Destaque

Choram porque amam

Padre Geovane Saraiva* Como é bom rezar e colocar em primeiro lugar o mistério da redenção! Nem sempre, porém, sabemos rezar e nem d...

7 de dezembro de 2016

Filho sofre bullying, e mãe adapta aparelho auditivo com super-heróis

A empresária Gabrielle Fenianos Bittencourt, que mora em Curitiba, viu na dificuldade do filho Lorenzo de 5 anos em se adaptar com um aparelho auditivo uma oportunidade para ajudar várias crianças que passam pela mesma situação. Ela criou acessórios com personagens de super-heróis e desenhos animados para deixar o aparelho mais alegre e, com isso, evitar o constrangimento do filho em usar o equipamento.
"Nós tivemos muita dificuldade para fazer a adaptação do Lorenzo. O aparelho era bege, era uma coisa meio feia. Não era uma coisa atrativa, não era uma coisa que adorava usar", explicoiu a mãe.
Gabrielle disse que fez uma pesquisa para saber se era só o filho dela que estava com dificuldade de adaptação com relação ao aparelho, mas acabou descobrindo vários outros casos. "Descobri que, em alguns casos, as crianças sofrem com bullying por causa disso", contou.
"No caso do Lorenzo, por exemplo, eu lembro que uma vez uma menina de 14 anos ficou zombando dele e dizendo que o aparelho era maior do que a orelha. Foi horrível. Eu nunca me esqueço dessa situação absurda. Ele ficou muito triste", lembrou a mãe.
Lorenzo tem cinco anos e mora em Curitiba  (Foto: Arquivo pessoal)Lorenzo tem cinco anos e mora em Curitiba (Foto: Romulo Bittencourt/Arquivo pessoal)
Gabrielle contou ainda que que a deficiência auditiva de Lorenzo foi descoberta quando ele tinha seis meses de idade. "Nós começamos a adaptar o acessório logo quando fizemos a compra do primeiro aparelho para o Lorenzo. Ele veio com vários adesivos, mas conforme foram acabando, eu vi que aquilo não satisfazia mais ele. Aí eu pensei em fazer algo com um personagem que ele realmente gostasse. Foi então que fiz o primeiro com a imagem do Capitão América e do Superman. E ele amou de paixão", disse Gabrielle.
"E eu percebi que na escola do Lorenzo, as outras crianças também gostaram muito e aprovaram. Tinha até aqueles que, mesmo sem ter deficiência auditiva, queriam usar o acessório porque achavam legal", argumentou.
  •  
A empresária também criou acessórios para aparelhos auditivos de adultos  (Foto: Arquivo pessoal)
A empresária também criou acessórios para
aparelhos auditivos de adultos
(Foto: Romulo Bittencourt/ Arquivo pessoal)
A partir daí, Gabrielle resolveu investir no negócio. Atualmente, ela vende os acessórios com vários personagens e criou um modelo até para adultos um pouco mais sofisticados.
Os produtos patenteados e vendidos através do Facebook. O par de plugs para crianças custa R$ 20 e já vem adaptado tanto para implante coclear, quanto para aparelhos convencionais, além de uma cartela de adesivos com um tema a escolher. Para as crianças, os produtos são emborrachados.
"Faz pouco mais de um mês que eu resolvi divulgar o negócio e já vendi centenas de pares. O mais legal é receber o retorno das pessoas. Eles ficam felizes da vida e me ligam pra agradecer, me mandam vídeos e tal. Muito legal", comemora Gabrielle.
Acessórios mudaram a vida do filho de Gabrielle e de várias outras crianças  (Foto: Arquivo pessoal)Acessórios mudaram a vida do filho de Gabrielle e de várias outras crianças (Foto: Romulo Bittencourt/Arquivo pessoal)
Mãe já vendeu os acessórios para várias crianças  (Foto: Arquivo pessoal)Mãe já vendeu os acessórios para várias crianças (Foto: Romulo Bittencourt/Arquivo pessoal)G1

