Destaque

Choram porque amam

Padre Geovane Saraiva* Como é bom rezar e colocar em primeiro lugar o mistério da redenção! Nem sempre, porém, sabemos rezar e nem d...

25 de fevereiro de 2016

CRATO - PRINCESA DO CARIRI, CAPITAL DA CULTURA, OÁSIS DO SERTÃO



Dr. Seridião Correia Montenegro,
recordando o lançamento de seu Livro:
É com prazer que informo a vocês que estarei no Crato no dia 17 de outubro (próximo sábado), para o lançamento de meu livro "Crato - Princesa do Cariri, Capital da Cultura, Oásis do Sertão. O lançamento está programado para as 19 horas, no Instituto Cultural do Cariri e está sendo organizado pela Secretária de Cultura do Crato, Dane de Jade.

Muito me honrarão os queridos amigos se vocês dois puderem estar presentes. Caso não possam ir, eu os encontro no lançamento em Fortaleza no dia 20, na área de piscina do Ideal Clube, às 19:30.

Gostaria de pedir aos dois queridos amigos que transmitissem esse meu convite aos companheiros do Rotary Clube do Crato.

Nas minhas pesquisas descobri que sou descendente de famílias do Crato, Holanda, Lima Verde e Montenegro, por parte de pai (inclusive o Monsenhor Montenegro) e Figueiredo por parte de mãe. A minha bisavó materna era irmã do escritor José Alves de Figueiredo, cuja filha Letícia era casada com Jefferson de Albuquerque, um dos fundadores e ex-presidente do Rotary Club de Crato. Foi, também, governador do Distrito 4490 do Rotary International.

O meu agradecimento e o abraço cordial,
Seridião Correia Montenegro
Resultado de imagem para seridião montenegro foto
Resultado de imagem para seridião montenegro foto
Resultado de imagem para seridião montenegro foto

EXPERIÊNCIA DO DESERTO INTERIOR

Padre Geovane Saraiva*
A transfiguração do Filho de Deus na Montanha Sagrada, no segundo domingo da Quaresma, faz-nos pensar e compreender sempre e cada vez mais no sentido da páscoa eterna. Nossa vida aqui é um longo caminho a percorrer, mas temos a certeza de que nesse mistério inexprimível percebemos nossa origem e destino, a páscoa definitiva, nossa gloriosa e eterna transfiguração.

O Papa Francisco, na Praça de São Pedro no horário do meio-dia (21/02/2016), diante de milhares de fiéis, apresentou uma avaliação pessoal de sua viagem apostólica ao México, tendo em mente o sonho de Deus, dando a entender que naquele país, de um modo antecipado, passou pela experiência da transfiguração.

Dentro do contexto da transfiguração de Jesus, no Monte Sagrado, recordo-me do profeta Elias, na forte experiência do seu deserto, que foi uma vida marcada por enormes limites e sofrimentos, sem sentido, a ponto de achar que tudo estava perdido e concluído, tendo que fugir e morrer, com uma única saída: pensar só em comer e dormir.

Deus, porém, se manifestou nele, deixando-lhe marcas de um deserto interior, rico de suas graças, sendo confortado pelo anjo, que lhe trouxe alimento na hora certa, mas um alimento que lhe sustentaria na longa caminhada a percorrer, até o Horeb, o monte de Deus, que o transfiguraria (cf. 1 Rs 19, 1-12). 

Acende-se no profeta Elias o farol da fé e da esperança, no encontro com Deus que quer vê-lo transfigurado, a ponto de ficar consumido e ardendo em zelo pelo amor do Senhor. Portanto, a experiência do deserto interior o marcou profundamente, tornando-se grande, tão grande e importante que os sábios de seu tempo afirmaram que Elias não havia morrido, mas havia sido arrebatado por Deus, como tão bem nos assegura o Livro Sagrado: “Eis o que se deu no dia em que o Senhor arrebatou Elias ao céu num turbilhão” (cf. 2 Rs 2, 1).

