Pular para o conteúdo principal

O mistério da vida

Padre Geovane Saraiva*
Na segura convicção de que o Senhor é bom, além de refúgio na dor e na angústia, confiamos em sua proteção. Somos munidos pelos estigmas da confiança e da esperança por Deus, que quer, através de nós, suas criaturas, dizer algo ao mundo, como nas palavras de Dom Helder: “Que sementes desejo espalhar pela Terra? Sementes de paz, de amor, de compreensão e de esperança. Há tanto desespero, desengano, decepção, frustração e desesperança! Sementes de esperança chegariam em boa hora”.

Dentro do espírito da mais elevada esperança cristã, quero aqui homenagear meus primos Norberto Duarte Saraiva e Juscelene de Oliveira da Silveira, pessoas de fé, simples e humildes, e falecidas nesta primeira quinzena de outubro de 2019. Que o bom Deus os acolha na sua paz! Diante da morte, temos o ensinamento de Jesus de Nazaré, o Bom Pastor: mesmo com a morte a nos causar grande dor e tristeza, no céu temos a certeza da eterna felicidade, da vida sem ocaso e declínio. O Livro Sagrado nos assegura que em Deus nada nos pode faltar.

A confiança em Deus deve ser a palavra de ordem de nós seres humanos, confiança essa que nos dá segurança, esperança e força para enfrentar qualquer desafio que esteja na nossa frente. A certeza de sua bondade e fidelidade está nele, no aprendizado de nunca desesperar, porque Deus não abandona aqueles que nele confiam. Deus nos oferece a garantia de que cada pessoa carrega consigo, ou oferece ao mundo, o segredo de sua vida como mistério, revelando as razões de sua existência.

No mistério da vida, Dom Helder diz: “Ah se eu pudesse, afugentaria da terra a desconfiança que embaça os olhares mais claros e torna turvos os horizontes mais límpidos!”. Viver na turbulência das ondas, na instabilidade do barco da vida, parecendo, muitas vezes, que vai naufragar, é um grande milagre, é dom e graça de Deus, obra da ação do Espírito Santo em nós.

Que a confiança e a esperança do “Poverello d’Assisi”, lá na igreja de São Damião, ao recitar o cântico das criaturas, anunciando ao mundo o amor infinito de um Deus que não era e não é amado, nos ajudem a gostar de viver e amar a vida, sem esquecermos seus últimos anos de vida, debilitado pela frágil saúde e já não podendo mais enxergar, numa descomunal humildade e heroísmo penitencial. Assim seja!

*Pároco de Santo Afonso, Blogueiro, Escritor e integra a Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil* O corpo do jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na próxima terça-feira (9), no Memorial do Carmo, segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), respeitando o desejo do imortal. Cony morreu ontem (6), aos 91 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos após dez dias de internação. Segundo a ABL, como a morte ocorreu em um fim de semana, procedimentos jurídicos e administrativos terão que ser resolvidos nesta segunda-feira (8). Após a cremação, suas cinzas devem ser lançadas em um local que remete a sua infância. Também a pedido do jornalista, seu corpo não foi velado na sede da academia. A amiga e também jornalista Rosa Canha disse que Cony desejava uma cerimônia íntima. "Ele não queria velório, não queria missas nem nenhum tipo de homenagens. Ele pediu muito que fosse uma cerimônia apenas para a família".  Saiba MaisTemer lamenta morte do jornalista Carlos Heitor Cony Carlos Heitor Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926.…

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …