Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro 6, 2017

Em "Minha vida na estrada", Gloria Steinem relata sua atuação pelos direitos civis e das mulheres

por Cristina Fibe - Agência O Globo Gloria Steinem em diferentes períodos de sua vida: para ela, o ativismo nos EUA hoje, com Trump na presidência, é maior do que nos anos 1960 e 70 A escritora, editora e ativista Gloria Steinem, 83 anos, um dos mais importantes nomes do feminismo, protestou contra a Guerra do Vietnã, nos anos 1960; testemunhou o mais célebre discurso de Martin Luther King, em Washington, em 1963; e participou de manifestações contra a Guerra do Golfo, na década de 1990. Mas nada disso, ela diz, chega perto da mobilização atual, nos Estados Unidos, contra o presidente republicano eleito em novembro e empossado em janeiro deste ano, Donald Trump. "Nunca, nunca, nunca na minha vida vi tanto ativismo. Mil vezes mais do que durante a Guerra do Vietnã, do que na luta pelos direitos civis. Hoje a mobilização é enorme", afirma Gloria, que lança agora no Brasil "Minha vida na estrada" (Bertrand Brasil), publicada nos EUA em 2015. No livro, a autora, nascida…

A Funarte lança coleção inédita, em seis volumes, da obra teatral do autor de "Navalha na carne"

por Iracema Sales - Repórter A iniciativa de editar a obra teatral de Plínio Marcos (1935-1999) partiu do próprio ator, diretor e dramaturgo paulista, quando, em 1997, bateu à porta da Fundação Nacional de Artes (Funarte) com o projeto que agora se torna realidade. Materializado em coleção inédita - formada por seis volumes, com 29 textos, dos quais 10 nunca foram publicados - o compêndio reúne as últimas edições das peças do autor de "Dois perdidos numa noite suja" e "Navalha na carne".
O lançamento aconteceu nesta terça (5), no Rio de Janeiro. A publicação pode ser adquirida, em todo o Brasil, pelo endereço livraria@funarte.gov.br.
> Funarte tem poucos projetos engatados 
Plínio Marcos é "um dos mais importantes e originais dramaturgos brasileiros", assegura Filomena Chiaradia, gerente de Edições da Funarte. Ele chegou a acompanhar parte do projeto da coleção, mas ficou doente e morreu em 1999, sem ter visto o resultado. O trabalho de reconstrução de …

Exibição de filmes sobre a África mostra a beleza estética e a relevância social da cinematografia africana

O cinema africano ganha espaço neste mês de setembro na Escola Pública de Audiovisual da Vila das Artes, equipamento cultural vinculado à Secretaria Municipal de Cultura de Fortaleza (Seculfor). Uma mostra cinematográfica, totalmente produzida por diretores africanos e gravadas no continente, começa a ser exibida hoje (6), com o filme "A Viagem da Hiena", às 18h30, com entrada gratuita. A programação é uma realização do projeto cineclube Telas Abertas, e acontece ao longo do mês, todas as quartas-feiras. "A escolha por esse tema parte da proposta de dar visibilidade a essa cinematografia, que em geral recebe pouco espaço dentro do mercado exibidor. Escolhi filmes dos anos 50 aos anos 80, que expressam diferentes questionamentos e propostas estéticas, e desse modo é possível começar a entender o cinema africano", explica Rodrigo Coelho, realizador audiovisual e curador da mostra. O filme "A Viagem da Hiena" (Touki Bouki), de 1973 e dirigido pelo senegalês…

Fortaleza ganha um restaurante de massas artesanais

Fortaleza acaba de ganhar uma osteria. Trata-se da primeira do gênero na cidade, inaugurando, segundo seus proprietários, o conceito de gastronomia artesanal. As massas e os molhos frescos e artesanais são feitos diariamente para lembrar a comida da “nona”. A Prato Osteria e Café apresenta uma variedade de pratos, que servem do almoço ao jantar, passando pelo café da tarde, com crepiocas e saladas. Tudo feito na hora e sem molhos artificiais. Para os apreciadores de vinho, a carta da casa possui opções que harmonizam perfeitamente com os pratos, garantem proprietários. SERVIÇO Local – Rua Maria Tomásia, 1300 – Aldeota Instagram: @Pratoosteriaecafe Mais Informações – (85) 981844025.
(Foto – Divulgação) Blog do Eliomar

Há 4 mil anos em busca do homem ideal

Evidências arqueológicas indicam que na Idade do Bronze mulheres percorriam grandes distâncias em busca de um parceiro. Com o deslocamento, elas acabavam levando conhecimentos para regiões distantes.Quando as mulheres resolvem fundar uma família, elas tomam a iniciativa. Se o homem dos sonhos não estiver nas redondezas, é preciso procurá-lo em outro lugar. Tal princípio parece valer tanto para hoje quanto para 4 mil anos atrás, apontam cientistas.
Com base em inúmeros esqueletos, pesquisadores de diversos institutos alemães descobriram que na Idade do Bronze mulheres jovens, a partir dos 17 anos de idade, empreendiam longas jornadas para fundar uma família. Os resultados dessas pesquisas foram publicados pela Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos (PNAS).
"Tudo aponta para o fato de que na Idade do Bronze as mulheres apresentavam extrema mobilidade", afirma Philipp Stockhammer, da Universidade Ludwig Maximilian de Munique. Segundo o pesquisador, isso já havia sido …

Juventude é alvo de preocupação da Igreja

Sínodo 2018: Seminário preparatório discutirá condição dos jovens Sínodo tem como tema 'Os jovens, a fé e o discernimento vocacional'. (Divulgação/ Pixabay)
A Igreja prepara-se para o Sínodo sobre o tema “Os jovens, a fé e o discernimento vocacional”, previsto para outubro de 2018. A Secretaria Geral do Sínodo dos Bispos organizou um Seminário internacional sobre a condição dos jovens, a realizar-se da próxima segunda-feira, dia 11, até a sexta-feira, dia 15, no auditório da Cúria Generalícia dos Jesuítas, em Roma.
Foi também criado um site web com um questionário voltado diretamente para os jovens de 16 a 29 anos: youth.synod2018.va. Em entrevista à Rádio Vaticano, o secretário geral do Sínodo, Cardeal Lorenzo Baldisseri, detém-se sobre alguns particulares, sobre os jovens que estarão presentes como auditores e a preparação. 
Rádio Vaticano

Dobra participação do acesso à internet por dispositivos móveis no Brasil

Flávia Albuquerque - Repórter da Agência Brasil A internet móvel é a principal forma de conexão em 9,3 milhões de famíliasArquivo/ABr A proporção de domicílios brasileiros com acesso à internet sem computador, ou seja, por dispositivos móveis, passou de 7%, em 2014, para 14% em 2016. A banda larga fixa é o tipo de conexão utilizada por 23 milhões das residências do país. Já a internet móvel é a principal forma de conexão em 9,3 milhões de residências, principalmente nas classes D/E, na região Norte e nas áreas rurais. Os dados são da pesquisa TIC Domicílios 2016, divulgada pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), por meio do Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br) do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br). "Os resultados indicam maior presença dos acessos móveis nos domicílios brasileiros, que ocorrem principalmente por meio do uso de telefones celulares. O crescimento da banda larga móvel, contudo, ocorre …