Somos chamados a escolher, a colocarmo-nos diante do nosso bom Deus, a exemplo do profeta Elias e de incontáveis santas criaturas de Deus, com registro na história do povo de Deus, a partir da experiência de sua presença, seja pelo trabalho ou pela oração, mostrando ao mundo que vale a pena contemplar-vos na sua bondade e ternura, tendo diante dos olhos o Monte Carmelo, ou a Montanha Sagrada, na sua mais elevada expressão: a Jerusalém celeste.

A sábia ligação do Santo Padre, o Papa Francisco, entre o Evangelho do domingo da Transfiguração e a viagem em terras mexicanas, mostrou a presença bondosa de Deus naquela realidade por ele vivenciada: “Jesus nos mostrou a luz de sua glória através do Corpo da sua Igreja, do seu Povo santo que vive naquela terra; um corpo muitas vezes ferido, um Povo muitas vezes oprimido, desprezado, violado em sua dignidade. Mas os diferentes encontros vividos no México foram cheios de luz: a luz da fé que transfigura os rostos e aclara o caminho”. Amém!
*Pároco de Santo Afonso e vice-presidente da Previdência  Sacerdotal, integra a  Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza -geovanesaraiva@gmail.com

ZONEAMENTO: ALTERAÇÃO PODE SER CONTESTADA

Para Marcelo Manhães de Almeida, o "artigo anticrise" pode ser alvo de ação judicial.
O artigo 77 do Plano Diretor abre a possibilidade de a Lei de Zoneamento fazer alterações nos perímetros dos eixos, mas não nos critérios urbanísticos definidos para essas áreas de verticalização. "Esse veto foi pensado justamente para que o conceito do eixo não fosse alterado. Mas, ao se liberar apartamentos maiores com mais vagas, ele vai por água abaixo", diz a urbanista Lucila Lacreta, do Movimento Defenda São Paulo. "Essa mudança só é possível se o Plano Diretor for revisado. Caso contrário, o zoneamento será ilegal."
Para o presidente da Comissão de Direito Urbanístico da OAB-SP, Marcelo Manhães de Almeida, o "artigo anticrise" pode ser alvo de ação judicial. "Não a lei toda, mas apenas esse dispositivo", explica.
Segundo Manhães, não existe hierarquia entre o Plano Diretor e a Lei de Uso e Ocupação do Solo - o zoneamento. "Isso não quer dizer que as diretrizes do plano podem ser alteradas. Cada uma tem a sua função e o zoneamento deve seguir o plano. Se isso não ocorrer, os artigos em desacordo podem ser considerados ilegais" afirma.

Primazia
Para o advogado Floriano de Azevedo Marques, especialista em Direito Público, apesar de não existir uma hierarquia formal entre as leis, o Plano Diretor tem prevalência sobre todas as demais legislações urbanísticas da cidade. "Desta forma, o zoneamento deve ser condicionado ao plano. No Tribunal de Justiça de São Paulo existe uma grande jurisprudência sobre esse tema. Certamente, se a Justiça for provocada, essas alterações serão consideradas inconstitucionais".
Agência Estado

DISCO DE BELCHIOR, COMPLETA 40 ANOS EM 2016

O disco lançado traz um imponente discurso social escondido nas metáforas das 10 faixas do álbum.
Compositor Belchior.

Teago Oliveira toca levemente os acordes. Acompanhado pela banda canta com precisão os primeiros versos de Tudo Outra Vez. Equilibra bem os graves e os agudos. Não quer parecer tão pretensioso. Interpretar uma composição de Belchior, por si só, já traz um peso imensurável. No canto esquerdo do estúdio, localizado na zona oeste de São Paulo, Hélio Flanders (Vanguart) Dani Black e Pélico observam com atenção a performance do amigo. Eles conversam bem baixinho, palpitam e, no fim, esboçam aquele sorriso. 