Ceará tem melhor desempenho do NE em educação

por Áquila Leite - Repórter
Em todo o Brasil, fizeram o teste cerca de 23 mil estudantes de 841 escolas. Do total de alunos, 78% dos avaliados estavam no ensino médio ( FOTO: ÉRIKA FONSECA )
A principal avaliação de educação básica do mundo, o Pisa 2015, divulgado, ontem (6), pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), mostrou que o desempenho dos alunos brasileiros ainda é um dos mais baixos entre os mais de 70 países e territórios analisados pelo levantamento. Nesta realidade, porém, o Ceará se destacou entre os estados do Brasil, já que não ficou abaixo da média nacional em nenhuma das disciplinas observada no estudo.
Em Ciências, o Estado obteve 401 pontos no Pisa 2015, nota igual à média do País para o período. O Ceará também registrou 382 pontos em Matemática e 409 pontos em Leitura, médias superiores ao resultado nacional nas duas disciplinas, que foi 377 e 407 pontos, respectivamente. Com essas notas, o Ceará é o estado do Nordeste que obteve o melhor desempenho nas três disciplinas analisadas.
Em Leitura, o Ceará teve sua melhor pontuação (409), com 15 pontos à frente de Pernambuco, segundo colocado do Nordeste no ranking. Matemática, os cearenses obtiveram 22 pontos a mais do que os pernambucanos, enquanto que em Ciências a discrepância foi de 18 pontos.
No cenário nacional, o Nordeste foi a região que registrou o pior desempenho no Pisa 2015. Maranhão, Bahia e Alagoas tiveram as menores pontuações em todas as disciplinas. A discrepância entre Alagoas (último colocado no ranking) e Espírito Santo (primeiro lugar) em Leitura é de 79 pontos, o que, segundo a OCDE, corresponde a mais de dois anos de aprendizado, já que 30 pontos equivale a um ano letivo.
O desempenho da região foi tão ruim que em matemática, o Ceará foi o único estado do Nordeste com nota acima da média nacional. "Essa desigualdade interna revela uma desigualdade grande do País, inclusive do ponto de vista social e econômico", afirmou a secretária executiva do Ministério da Educação, Maria Helena Guimarães de Castro.
Nacionalmente, o Pisa 2015 indica estagnação no desempenho dos alunos brasileiros, com resultados muito baixos diante dos demais países analisados. Pela segunda edição consecutiva, inclusive, as médias dos alunos brasileiros não avançaram nas três áreas avaliadas pela OCDE.
Mais de 70% dos alunos brasileiros, aliás, não conseguiram alcançar o nível 2 da avaliação, em uma escala que vai até 6. A maioria dos brasileiros não é capaz de interpretar e reconhecer situações em contextos que não exigem mais do que uma inferência direta. A OCDE considera o nível 2 o mínimo adequado para exercer a cidadania.
Pesquisa
O Pisa 2015 avaliou mais de 540 mil estudantes, amostra considerada representativa de 28 milhões de jovens na faixa etária de 15 anos. No Brasil, fizeram o teste cerca de 23 mil estudantes de 841 escolas. A maior parte dos avaliados (78%) estava no ensino médio. O teste analisa as redes pública e privada, mas 74% daqueles que fizeram a prova está na rede estadual.

Livro discute violência contra surdos

A violência contra os surdos está presente em quase todos os lugares: dentro de casa, na falta de atenção e entendimento; na rua, pela ausência de oportunidades; na escola, pelo bullying e carência de adaptação. Essas são algumas conclusões da dissertação de mestrado em Linguística Aplicada, pela Universidade Estadual do Ceará (Uece), de Nilton Câmara. A pesquisa se transformou em Grito silenciado: conceitualizações de violência na comunidade surda, livro que vai ser lançado hoje, na Livraria Cultura, na Aldeota. 
“Quase não existe, na literatura, livros que falem da relação entre violência e o surdo. Foi um desafio fazer a pesquisa”, aponta o professor, que leciona a disciplina de Libras para cursos de graduação em Letras e Linguística da Uece.
Ele fez uma espécie de seleção e escolheu quatro pessoas que pudessem contribuir com a pesquisa. O pior tipo de hostilidade, concluiu Nilton, tem relação com as atitudes, sobretudo as preconceituosas. “Para a minha surpresa, a violência não estava ligada só aos atos de agressão física, mas à falta de atenção e de entendimento dos surdos na sociedade”, comenta o professor.
Serviço
Lançamento do livro de Nilton Câmara
Quando: hoje, às 19 horas
Onde: Livraria Cultura (avenida Dom Luís, 1010, Aldeota)
Informações: 4008 0800

O Povo

Facebook, Microsoft, Twitter e YouTube se aliam contra 'conteúdo terrorista'

Facebook, Microsoft, Twitter e YouTube anunciaram nesta segunda-feira (5) uma associação em escala mundial para identificar mais rapidamente "conteúdo com caráter terrorista" em suas plataformas.
As quatro empresas americanas planejam criar uma base de dados comum que inclua as "impressões digitais" de fotos e vídeos de propaganda e de recrutamento "terroristas" retirados de suas plataformas, segundo mensagem comum publicada em seus respectivos sites.
"Ao compartilhar estas informações entre nós, podemos utilizar (estas impressões digitais) para ajudar a identificar conteúdos potencialmente terroristas em nossas respectivas plataformas dirigidas ao grande público".
Mas nenhuma mensagem será retirada ou bloqueada automaticamente, e corresponderá a cada empresa avaliar se os conteúdos identificados violam suas próprias regras.
Cada uma decidirá também, de forma independente, que imagens e vídeos acrescenta à base de dados comum, que será iniciada com as imagens e vídeos "mais extremos e flagrantes" retirados de suas plataformas.
A iniciativa chega no momento em que Estados Unidos, Comissão Europeia e uma série de governos multiplicam seus apelos às redes sociais para que intensifiquem sua luta contra a propaganda jihadista on-line.

AFP

Voluntária despede-se da missão de Nova Mambone


Inserida na comunidade dos Missionários da Consolata, o trabalho da voluntária portuguesa incidiu especialmente sobre a escolinha e a biblioteca, mas também no acompanhamento dos jovens e no auxílio aos mil trabalhos que surgem na missão. 

