A Palavra Não

Por Uaçaí de Magalhães Lopes
A Palavra Não
Foto: Arquivo pessoal
                                      Para minha filha Carmen




Está na hora de dizer
NÃO ao sim.
Se você é mulher     
e tem vergonha de falar:
diga NÃO.
Se olhe no espelho:
se veja naquelas mulheres de Atenas.
 “É impossível conter a primavera”.
As mulheres se uniram contra o Fascismo.
Não queremos outro
“Primeiro de Maio de Chicago”
aqui no Brasil.
Lembre-se das passeatas
do dia 29 de setembro de de 2018
do Campo Grande descendo a Ladeira 
até o Farol da Barra em Salvador,
representando todas as passeatas
ocorridas por todo o Brasil e pelo mundo afora.
VIVA O 29 DE SETEMBRO 
este dia será lembrado na história:
DIA MUNDIAL DA LUTA CONTRA O FACISMO.
 
 
 
Se você alguma vez foi assediada.
Alguém ficou se encostando
demasiadamente em você
no ônibus, no metrô.
Grite, denuncie, perca o medo:
diga NÃO.
 
Se seu marido quer transar
e você está cansada,
vai fazer sexo só por obrigação:
diga NÃO.
 
Mas se você é homosexual
não foi aceito por sua família
já foi excluido ou banido, e daí?
o que você tem que dizer
a toda essa gente?
Diga NÃO.
 
Lembre-se das passeatas
do dia 29 de setembro de 2018
pelo nosso Brasil inteiro,
gritando pelo amor
e pela humanidade.
Pregando a igualdade
de todos seres humanos.
Quando nascemos nada sabemos
a cultura nos torna o que somos.
O importante mais é o amor
o que se passa, se vai... nada fica.
 
Se você é Trans, é Bi, é Tri,
é homem, é mulher,
seja o que você quiser.
Se sente impedido de ser,
de viver, de amar, só há algo a fazer:
diga NÃO.
 
Somos uma naçãomultivariada de muitas etnias:
dos Tupis e dos Guaranis
dos Tupinambás, dos Tapuias
e de tantas outras nações
que aqui estavam bem antes
da INVASÃO dos Portugueses.
 
Também da mesclas dos primeiros brancos
que aqui foram largados
nos primeiros dias da INVASÃO.
 
De tantas Nações Negras dos tempos da escravidão:
dos Sangays, dos Benins
e dos Malis entre tantas outras.
Com seus Idiomas e suas Músicas
que muito constituíram os nossos “BRASIS”.
 
E também dos séculos passados:
Espanhóis, Italianos,
Japoneses, Chineses
e também Coreanos
E chegando ainda hoje,
os Venezuelanos
na crise desencadeada
pelos Norte-Americanos.
 
Não somos uma sociedade perfeita:
Sim, há criminalidade.
Convivendo com riqueza
junto com muito pobreza.
Mas, também há um espírito
de aceitação e amor
que é o que se constitui
como o POVO BRASILEIRO.
 
Faz desse 29 de setembro de 2018
um exemplo ao mundo
pelo que somos:
esta mescla de povos, de raças,
e de democracia sexual.
 
 
 
Há um prazer nessa variedade.
Toda mistura de raças provocou
“variou” todas as crenças.
 
Há uma vulgaridade,
em nossa religiosidade:
O cristão é macumbeiro,
o macumbeiro é cristão.
 
O comunista baiano,
não pisa em Ebó não senhor.
 
Há uma “baianidade”,
junto com o Negro Nagô.
Em quase todo o Brasil:
terra do Nosso Senhor.
 
Basta pensar na comida.
Desfiles de Carnaval.
Há uma louca nostalgia.
Que a todos dá guarida.
 
Se o Brasil é tanta cor,
riqueza e simpatia,
tanta cordialidade?
Somos todos estes povos,
toda esta variedade?
 
Somente algo a dizer:
diga NÃO à covardia,
diga NÃO ao racismo,
diga NÃO à homofobia,
diga NÃO à pedofilia,
diga NÃO à FOME,
diga NÃO à MISÉRIA.
 
Já sofremos o bastante,
para somente num instante
alguém querer desfazer.
Ser feliz é o que queremos,
somos todos brasileiros:
hoje é matar ou morrer.
 
Salvador, 30 de setembro de 2018.

Comentários

Mais Visitadas

MEU PROFESSOR: MEU SUPER-HERÓI

Morre, aos 92 anos, a escritora Zibia Gasparetto

Dentro da rotina das redes sociais, mulheres dividem as dificuldades e os pontos positivos de expor a maternidade