A leveza do primeiro ensaio em uma quente e ensolarada tarde reflete bastante a essência do projeto Velha Roupa Colorida, que homenageará o cantor e compositor Belchior, nesta quinta-feira, 25, às 21h, no Sesc Pinheiros. Motivos não faltam para prestar tributo a um dos maiores compositores da música popular brasileira.

Daqui a três meses, em maio de 2016, o disco Alucinação, trabalho mais emblemático do cearense, completa quatro décadas. Em outubro, mais especificamente no dia 26, Belchior fará 70 anos. "Todo mundo na minha casa ouvia. Sua poesia latente continua me inspirando diariamente. 2016 será recheado de homenagens", diz Teago, vocalista da banda Maglore e um dos idealizadores do show.

Efemérides à parte, nenhum dos clássicos da música popular brasileira é tão atual quanto Alucinação. O disco lançado traz um imponente discurso social escondido nas metáforas das 10 faixas do álbum. As composições externam as incertezas efervescentes e os conflitos impetuosos da alma do cearense Antônio Carlos Gomes Belchior Fontenelle Fernandes. Questionamentos estes que poderiam ser de qualquer pessoa. As indagações atormentadas de Belchior tocam até mesmo o coração de quem cresceu ao som das guitarras mais barulhentas de riffs estridentes. 

De Velha Roupa Colorida a Sujeito de Sorte, Belchior jamais amenizou suas críticas. Nem quando foi censurado na ditadura militar. A poesia serena e ao mesmo tempo agressiva de Alucinação, que completa 40 anos em 2016, dá um tom mais ameno ao cotidiano pesado dos cidadãos. Belchior fez de Alucinação sua grande obra-prima. O disco é um dos pilares centrais para entender a cultura brasileira. "Acho que o Alucinação é essencial para qualquer pessoa. Um dos discos fundamentais de qualquer amante da música", afirma o tecladista Xuxa Levy, que assina o projeto Velha Roupa Colorida ao lado de Teago e faz a direção artística e musical do show.

Apesar da importância de Alucinação, o repertório do show, no entanto, não deve conter apenas músicas do emblemático trabalho de 1976. O set também deverá contar com clássicos da longa trajetória do músico, incluindo sucessos de Divina Comédia Humana (1978) e Coração Selvagem (1977). "Na maioria das músicas que serão tocadas na apresentação, os arranjos são bem semelhantes aos originais, mas alguns foram alterados para dar uma linguagem mais atual ao projeto", afirma Xuxa Levy. 



Influência

Teago, Dani, Pélico e Hélio, os quatro vocalistas do show, não tiveram trabalho para fazer a divisão das músicas. Cada um soube escolher com perfeição a composição que mais lhe chamava a atenção. Tudo Outra Vez, por exemplo, se encaixou melhor na voz e no sotaque baiano de Teago. "A gente conhece tanto a obra do Belchior que isso não foi um problema. A escolha foi natural. Crescemos ouvindo esses clássicos", lembra ainda Hélio. 

A influência de Belchior na sonoridade dos quatro músicos é notória. O jeito de cantar, a forma suave de fazer os acordes: sua musicalidade sempre esteve presente no DNA do quarteto, seja em seus trabalhos solos ou na estrada com suas respectivas bandas (Vanguart, Maglore e 5 a Seco). "Desde o início fiquei animado com o projeto. Digamos que eu tenha sido até um pouco ansioso para realizá-lo. Liguei para o Xuxa (Levy) e disse que estava a fim de produzir e coordenar algo grandioso. Ele topou na hora", conta Teago.

