Postagens

Mostrando postagens de Setembro 12, 2016

Metrô de SP acha caderno de 1920

Imagem
Com quase um século, ele traz desenhos, poemas e um diário, além de pistas, como um bilhete para devolver o achado para a família de uma mulher.
Em fevereiro deste ano, um caderno foi encontrado na estação São Joaquim do Metrô, em São Paulo. Datado de 1920, ele traz desenhos, poemas e um diário, além de pistas, como um bilhete para uma "Claudia", que pede para ela devolver o caderno para a família de uma mulher chamada Maria Aparecida Gomes. A reportagem do Fantástico segue essas pistas e parte para uma investigação na tentativa de descobrir a história por trás das páginas desse caderno.

G1

Ado Jorio, o cientista brasileiro que figura entre os mais influentes do mundo

Imagem
Pesquisador do departamento de física da UFMG, Ado Jorio está entre os quatro brasileiros na lista da agência Thomson Reuters com as mentes científicas de maior influência mundial
o Jorio do pesquisador. O último, sem acento, facilita as citações em trabalhos ao redor do mundo. O que ocorreu pelo menos 214 vezes nos últimos sete anos, segundo a lista The World’s Most Influential Scientific Minds 2015 (Mentes Científicas Mais Influentes do Mundo 2015, em tradução livre), divulgada pela Thomson Reuters. O levantamento contém 3,1 mil pesquisadores. A vinculação principal é com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Mas, o conhecimento e a linha de pesquisa seguida principalmente a partir do doutorado em Física evolui graças à cooperação com cientistas de outros estados e países. Assim, iniciou a carreira ao estudar propriedades ópticas de nanomateriais e ao focar na da espectroscopia Raman. Em outras palavras, busca o aperfeiçoamento da técnica que usa a luz para investigar a maté…

Filme retrata dois jovens traficantes de armas

Imagem
Miles Teller e Jonah Hill estrelaram filme do diretor de ‘Se beber, não case!’


Cena do filme "Cães de guerra". Por Nayara Reynaud Um rapaz que já protestou contra o governo de George W. Bush, por causa das invasões norte-americanas no Afeganistão e no Iraque, torna-se um traficante de armas, pois, como diz, não é uma questão de ser “pró-guerra”, e sim “pró-dinheiro”. O cinismo do personagem e sua mudança de posição até poderia parecer falta de verossimilhança, assim como tantas outras coisas na história dos dois jovens que enriqueceram fornecendo armamento para o exército dos Estados Unidos, se “Cães de Guerra” não avisasse logo de cara que é baseado em fatos reais, para provar o quanto a vida pode ser mais absurda que a ficção. O filme, bem mais “sério” do que se possa imaginar pela divulgação e a carreira pregressa do cineasta Todd Phillips, marcada pela trilogia da ressaca “Se Beber, Não Case!”, inspira-se no caso verídico dos traficantes de armas, com um pouco mais de 20 a…

Neymar anuncia que dará início na carreira musical

Imagem
Não é a primeira vez que jogador resolve soltar a voz: lançou clipe em 2015.


Será que o jogador vai fazer sucesso na música? Pouco tempo depois de entrar em campo pelo Barcelona, na derrota por 2 a 1 para o Alavés, o ídolo Neymar fez um post diferente em suas redes sociais. O atacante da equipe blaugrana anunciou, na manhã deste domingo, que dará início a sua carreira musical. De acordo com a craque, a primeira música será lançada nesta semana. "Galera, quarta eu começo minha carreira musical e vou lançar a primeira música no meu Facebook. Vai ter 'Neymúsico' nos palcos sim", escreveu o atacante de 23 anos em seu perfil oficial no Twitter. Apesar de anunciar que iniciará sua carreira musical, esta não será a primeira empreitada de Neymar no ramo. O jogador do Barça lançou a música "O Amor Tá Aí", em dezembro de 2015. Na ocasião, Anitta, Alexandre Pires, Claudia Leitte, Wesley Safadão, Thaeme & Thiago e Thiaguinho, entre outros nomes do cenário musical br…

Filme filipino conquista Leão de Ouro em Veneza

Imagem
Longa metragem de quase quatro horas foi roteirizado e dirigido por Lav Diaz.



Diretor Lav Diaz com seu prêmio Leão de Ouro de melhor filme durante o Festival de Veneza. O filipino "The Woman Who Left" ("Ang Babaeng Humayo", no original), uma longa narrativa em preto e branco sobre a luta de uma mulher injustamente acusada de um crime, levou o Leão de Ouro de melhor filme na 73ª edição do Festival de Veneza. Esse filme de quase quatro horas foi roteirizado e dirigido por Lav Diaz, que conquistou o prêmio Alfred-Bauer na Berlinale, com "A Lullaby to the Sorrowful Mystery" ("Hele Sa Hiwagang Hapis", no original), em fevereiro passado. "Nem acredito que ganhei esse prêmio. É muito bonito. Eu o dedico ao povo filipino, à nossa luta, à luta da humanidade", declarou Lav Diaz, ao receber a condecoração no Palais du Cinéma, no Lido. O cineasta já havia sido selecionado em Veneza na seção paralela "Orizzonti", com "Melancholia"…

Escolas de SP inovam para formar leitores

Imagem
Conforme vão crescendo, crianças deixam de indicar o 'gosto' como motivação para leitura.


