa. Verdadeiras migrações humanas, ao longo do tempo, causando níveis elevados de sofrimento por falta de compreensão. Hoje, além da persistência de algumas diásporas (fugas) humanas, existem aquelas relacionadas com ideias. A ideia que estamos nos referindo diz respeito à intencionalidade e não ao simples sinônimo de conceito. Vários filósofos estudaram e outros continuam analisando o termo ideia, no sentido lato. Segundo o filósofo inglês liberal John Locke(1632-1704), “É mediante as ideias que o ser humano exprime o pensamento objetivo”.  A rigor, em razão da ganância, da intolerância e da tendência isolacionista, poderão surgir entre as nações dificuldades que impeçam ideias pacifistas, éticas, de liberdade e democráticas, complicando o pensamento político.  Ou seja, quanto mais conflitantes sejam as ideias, aumenta o risco de não se conseguir harmonia entre política, paz e justiça. Ademais, atividades radicais e preconceituosas influenciam de forma negativa as perspectivas de comportamento e de organização social. A coerência programática baseada em princípios do ecumenismo secular poderá permitir a reconciliação e a libertação, evitando tanto a dispersão humana como a fuga de boas ideias. Recentemente, com sabedoria, o Papa Francisco ressaltou que “precisamos construir pontes e não muros” visando o sentimento da solidariedade.

*Professor aposentado da UFC

George Clooney será homenageado no César, premiação do cinema francês

George Clooney recebe o prêmio Cecil B. DeMille, no 72º Globo de Ouro. (Foto: REUTERS/Mike Blake)
O ator, diretor e produtor americano George Clooney receberá o prêmio honorário da 42ª edição do César, principal premiação do cinema francês, em uma festa que será realizada no próximo dia 24 de fevereiro, informou nesta quinta-feira (2) a Academia Francesa de Cinema.
Clooney, "o ator mais carismático de sua geração", encarna "esse glamour de Hollywood característico das grandes estrelas do cinema. Seu encantamento, seu senso de humor, sua personalidade e seu compromisso" geram "nossa admiração perpétua e eterna", destacou a Academia Francesa em comunicado.
Os representantes do prêmio do cinema francês disseram que vão entregar essa distinção "em homenagem ao seu talento deslumbrante como ator, diretor, roteirista e produtor", e por sua "generosidade tanto artística como espiritual". Clooney já tem em sua prateleira o Oscar de melhor ator coadjuvante por "Syriana", em 2006, e o Oscar de melhor filme, como produtor, por "Argo", em 2013.
No ano passado Michael Douglas foi reconhecido com o César honorário, sucedendo outros três intérpretes americanos: Sean Penn em 2015, Scarlett Johansson em 2014 e Kevin Costner em 2013.

G1

Artista plástica Guita Charifker morre aos 80 anos no Recife

A artista plástica Guita Charifker morreu na manhã desta sexta-feira (3), no Recife. Ela teve falência múltipla dos órgãos. Com 80 anos, a pintora, desenhista, gravadora e escultora deu entrada no Hospital da Unimed, no Recife, há 15 dias devido uma insuficiência renal.
Aluna de Abelardo da Hora, Guita iniciou seu trabalho no mundo da arte aos 16 anos. Ao longo dos anos, passou por diversos movimentos da cultura pernambucana. Com inspiração no surrealismo, assinou obras de forte erotismo, associando formas humanas a animais e vegetais. Fez parte do Ateliê Coletivo, em Olinda, com Gil Vicente, José Cláudio e Gilvan Samico, entre outros.
Segundo a família, Guita será cremada no cemitério Morada da Paz, no Grande Recife, às 16h desta sexta-feira. "As cinzas serão espalhadas no jardim do seu ateliê, em Olinda", explicou o filho dela, Saulo Charifker. A artista plástica deixa dois filhos e quatro netos.
Olinda aos olhos de Geraldo Maia, Alceu Valença, Guita Charifker e Expedito Baracho