Além dos quatro vocalistas e de Xuxa Levy nos teclados, a banda é formada por Davi Gomes (bateria), Dudinha Lima (baixo), Regis Damasceno (guitarra elétrica e violões), Denilson Martins (sax e flauta) e Will Bone (trombone e trompete). "Tivemos um bom entrosamento logo de cara. Se a apresentação vai ajudar a encontrar o Belchior (leia mais ao lado), eu não sei, mas se ele ficar sabendo, já vale muita coisa para a gente. Queremos externar mais a importância do Belchior", explica Xuxa.
Agência Estado

FOCOLARES CELEBRAM 50 ANOS DE PRESENÇA EM PORTUGAL

Agência Ecclesia 25 de Fevereiro de 2016, às 12:52       
Alenquer, Lisboa, 25 fev 2016 (Ecclesia) – O Movimento dos Focolares está a assinalar 50 anos de presença em Portugal, ao longo de 2016, cujas celebrações terminam com uma concentração a 6 de novembro, em Fátima.

Num comunicado enviado hoje à Agência ECCLESIA, o Movimento dos Focolares em Portugal explica que das várias iniciativas que “festejam” o 50.º aniversário destaca-se uma “presença mais ativa nos social media” e renovou as plataformas de comunicação digital.

Neste contexto, o movimento criou uma página oficial na rede social facebook e uma conta na rede de microblogging Twitter, para além de um novo sítio online.

“Plataformas que passaram a estar disponíveis a 21 de fevereiro para assinalar a data em que o Movimento dos Focolares chegou oficialmente ao nosso país”, contextualiza.

As celebrações deste ano especial terminam com uma concentração dos membros do movimento, a 6 de novembro, em Fátima.

O Movimento dos Focolares tem um Centro Nacional, a Cidadela Arco-Íris, que fica na Abrigada, em Alenquer, que vai receber um encontro de namorados e noivos, em preparação para o casamento, nos dias 19 e 20 de março, e uma Jornada Nacional de Jovens, 1 de Maio.

Inserido nestas celebrações está o ciclo de debates «Pensar Portugal Atual», que pretende ser um “diálogo com o mundo da cultura”, onde ainda vão receber conferencistas como Jorge Braga de Macedo; Vítor Bento e António Bagão Félix, e já receberam, por exemplo, Jorge Miranda, Guilherme de Oliveira Martins e Marcelo Rebelo de Sousa, no final de 2015.

Com 50 anos de presença e ação em Portugal, entre as manifestações “mais características” do Movimento dos Focolares está o evento ‘Mariápolis’, que significa ‘Cidade de Maria’, o nome dos encontros anuais, realizados geralmente em Fátima.

A também designada Obra de Maria, está presente em todos os continentes e nasceu a 7 de dezembro de 1943, com a finalidade da construção de um mundo unido por Chiara Lubich, nascida Silvia Lubich (Trento, 22 de janeiro de 1920 — Rocca di Papa, 14 de março de 2008).

Com as primeiras companheiras “descobriram que Deus é Amor, em todas as circunstâncias” e deram início a uma “nova corrente de espiritualidade baseada no amor evangélico”: “A espiritualidade da unidade ou de comunhão, que suscitou um vasto movimento de renovação espiritual e social em todo o mundo.”

A 27 de janeiro de 2015 deu-se início ao processo de beatificação e canonização da fundadora do Movimento dos Focolares - Chiara Lubich (1920-2008) -, que o Papa Francisco destacou como um “exemplo luminoso de vida”.

CB

domtotal.com: REVISTA DIGITAL MAIS COMPLETA DO BRASIL

http://domtotal.com/noticias/detalhes.php?notId=987717

http://domtotal.com/noticias/detalhes.php?notId=985261

http://domtotal.com/noticias/detalhes.php?notId=983336

http://domtotal.com/noticias/detalhes.php?notId=980228

http://domtotal.com/noticias/detalhes.php?notId=978665

http://domtotal.com/noticias/detalhes.php?notId=977134

http://domtotal.com/noticias/detalhes.php?notId=975124

http://domtotal.com/noticias/detalhes.php?notId=972809

http://domtotal.com/noticias/detalhes.php?notId=969760

Total 6 Milhões amigo Dom ultrapassa

Formandos antes da colação de grau <i>Foto (Patrícia Almada / DomTotal)</i>