Mudança de motivação para a leitura resulta de uma série de transformações na vida do jovem. Redes sociais, internet, jogos e televisão. Cada vez mais aumenta a lista de concorrentes dos livros pela atenção dos jovens. Para que os estudantes descubram o prazer da leitura, escolas particulares de São Paulo estão desenvolvendo projetos para aproximar os jovens dos livros. 
O Instituto Pró-Livro, associação de incentivo à leitura, publicou neste ano a pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, que mostrou que, conforme vão crescendo, as crianças deixam de indicar o "gosto" como motivação para a leitura. Nas faixas etárias de 5 a 10 anos e de 11 a 13, o "gosto" é apontado como maior motivação por 40% e 42%, respectivamente, dos entrevistados. Já nas faixas de 14 a 17 e de 18 a 24 anos, essa justificativa cai para 29% e 21%, respectivamente.
Para Zoara Failla, coordenadora do l…

As drogas e a morte aos 19 anos: uma carta ao meu pai

Imagem
Pai,
Acho que neste mundo ninguém chegou a descrever o seu próprio cemitério. Não sei como o meu pai vai recebê-lo. Mas preciso de todas as minhas forças enquanto é tempo. Sinto muito, meu pai; acho que este diálogo é o último que tenho com o senhor. Sinto muito mesmo. Sabe, pai… Está em tempo do senhor saber a verdade que nunca suspeitou. Vou ser breve e claro. A DROGA ME MATOU, pai. Conheci meus assassinos aos 15 para 16 anos de idade. Sabe como nós conhecemos isto? Através de um cidadão elegantemente vestido, bem elegante mesmo e bem falante, que nos apresentou o nosso futuro assassino. Eu tentei, tentei mesmo recusar, mas o cidadão mexeu com o meu brio dizendo que eu não era homem. Não preciso dizer mais nada, não é? No começo foram as tonturas, depois o devaneio, depois a escuridão. Não fazia nada sem que a droga estivesse presente. Depois veio a falta de ar, medo, alucinações, depois euforia novamente. Eu sentia mais do que as outras pessoas, e a droga, minha amiga inesquecível…

Nova versão de peça de Caio Fernando Abreu volta em projeto que homenageia o autor

Imagem
"O homem e a mancha" retorna em uma nova montagem, 20 anos depois de sua estreia Por: Fábio Prikladnicki

Foto: Miguel Quesada / Divulgação O nascimento da peça O homem e a mancha, de Caio Ferando Abreu, se deu em uma "saia justa horrível", como lembra o diretor Luís Artur Nunes. Caio escreveu o monólogo por encomenda do ator Carlos Moreno (mais conhecido pelos anúncios televisivos do Bombril) – que não teria gostado nadinha do que ouviu na primeira leitura realizada pelo autor em São Paulo, em 1994, e não o encenou. – Carlinhos Moreno não falou nada, nem naquele momento e nem depois. Isso deixou Caio muito chateado. Acho que o ator esperava uma coisa mais comportada, mas a peça não é nada disso – lembra Nunes, que estava presente naquela leitura dramática. A tarefa da montagem da peça, dois anos depois, coube a uma equipe liderada por Nunes e pelo ator Marcos Breda, ambos amigos de Caio, que viram grande mérito nesse que é seu último texto para o teatro. O escritor…

Resistência indígena é tema de exposição em cartaz em São Paulo

Imagem
Camila Boehm – Repórter da Agência Brasil Exposição no Sesc de Pinheiros sobre adornos do Brasil indígena ficará aberta até 8 de janeiro de 2017Divulgação/Sesc/Alexandre Nunis



A exposição Adornos do Brasil Indígena: resistências contemporâneas leva um conjunto de 200 peças ao Sesc Pinheiros. São objetos e documentos de 23 etnias indígenas preservados no Museu de Arqueologia e Etnologia da USP (MAE), pelos quais os índios reafirmam sua cultura e identidade, além de uma seleção de obras de arte contemporânea de diversos artistas, que se entrelaçam com a temática indígena, como o mural de grafite do artista Nunca, pintado na fachada do Sesc. “A exposição gira em torno da questão do adorno como elemento de resistência simbólica. Não é uma mostra simplesmente sobre artefatos indígenas, mas sim tem um recorte específico, que é entender esses artefatos, em particular aquilo que serve de adorno, seja pintura, objeto, escarificação, como um elemento de resistência simbólica”, disse Moacir dos Anj…

Mais Visitadas

Papa Francisco sobre os direitos humanos: todos têm o direito de ser felizes

Dom Aloísio em nossos corações

O STF é uma vergonha

Diferenças entre instrução e educação