'Gosto de ser Miss', diz brasileira de 5 anos que disputará título internacional

Com apenas cinco anos, a guarujaense Emanuelle Rodrigues de Oliveira vai representar o Brasil no Miss Mundial, que será realizado no Peru, em 2017. Ela assumiu o posto há um mês, quando recebeu o título e começou a se preparar para participar da competição mundial. Conhecida como Manu Rodrigues, a menina já faz todos os gestos típicos de quem coleciona faixas e coroas de Miss mas, também, não abandona as travessuras da infância.
Manu desfilando com 4 anos (Foto: Bene Lima)Manu desfilando com 4 anos (Foto: Bene Lima)
A primeira experiência de Manu nas passarelas aconteceu aos 2 anos de idade. Ela foi convidada a participar de um desfile de uma loja de roupas infantis, em Guarujá. Ao ver a desenvoltura da filha, Cleide Souza de Oliveira quis matricular a menina em um curso de modelos, porém, ela era muito nova para isso.
“A Clô (ex-modelo e empresária) abriu a exceção para ela fazer o curso com três anos. Antes, começava com cinco. Mas, como ela era esperta e se comportava, fez um teste e conseguiu se formar com três anos”, conta. Aos quatro anos, chegou a fazer comerciais para a TV e a atuar como assistente de palco de um programa para a internet.
Os concursos de Miss surgiram em 2015. Manu recebeu as coroas de princesa no Miss São Vicente e no Miss Mongaguá, na categoria mirim, de quatro a oito anos. As três primeiras classificadas de cada cidade foram para a competição estadual, em São Paulo. Desta vez, Manu levou o título de Miss São Paulo Princesa Del Mundo. “A gente quase desistiu porque bateu na trave nos outros concursos. Daí, ela ganhou. Teve nota máxima em todos os quesitos”, conta Cleide.
No ano passado, a menina se inscreveu para concorrer ao título de Miss Beleza Brasileira, que reúne garotas de várias estados do Brasil. Por meio de fotos, Manu foi escolhida por um grupo de especialistas. Ela irá representar o Brasil no Miss Mundial, que será realizado no Peru, neste ano.
“Quando a menina faz a inscrição, a gente manda as fotos para os coordenadores internacionais do concurso. Mandamos as fotos e ela (Manu) foi escolhida. São várias categorias. Ela recebeu um título internacional para representar o Brasil no próximo ano”, explica a coordenadora nacional do concurso, Alzira Quarenta.
Manu na sala da casa dela, em Guarujá (Foto: Mariane Rossi/G1)Manu na sala da casa dela, em Guarujá (Foto: Mariane Rossi/G1)
Agora, a família busca recursos financeiros para levar a menina à competição internacional e preparar a pequena miss, de todas as formas, para que tenha um bom desempenho no concurso. Manu faz balé, jazz, teatro, natação e aulas de modelo. Ela aprende a ser miss só observando as outras garotas, já que não há cursos na área. 
Manu já tem dois estilistas que fazem as roupas dela para as apresentações, além da maquiagem e do penteado para qualquer evento. São vestidos pesados, cheios de brilho, pedras e paetês. Os estilistas começaram a patrocinar a menina após verem o seu sucesso na cidade. “As pessoas chegam na loja e querem o vestido que a Manu desfilou. Teve um vestido comprido que ela usou e esgotou na loja. Custava cerca de R$ 300”, conta a mãe.
Manu Rodrigues vestida de Miss Estado de São Paulo Princesas Del Mundo (Foto: Mariane Rossi/G1)
Manu Rodrigues como Miss Estado de São Paulo
Princesas Del Mundo (Foto: Mariane Rossi/G1)
Com cinco anos, ela toma banho sozinha, escova os dentes e organiza os horários das aulas. Na escola, está uma série acima dos outros colegas com a mesma idade porque não se adaptou a turma mais nova. "Na escola, ela é uma criança normal. Ela não mistura as coisas. Ela é super profissional. Não é aquela criança que dá trabalho. Ela não corre, não grita. Quando se transforma em miss, é a miss. Quando não é miss, é uma criança normal”, comenta a mãe.
Os pais se preocupam com o desenvolvimento precoce da filha. Tanto em estatura como em maturidade, Manu sai na frente das outras crianças. Os pais conversam regularmente com a menina para que ela não se impressione com a visibilidade como Miss e viva uma infância como qualquer outra menina da sua idade.
“Ela tira foto com todo mundo, abraça, beija. A gente tenta trabalhar isso para que ela não deixe de ser criança. A gente não quer isso. Se ela faz um desfile hoje, amanhã a gente tenta levar ela em algum lugar, deixar relaxada, deixar a coroa de lado, pé no chão para brincar, viver normal. Para a gente é uma filha normal”, comenta o pai.
Manu já coleciona coroas e faixas de Miss na sala de casa. "Eu gosto de ser Miss. Precisa ser simpática, precisa ser inteligente, saber das coisas. Eu ensaio em casa um pouquinho. Eu ensaio desfilando. Eu aprendi a ser simpática e aprendi a sentar igual a uma miss”, finaliza a menina.
Pequena miss e os pais, José Roberto e Cleide, em Guarujá (Foto: Mariane Rossi/G1)Pequena miss e os pais, José Roberto e Cleide, em Guarujá (Foto: Mariane Rossi/G1)G1