Na escolinha trabalhou essencialmente na formação das monitoras, para que pudessem melhorar as suas práticas. O balanço final é muito positivo: «Elas foram capazes de se apropriar do que fomos fazendo juntas e agora já o fazem sozinhas, planificam boas atividades para os seus grupos de crianças e gerem o seu dia a dia com facilidade e dinâmica», explicou Joana. 

Na biblioteca da missão, a voluntária ajudou fundamentalmente na organização do material e acompanhamento de estudantes. Aos poucos, jovens e crianças foram-se aproximando para aprender a ler e escrever, foram trazendo colegas que também precisavam, amigos, até que se formou um grande grupo de alunos para a leitura e explicação. Muitos aprenderam a ler, mas continuaram a frequentar o espaço, porque gostam de estar juntos. 

O setor da educação não esgotou o seu saber e fazer. Dedicou o muito do seu tempo a viver e a colaborar nas atividades da comunidade missionária, participando e auxiliando naquilo que fosse necessário – com o grupo de jovens e com as crianças. A comunhão que conseguiu criar com os missionários e com as pessoas que frequentam a missão contribuíram para que se sentisse em família, o que tornou esta experiência missionária mais especial. 

«Podia ter só conhecido pessoas, mas sei que por este tempo, que parecia tanto e passou tão rápido, estivemos realmente juntos e que isso, pelo menos para mim, será para a vida», confessou. Agora, é tempo de regresso ainda que não consiga imaginar como será voltar a casa depois de viver algo que lhe transformou o coração.


F[atima Mission[aria

Clientes do BB podem retirar pelo celular senha para atendimento em agências

Da Agência Brasil
Os clientes do Banco do Brasil já podem emitir senhas pelo celular, no aplicativo do banco, para atendimento presencial. A ferramenta permite que o cliente retire a senha de casa ou de qualquer outro local e receba a estimativa para o atendimento na agência que preferir. 
As senhas entram em uma fila virtual e o cliente dá entrada (isto é, faz o check-in) pelo aplicativo quando chegar à unidade do banco. Caso ele se esqueça de validar a senha ao chegar à agência, o sistema realiza o procedimento automaticamente no horário previsto.
A senha pode ser gerada para atendimento na agência de relacionamento, nas unidades mais próximas ou para qualquer outra agência de preferência do cliente. O aplicativo pesquisa as dependências por nome, número ou CEP e exibe os dados gerais, como endereço, telefone e horário de atendimento. Após a emissão de senha, o cliente também visualiza o horário previsto para seu atendimento.
Segundo o banco, a implantação surgiu da ideia de dois funcionários da instituição, que venceram a primeira edição do Programa Pensa BB. O programa estimula os funcionários a criar soluções inovadoras para o banco. A sugestão concorreu com outras 3.265 propostas de todas as áreas da instituição.

Inep divulga hoje gabaritos da segunda aplicação do Enem

O gabarito da segunda aplicação das provas do Enem estarão disponíveis a partir de hoje na Página do Participante

Da redação, com Agência Brasil
Os candidatos que fizeram a segunda aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no último fim de semana, dias 3 e 4, terão acesso nesta quarta-feira, 7, aos gabaritos das provas. Eles estarão disponíveis na Página do Participante e por meio do aplicativo Enem 2016. A divulgação deverá ocorrer a partir das 10h, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).
Mesmo com o gabarito em mãos, os candidatos não conseguirão saber a nota que tiraram porque o sistema de correção do Enem usa a metodologia da Teoria de Resposta ao Item (TRI), que não estabelece previamente um valor fixo para cada questão.
O valor varia conforme o percentual de acertos e erros dos estudantes naquele item. Assim, se a questão tiver grande número de acertos será considerada fácil e, por essa razão, valerá menos pontos. O estudante que acertar um item com alto índice de erros, por exemplo, ganhará mais pontos por ele. Dessa forma, o candidato só saberá a sua nota nas provas objetivas após a divulgação do resultado final.
Os resultados individuais serão divulgados apenas no dia 19 de janeiro, quando todos os participantes, inclusive aqueles que fizeram o exame nos dias 5 e 6 de novembro, saberão exatamente quanto tiraram em cada uma das provas.

Segunda aplicação

O Enem foi aplicado no início de novembro para 5,8 milhões de candidatos. Um grupo, no entanto, de 277.624 estudantes, teve o exame adiado. Conforme o Inep, dos inscritos para a segunda aplicação, 273.521 (98,52%) não puderam participar do Enem regular por causa das ocupações em escolas, universidades e institutos federais, enquanto 4.103 candidatos (1,47%) foram afetados por contingências como a interrupção do fornecimento de energia elétrica.
As notas da prova podem ser usadas para pleitear vagas no ensino superior público pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para pedir bolsas no ensino superior privado pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e para participar do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Além disso, os candidatos com mais de 18 anos podem usar o Enem para receber a certificação do ensino médio.