Pesquisadores apresentam primeiro projeto de computador quântico

A professora australiana Michelle Simmons observa o menor transistor quântico do mundo em Sydney. (AFP)
Uma equipe internacional de pesquisadores apresentou um primeiro projeto de criação de um computador quântico capaz de resolver problemas complexos e mistérios do cosmos que exigiriam milhões de anos aos computadores atuais mais potentes.
Há muito tempo se sabe que os computadores quânticos terão capacidade ilimitada de revolucionar a informática, a ciência e o comércio em uma escala comparável à da invenção dos computadores comuns na década de 1940, explicam os pesquisadores em seu trabalho, publicado na revista científica americana Science Advances.
"Este projeto criou pela primeira vez um plano de construção para montar uma máquina que funciona, e não se trata de um novo artigo acadêmico", disse à AFP Winfried Hensinger, professor da Universidade de Sussex, no Reino Unido, que dirigiu o projeto.
A equipe de pesquisadores construirá, nos próximos dois anos, um pequeno protótipo que integra todas as tecnologias para provar a validade do conceito.
Mas o equipamento em tamanho real, que provavelmente ocupará um grande edifício, não estará pronto no curto prazo, dada a complexidade de uma máquina deste tipo, reconhece Hensinger.
A enorme máquina será dotada de um sofisticado sistema de vácuo e de módulos com microprocessadores quânticos de silício, que conterão partículas alimentadas por campos elétricos.
Um computador deste tipo se baseia nas propriedades quânticas da matéria, segundo as quais uma partícula elementar pode ter diferentes estados simultaneamente, que passam de um a outro dando "saltos", e não de forma contínua.
Estas características oferecem um potencial de cálculo muito maior que os computadores atuais, que utilizam um sistema binário 0-1.
Para o futuro computador quântico, os pesquisadores propõem a criação de campos elétricos para as conexões, em vez de fibras óticas.
Esta nova abordagem permite uma circulação das partículas carregadas eletricamente 100.000 vezes mais rápida entre os diferentes módulos da máquina em comparação com a tecnologia de fibra ótica que utiliza a luz, asseguram os cientistas.
O projeto é parte de um programa do governo britânico para desenvolver tecnologias quânticas a fim de permitir sua exploração industrial.
É realizado pela equipe da Universidade de Sussex, que trabalha com o Google, a Universidade de Aarhus, da Dinamarca, o Instituto de Pesquisa RIKEN, do Japão, e a Universidade de Siegen, da Alemanha.
"Este trabalho representa um passo importante em direção à construção de um computador quântico", disse Toby Cubitt, membro da Sociedade Real de Pesquisa sobre a teoria quântica da informação na Universidade College de Londres, que não participou no projeto.
"Mas o caminho a percorrer ainda é longo", acrescentou.

AFP

Religiosa lança livro ilustrado sobre Santa Catarina Labouré

(ACI).- A história de Santa Catarina Labouré ganhou traços de outra religiosa, a Irmã Helene Garcia dos Santos, que recentemente lançou o livro ilustrado “Santa Catarina Labouré: a santa da Medalha Milagrosa”. Para a monja, formada em desenho industrial, esta oportunidade foi também uma resposta de Deus.
Ir. Helene é religiosa dos Monges da Trindade, em Monte Sião (MG), e preparou este livro a pedido de Pe. Rodrigo Carneiro, reitor e pároco do Santuário da Medalha Milagrosa, na mesma cidade mineira.
O objetivo era fazer com que a “santa seja mais conhecida e a história das aparições de Nossa Senhora da Medalha Milagrosa seja mais divulgada”.
 
Após o sacerdote lhe lançar a ideia do livro, a religiosa decidiu acrescentar o seu talento para desenho. “Como eu sou desenhista, pensei em juntar as duas coisas para que crianças e adultos pudessem se informar sobre a vida de Santa Catarina Labouré e também sobre a Medalha Milagrosa”, disse em uma entrevista à Rede Vida.
“Esse trabalho me fez ver que Deus me devolveu tudo o que eu gostava, me dando a oportunidade de fazer meu trabalho mesmo após me entregar à vida religiosa”, acrescentou.
Segundo Ir. Helene, embora o livro seja ilustrado, “não se restringe apenas ao público infantil”, pois é fiel à história, com dados cronológicos e biográficos da santa e das aparições. “Os adultos também vão gostar muito do livro, já que além de toda a história estar ali descrita, a leitura é leve e divertida”, garante.
Santa Catarina Labouré, órfã de mãe aos 9 anos de idade, ajudou na educação dos irmãos. Posteriormente, consagrou-se como religiosa. Em 1830, deu-se início as aparições de Nossa Senhora à santa, encarregando-a de cunhar uma medalha, a qual, mais tarde, ficou conhecida com Medalha Milagrosa, devido às inúmeras graças e milagres que os fiéis receberam ao usá-la.
O livro “Santa Catarina Labouré: a santa da Medalha Milagrosa” poder ser adquirido através do site www.shop.mongesdatrindade.org.br.

Projeto em Lisboa retira sem-abrigo das ruas

Mais de 20 cidadãos sem-abrigo foram retirados das ruas da capital portuguesa nos últimos quatro anos, no âmbito do projeto «É uma casa, Lisboa Housing First», uma iniciativa promovida pela Associação Crescer que este mês celebra o seu quarto aniversário, um período durante o qual atribuiu casas a sem-abrigo para os ajudar a recuperar as suas vidas.


Através deste programa, as pessoas sem-abrigo são integradas em residências tendencialmente individuais, onde contam com o acompanhamento de técnicos que lhes fornecem dicas para gerir uma habitação. «É extremamente positivo» que 87,5 por cento das pessoas integradas neste modelo, e que se encontravam em situação crónica de sem-abrigo, com uma média de 16 anos de rua, «não voltaram a viver na rua graças a este modelo», destacou Américo Nave, diretor da associação.


Atualmente, o projeto «conta com um total de 30 casas arrendadas em toda a zona de Lisboa, proporcionando desta forma a inclusão dos beneficiários e negando a `guetificação´ dos sem-abrigo», salientou o responsável. Segundo Américo Nave, este modelo apresenta custos próximos dos envolvidos nos abrigos existentes, e em alguns casos consegue «ser mais barato, chegando a custar metade do valor das soluções habituais».


Para estender o projeto, a Associação Crescer tem «batido à porta da sociedade civil» e de várias entidades. Contudo, Américo Nave realça que a Câmara Municipal de Lisboa já se comprometeu em atingir as 180 casas até ao próximo ano. «Defendemos que se deveria atingir as 300 casas e com isto terminar com as situações crónicas de sem abrigo da cidade de Lisboa», disse o responsável, citado pela agência Lusa.

Fátima Missionária

Itália e Líbia firmam acordo para combater imigração ilegal

Da Agência Ansa
Os primeiros-ministros da Itália, Paolo Gentiloni, e da Líbia, Fayez al Sarraj, assinaram nessa quinta-feira (2) um memorando de entendimento para combater a imigração clandestina entre os dois países. A rota é considerada a mais mortal do mundo pela Organização Internacional para as Migrações (OIM). Só neste ano, 246 pessoas morreram ou desapareceram nesse trecho do Mediterrâneo. A informação é da Agência Ansa.
O pacto foi firmado um dia antes de a União Europeia (UE) apresentar um plano para fechar a chamada "via do Mediterrâneo", por meio da qual milhares de pessoas viajam da Líbia à Itália em embarcações superlotadas, em trajetos que muitas vezes terminam em desastre.
"Hoje é um dia importante para as relações entre Itália e Líbia, sobretudo porque se confirma uma amizade, uma colaboração que já se manifestou nos últimos meses por meio de ações do governo italiano em diversas frentes", declarou Gentiloni, durante pronunciamento conjunto com Sarraj no Palácio Chigi, sede do governo italiano, em Roma.
O memorando de entendimento tem como objetivo reduzir a imigração ilegal no Mediterrâneo e combater o tráfico de seres humanos. Atualmente, a Itália é a principal porta de entrada para deslocados externos na Europa devido à sua proximidade geográfica com a Líbia.
Em 2016, 181 mil imigrantes ilegais desembarcaram na costa da península, a maioria deles originária da África Subsaariana. "Esse é apenas um pedaço do projeto que pretendemos desenvolver. Mas sabemos que, se quisermos dar força e pernas a ele, é preciso um empenho econômico da União Europeia", acrescentou Gentiloni.
O plano que será apresentado pela UE nesta sexta-feira, durante uma reunião informal dos líderes do bloco em Malta, prevê o treinamento da Guarda Costeira da Líbia e o fornecimento de meios navais para que o país consiga controlar suas águas territoriais.
O objetivo é que, ao resgatar imigrantes no mar, a Líbia os leve de volta para sua costa - se quem faz isso é um navio europeu, eles não podem ser devolvidos para a nação africana. A UE também destinará pelo menos 200 milhões de euros em financiamento para projetos na Líbia e reforçará suas fronteiras com o Egito, a Tunísia e Argélia para evitar o surgimento de novas rotas migratórias.
Também haverá medidas para melhorar as condições de vida nos campos de acolhimento em território líbio e para desestimular a partida de imigrantes econômicos, que não têm direito a refúgio. "Quero garantir aos líbios que nunca faremos um acordo que afete nossa soberania. A Líbia é um país de trânsito, não de origem, e esse pacto também protegerá nossas fronteiras", explicou Sarraj.
As negociações com Trípoli só se tornaram possíveis com o estabelecimento de um governo de união nacional chefiado por Sarraj, em 2016, após longo período em que a nação africana foi comandada por dois parlamentos.
Esse vácuo de poder, iniciado após a queda de Muammar Kadafi, abriu espaço para a ação do grupo jihadista Estado Islâmico e de traficantes de seres humanos, que aproveitaram a falta de controle no litoral para realizar as chamadas "viagens da morte" no Canal da Sicília.

Começam hoje matrículas dos aprovados em primeira chamada no Sisu

Andreia Verdélio - Repórter da Agência Brasil
Começam hoje (3) as matrículas para os candidatos selecionados na chamada regular da primeira edição deste ano do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Elas poderão ser feitas até a próxima quarta-feira (8), a critério das instituições de ensino. Os candidatos devem estar atentos ao cronograma e aos procedimentos estabelecidos pelas instituições, já que não haverá outra chamada para os selecionados na primeira opção de curso.
No dia 16 de fevereiro, serão convocados os candidatos que integram a lista de espera do Sisu, aqueles que não foram selecionados em nenhuma das opções na chamada regular e aqueles selecionados na segunda opção, independentemente de terem feito a matrícula. Para integrar a listas de espera, o participante deve manifestar interesse até o próximo dia 10.
Cerca de 2,5 milhões de estudantes que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2016 se inscreveram no Sisu para o primeiro semestre de 2017. Como o sistema permite que o candidato faça duas opções de curso, o número de inscrições chegou a quase 5 milhões.
Ao todo, são ofertadas 238.397 vagas em cerca de 6,4 mil cursos de 131 instituições públicas, entre universidades federais e estaduais, institutos federais e instituições estaduais.
A lista de selecionados em cada instituição, o edital e o cronograma de chamadas estão disponíveis na página do Sisu na internet.